Leo Chioda
Por Leo ChiodaLeia em 3 min.05/05/2018 Atualizado em 14/05/2018

Arcano do Mês: O Pendurado

Maio é o mês de sacrifícios e recompensas para quem persiste com força e coração

Arcano do Mês: O Pendurado

Um homem está suspenso por um dos pés. Talvez amarrado por uma corda ou preso a um caibro pelo tornozelo. Os braços estão aparentemente presos às costas e seu rosto pode ser de aflição ou de surpreendente tranquilidade. Este é O Pendurado, o décimo-segundo arcano maior, mas um dos primeiros na lista das cartas mais temidas e incompreendidas do Tarot.

Dentre as imagens mais antigas, O Pendurado era representado como o traidor ou o ladrão cumprindo sua pena, que nada mais seria que a privação de sua liberdade, deixado à esmo para que a natureza se encarregasse de sua existência e de seu fim iminente. E é este um dos significados que ainda prevalecem quando se fala neste arcano, porque depois dele temos o arcano treze, A Morte. Sequencialmente, O Pendurado representa os últimos momentos diante da finitude. Mas além da posição de traidor ou mesmo de vítima, o arcano simboliza o trabalho árduo sobre determinada meta a ser atingida.

MAIO PEDE EMPENHO

‘Empenho’ é uma das qualidades d’O Pendurado. Mais que um arcano de morte iminente, em maio ele fala diretamente sobre o trabalho que deve ser feito com absoluta atenção e com a devida persistência.

Mais que um arcano de morte iminente, em maio ele fala diretamente sobre o trabalho que deve ser feito com absoluta atenção e com a devida persistência.

Em vários baralhos, O Pendurado tem a cabeça envolta por uma auréola dourada, símbolo associado aos santos e iluminados. Este fato é que reveste o arcano de uma aura espiritual, como se ele tivesse a missão de passar por diversas provações para chegar a um estágio elevado de consciência. O simples fato de estar de ponta cabeça já denotaria, assim, uma renúncia ao mundo comum, com as coisas aparentemente em seus devidos lugares, para ver tudo ao redor como uma grande distração. Dentre os significados d’O Pendurado, a postura meditativa, ainda que pouco convencional, é validada pela busca da transcendência através da negação do corpo, em total desconforto. O Pendurado é a carta dos sacrifícios em troca de uma revelação ou de uma recompensa de valor inestimável.

Levando em conta essas associações simbólicas, O Pendurado faz do mês de maio um período propício para se dedicar fielmente a objetivos elevados. A procura por um emprego, a reconciliação com pessoas queridas, as mudanças internas e externas que vêm sendo adiadas há tanto tempo e o cuidado maior com o dinheiro e os próprios bens. Maio é o período de diversas perdas, de acordo com esse arcano regente. Mas nem todas são substanciais, já que O Pendurado tira o que está sobrando em demasia.

De acordo com essa energia, tudo o que cai de nossos bolsos, quando suspensos por um momento, não é importante. A carta sugere empenho sobre o que realmente é digno e duradouro, mesmo que isso custe suor, lágrima ou sangue.

O lado negativo de todo esse empenho é justamente a obsessão, o não saber parar quando deve. E isso é que gera bloqueios, pausas involuntárias e problemas decorrentes da obstinação sem limites. Este arcano é um recado sobre os nossos limites. Eles devem ser reconhecidos e respeitados.

Para saber com detalhes quais são as tendências, os desafios e as recompensas do seu mês de maio, jogue agora o Tarot Mensal.

MENOS MI-MI-MI

Em vez de temer ou reclamar da escuridão, é melhor acender uma vela. Maio é o tempo certo para isso. O Pendurado é um exímio ‘reclamão’, porque sente na pele as dores do mundo. O detalhe a ser percebido é que na maioria das vezes é ele mesmo que se pendura! E isso faz toda a diferença na hora de definir os culpados pelas mazelas pessoais. Este arcano do Tarot serve de lembrete para reparar no quanto você joga nos outros as responsabilidades que na verdade são exclusivamente suas. Por mais que a vida nos castigue, não é justo depositar a culpa nela.

O Pendurado nos faz reconhecer que temos todos os meios necessários para seguir adiante, apesar das dificuldades naturais de todo e qualquer caminho. Os braços ocultos às costas indicam a resistência ao ato de se desamarrar, por isso é que tende a parecer tudo bem complicado em maio. Ainda assim, a escolha para sair das armadilhas é assumir que também erramos. Com os outros e conosco. Maio é o mês mais que oportuno para reclamar menos. Por mais que você acredite ter razão.

MAIS ATITUDE

Mesmo que O Pendurado seja um prenúncio de suspensão, você não vai parar por completo. Nada em nossa existência está estacionado, por mais que assim pareça! Então é bom entender que certas atitudes devem ser tomadas para você sair de onde estava e chegar ao lugar certo.

O arcano de maio é contraditório porque mesmo sendo uma referência em obstinação, ele também é um especialista em preguiça. E com a preguiça são trazidos vários argumentos para manter certa postura de vítima em meio a um mundo repleto de dificuldades e perseguições. Não é assim que as coisas funcionam bem. Mas se você preferir assim, este mês tende a ser mais difícil que os anteriores, pois nenhuma mudança realmente positiva acaba acontecendo com quem não se empenha de verdade.

O AMOR QUER A VERDADE

Para o afeto e para as relações, O Pendurado prenuncia momentos de mágoa e de feridas que custam a cicatrizar. Mas a hora é essa, porque no decorrer do mês tendem a surgir motivos suficientes para encarar os problemas e resolvê-los sem medo. Não cabe, ao longo de maio, perder a chance de se reconciliar com as pessoas mais queridas ou de manter às claras todo e qualquer relacionamento.

O Pendurado é também um arcano de silêncio, mas não de solidão. Por isso é que o mês pode ser excelente para ouvir melhor as pessoas e perceber que elas também se dispõem a ouvir você. Cuide bem das suas palavras.

A SAÚDE PEDE ATENÇÃO

O Pendurado pode vir a ser um arcano complicado no âmbito da saúde porque representa muita coisa fora do seu devido lugar. Maio é ápice do outono, quando os tempos se preparam para a secura do inverno. A primeira questão a ser trazida diz respeito à resistência, que tende a ser baixa. Atente à pele e crises de respiração. Circular é importante, ainda mais diante de um arcano especializado em inércia. Por mais frio que seja, o exercício físico é uma das prioridades. O mental também. Não se esqueça de que o seu corpo é o seu templo. O Pendurado é unânime em dizer que o corpo é o veículo e o instrumento, o único necessário. Por isso é que o repouso e o sono são fundamentais para você seguir firme e forte.

Prevenir é melhor do que remediar. Mas remediar é imprescindível porque às vezes não há tempo nem para pensar em prevenir, não é mesmo? Respirar e saber esperar são dois detalhes que O Pendurado deve aprender e acatar, ainda que na marra. Faça como ele.

O TRABALHO CANSA, MAS NÃO É UM CALVÁRIO

Um dos ensinamentos que O Pendurado aprende e nos passa é que a vida é selvagem. Nada é tão simples quanto aparenta nem tão complicado quanto muitos pensam, mas são o que são. É por isso que este arcano também representa resignação diante do que não pode ser mudado: ele está nesta posição – por responsabilidade própria ou não – e aceita as limitações que acabam sendo impostas a cada momento. Porque O Pendurado sabe, e nos ensina, que nenhum momento é eterno. Eis a sabedoria deste arcano que muito se assemelha a um discípulo: tudo passa, até mesmo esse tempo em que passo de pernas para o ar.

Eis a sabedoria deste arcano que muito se assemelha a um discípulo: tudo passa, até mesmo esse tempo em que passo de pernas para o ar.

É com essa consciência que maio deve vivido e trabalhado: nada é para sempre, nem os bons momentos nem os maus. E assim, sabendo que nenhum problema é tão importante a ponto de durar para sempre, você encara os afazeres com mais confiança e menos apego. Apesar da demora em ver resultados há tampo tempo almejados, o mês será de suor, como já dissemos. E nada impede que haja algumas horas de distração para aproveitar melhor os dias. E para ver como as coisas e as pessoas estão. Tudo tem mudado com rapidez, você reparou? As tarefas, as vontades, as relações, os perigos e mesmo os prazeres. E para acompanhar essas mudanças você pode e deve saber que também está em constante transformação.

PACIÊNCIA: A GRANDE AMEAÇA PARA OS APRESSADOS

Paciência é o desafio para quem tanto quer alguma coisa. Maio, com O Pendurado, tende a ser o mês em que o teste de resistência e paciência se intensifica. É você passando por situações em que precisa esperar ou se calar para não piorar ou estragar nada. Por isso é que os apressados sentem na pele o peso deste arcano: quanto mais rápido querem se livrar de alguma situação ou pessoa, mais presos a elas acabam ficando.

E a lição do Tarot é justamente saber esperar, dar o tempo certo para cortar vínculos ou resolver determinadas pendências e, assim, partir para outra. Sempre haverá situações para testar nossa pressa, mas a maioria delas pode ser evitada para não acabar se repetindo. O primeiro passo é reconhecer a pressa e o segundo é respirar fundo antes de querer tudo para ontem. Se por um lado você pode mergulhar no tédio e na preguiça com a energia desta carta, por outro você pode ficar se debatendo freneticamente para se livrar de certas amarras e partir para a próxima. Em ambos os casos, a orientação é a mesma: esperar é agir. Você tem intuição suficiente para saber quando será o melhor momento para se livrar de tantos receios e cortar a corda.

QUESTIONE-SE

Acredite: O Pendurado é um arcano de amadurecimento. Perceba o quanto ele se assemelha a uma fruta pendurada no pé. Ela só estará madura no tempo certo, e por isso só tende a cair quando estiver pronta aos olhos da natureza; nem antes nem depois. Com você acontece a mesma coisa. Se alguma situação tira seu poder de escolha ou de ação, tente perceber se você tem preparo suficiente para superar. Quando você compreende que a vida pressupõe paciência, então vem a recompensa pelos seus esforços verdadeiros.

EXERCÍCIO DO ARCANO O PENDURADO

Com que frequência você conversa consigo? E com que atenção você ouve sua voz interna? A cada semana de maio você tem uma questão bem profunda para se fazer. Responda a cada uma delas em voz alta depois de um tempo de reflexão ou as escreva em um papel. E acredite, você tem as respostas. Registrá-las é importante para saber a quantas anda o seu próprio amadurecimento.

  • Quando é que me sinto infeliz, incapaz ou inútil?
  • Qual é o verdadeiro problema comigo?
  • Por que a vida não é exatamente do jeito que eu gostaria que fosse?
  • Até que ponto eu devo me sacrificar por um ideal?
  • Como posso superar tanta preguiça e tanto medo da vida?

COMO É ESCOLHIDO O ARCANO DO MÊS?

Dos e-mails que chegam: “Qual a força ou mesmo a idoneidade dos arcanos do mês que aparecem em diferentes páginas? Nunca são iguais! Qual deles seguir?”. Sim, existem muitas pessoas que puxam uma carta para o dia, uma para a semana, uma para o mês e até mesmo uma para o ano. E elas são válidas.

“Ué, mas todas elas são válidas? Então, qualquer pessoa pode tirar uma carta que vale para tudo e todos?”, alguns podem se perguntar. Não é bem assim. E não é simplesmente tirar a esmo. Deve-se levar em conta o propósito do sorteio (para quê? para quem?) e a marcação de tempo aplicada (para quando? Dentro de qual período?). Esta é uma forma de delimitar a atuação dos símbolos, sendo para uma previsão ou para uma orientação, a um grupo ou um público em particular.

Aqui no Personare, por exemplo, as cartas selecionadas para o mês são sorteadas tendo como premissa aquela que melhor venha a orientar os usuários, nos períodos especificados. São tendências gerais que ressoam, que batem, que agradam, preocupam e até desagradam.

Aqui no Personare, por exemplo, as cartas selecionadas para o mês são sorteadas tendo como premissa aquela que melhor venha a orientar os usuários, nos períodos especificados.

Ao contrário da Astrologia, que tem uma fonte única de cálculos (que são as posições dos planetas e os aspectos, considerados universais), com o Tarot teremos sempre cartas diferentes porque cada oraculista responsável tem um baralho em mãos – um microcosmo à disposição – que refletirá suas respectivas intenções. Ainda que os referenciais sejam os mesmos no mundo todo (78 arcanos: 22 Maiores e 56 Menores), existem deformações simbólicas, sistemas e filosofias diferentes no âmbito do Tarot. A melhor maneira de avaliar a validade e a eficácia desses arcanos é testando a interpretação e percebendo sua atuação em nossas vidas.

Mesmo que os símbolos também sejam universais, eles falam através de vozes diferentes. Vez ou outra as cartas são as mesmas, indicando que certas energias podem estar alinhadas. Mas pode acontecer de serem próximas ou absolutamente destoantes. A prioridade é perceber que cada carta, por mais divergente de um canal para outro, acaba sendo pertinente à pessoa interessada. Os símbolos falam ao melhor e ao pior de nós. E a idoneidade de cada canal é medida pela assertividade da interpretação, não pelas cartas sorteadas.

Portanto, querer ou pressupor que as cartas de todos os canais sejam iguais para validar o Tarot ou dar uma impressão de coerência oracular é o mesmo que desejar que um raio caia várias vezes no mesmo lugar. Pode acontecer, claro, mas não somos nós que determinamos isso.

Então, cabe avaliar o que se lê, assiste e ouve sobre os arcanos selecionados para um período estipulado de atuação. Conviver com os símbolos. O Tarot é um instrumento auspicioso para o aperfeiçoamento pessoal e, sobretudo, para tomar as devidas atitudes diante do mundo.

Leo Chioda

Leo Chioda

É escritor e tarólogo. Dedica-se a palestras sobre Tarot, pesquisas históricas e prática da leitura das cartas. É também autor da análise de Tarot Mensal do Personare.