Carregando pagina

Amor

Teste: qual é o seu "eu machucado"?

Respostas ajudam a descobrir dores e medos que prejudicam sua vida afetiva

 
Imagem: Splitshire

O "eu machucado"nada mais é do que o conjunto de dores e medos que ficam registrados em nossos corpos físico, emocional, mental e espiritual (estes três últimos são corpos sutis), ao longo das experiências que vivemos. E muitos destes machucados sutis podem ser os causadores dos principais desequilíbrios em nosso pilares, aqueles que sustentam todas as áreas da vida, inclusive a afetiva. No teste abaixo você descobrirá qual aspecto do "eu machucado" anda prejudicando e atrapalhando sua vida, além de orientações para mantê-lo mais equilibrado.

Teste

Escolha apenas uma opção em cada pergunta, aquela que mais se aproxima de sua atitude diante de cada situação descrita. Anote suas respostas e depois confira o resultado.

1 - Quando se olha no espelho, você se sente confortável e feliz com a sua imagem?

  • A - Sim, adoro me olhar no espelho.
  • B - Sim, gosto de minha imagem.
  • C - Não, me sinto desconfortável.
  • D - Não, detesto o que vejo.

2 - Quando comete algum erro, como você age consigo mesmo?

  • A - É difícil eu cometer erros, então não tenho problemas quanto a isso.
  • B - Entendo que errar é humano e sigo em frente.
  • C - Sei que errar faz parte, mas me culpo pelo que fiz de errado.
  • D - Fico remoendo o erro, me sentindo muito mal comigo mesmo.

3 - Como reage quando alguém faz um elogio a você?

  • A - Não me surpreendo, pois costumo receber muitos elogios mesmo.
  • B - Fico contente pelo reconhecimento de minhas qualidades.
  • C - Gosto de receber elogios, mas às vezes acho que as pessoas estão apenas querendo me agradar.
  • D - Me sinto desconfortável, como uma farsa.

4 - Como seu pensamento reage ao lidar com uma rejeição?

  • A - A outra pessoa não sabe de nada mesmo, como pode agir dessa forma comigo?
  • B - Não tenho como agradar a todos e isso não me torna mais nem menos do que sou.
  • C - Fico triste, mas sigo em frente, afinal, não é a primeira nem a última rejeição que enfrentarei.
  • D - Fico arrasado.

5 - Qual a frase que mais tem a ver com você?

  • A - Eu sou mesmo o máximo!
  • B - A vida é bela.
  • C - Apesar dos pesares, amo a vida.
  • D - A vida é dura.

6 - Como você avalia seu poder de realizar seus objetivos e de alcançar o que deseja?

  • A - Muito bom, sempre consigo o que quero e vou até o fim quando tenho um objetivo, custe o que custar.
  • B - Bom, me empenho e dou o meu melhor, mesmo que não consiga tudo que desejo.
  • C - Razoável, me esforço, mas às vezes me desanimo e meus caminhos parecem se tornar pesados.
  • D - Ruim, é difícil terminar o que começo, quase sempre desisto.

7 - Quando me sinto afrontado, ameaçado por outra pessoa, como reajo?

  • A - Respondo à altura da ameaça feita a mim, afinal, quem essa pessoa pensa que é?
  • B - Percebo que ela tem algum motivo, ainda que injustificável para tal atitude, e procuro me colocar da melhor forma possível.
  • C - Sinto-me mal e fico pensando por que a pessoa está sendo tão agressiva. Mas respondo como posso.
  • D - Fico muito angustiado e sem reação, com vontade de fugir.

8 - Qual a sua atitude quando alguma situação lhe tira da sua zona de conforto?

  • A - Eu me sinto bastante excitado pela situação desafiante.
  • B - Dá um frio na barriga, mas sei que as superações são gratificantes e sigo em frente.
  • C - Fico hesitante, mas sigo em frente, ainda que com insegurança.
  • D - Fico muito resistente, não gosto de sair da minha zona de conforto.

9 - Que frase mais tem a ver com a minha maneira de enfrentar uma situação muito difícil?

  • A - A vida é uma luta e eu sou um bom lutador, encaro o que vier pela frente!
  • B - É das superações que vem meu crescimento e fortalecimento, então, procuro aprender com essas situações.
  • C - Não tem jeito, tenho que enfrentar, então sigo em frente e assim vou levando.
  • D - Que droga, não aguento mais.

10 - Como é para você ter que tomar decisões?

  • A - Algo muito fácil para mim, gosto de tomar decisões.
  • B - Algo natural.
  • C - Desconfortável, mas necessário.
  • D - Difícil e angustiante.

Resultado

Primeiro você vai somar qual pontuação teve nas respostas de 1 a 5. Este resultado revelará como você está em relação ao seu amor-próprio e se ele está sendo afetado pelo "eu machucado".

Depois, some o resultado das respostas de 6 a 10. Ele revelará como você está em relação ao seu poder pessoal e se ele está sendo afetado pelo "eu machucado".

  • Todas as letras A - 3 pontos
  • Todas as letras B - 2 pontos
  • Todas as letras C - 1 ponto
  • Todas as letras D - 0 ponto

Se seu resultado fica no limiar entre duas faixas de pontuação, leia o resultado para as duas faixas mais próximas.

Soma das perguntas de 1 a 5 revela seu amor-próprio

Pontuação de 0 a 3 (nas perguntas de 1 a 5)

Seu amor próprio está sendo afetado pelo eu-machucado e precisa ser fortalecido. Exercite a autoaceitação, não se critique tanto. Saiba reconhecer suas qualidades e capacidades, valorizando-as. Todos temos pontos fracos e defeitos, e assim como precisamos aceitá-los e trabalhá-los, também devemos fazer o mesmo com nossos pontos fortes e virtudes. Ao longo do próximo mês, pelo menos uma vez ao dia, olhe-se no espelho e relembre as qualidades que mais admira em si mesmo, sejam elas atributos físicos, mentais ou emocionais. Diga, então, olhando em seus próprios olhos, a seguinte afirmação em voz alta: "Eu me amo e me aceito como sou incondicionalmente".

Pontuação de 4 a 7 (nas perguntas de 1 a 5)

Procure fortalecer ainda mais seu amor-próprio, curando ainda mais seu eu-machucado. Você já consegue olhar para si com mais aceitação e valorização, mas pode exercitar mais fortemente sua autoestima. Comece reforçando o reconhecimento de suas qualidades e virtudes, para, a partir delas, olhar para os seus desafios. Perceba que os defeitos são aspectos que lhe desafiam a saber lidar com eles e não precisam ser algo ruim, mas sim estimulante. Ao longo do próximo mês, olhe-se no espelho diariamente e relembre as qualidades que mais admira em si mesmo, sejam elas atributos físicos, mentais ou emocionais. Olhando em seus próprios olhos, faça a afirmação em voz alta: "Eu me amo e me aceito como sou incondicionalmente".

Pontuação de 8 a 11 (nas perguntas de 1 a 5)

Mantenha seu amor-próprio em alta, mas cuidado para não exagerar na dose, caso contrário seu eu machucado pode lhe prejudicar pelo excesso de amor próprio. Manter o equilíbrio é algo dinâmico, então continue observando a si mesmo, avaliando como você vem exercitando sua autoaceitação e autovalorização, lembrando que ela se desequilibra tanto pela sua falta, quanto pelo seu excesso. Procure ao longo do próximo mês, ao final de cada dia, perceber em quais situações você exagerou ou faltou com o amor-próprio, e pergunte-se por que agiu desta forma. Se puder, escreva todos os dias o que observou e, ao final do mês, releia o que escreveu, aprofundando suas percepções.

Pontuação de 13 a 15 (nas perguntas de 1 a 5)

Que tal reavaliar se você não anda sendo muito autoindulgente e se autovalorizando demais? A falta de amor-próprio é prejudicial, mas o excesso dele também se torna nocivo e prejudica sua autoestima, denotando machucados sutis pelo exagero daquilo que é sua qualidade. O excesso de amor-próprio é uma forma de compensar alguma falta. Procure ao longo do próximo mês, ao final de cada dia, perceber em quais situações você exagerou com o amor-próprio, e pergunte-se por que agiu desta forma. Se puder, escreva todos os dias o que observou e, ao final do mês, releia o que escreveu, aprofundando suas percepções e percebendo mais claramente por que você tende a exagerar na manifestação desta energia.

Soma das perguntas de 6 a 10 revela seu poder pessoal

Pontuação de 0 a 3 (nas perguntas de 6 a 10)

É hora de acreditar em si mesmo e em sua capacidade, superando as inseguranças que seu eu machucado lhe causa. Se começarmos a fazer musculação e quisermos levantar pesos, mas ainda estivermos fracos, será preciso começar aos poucos, optando por pesos mais leves, para, depois, gradativamente ir aumentando. Assim também funciona com seus "músculos" de poder pessoal. Comece com pequenas metas de superação, com aspectos simples da vida. Ao longo do próximo mês, procure uma vez ao dia fazer algo que lhe tire da zona de conforto. Estimule-se a superar os desconfortos e ir além, se propondo a fazer aquilo que geralmente evita. Por exemplo: tenho vergonha de dar bom dia ou cumprimentar as pessoas, então, pelo menos uma vez ao dia, vou fazer isso.

Pontuação de 4 a 7 (nas perguntas de 6 a 10)

Procure fortalecer um pouco mais seu poder-pessoal, afinal, o eu machucado anda impedindo sua vida de fluir como poderia. Que tal colocar em prática seu poder e força e desenvolvê-los ainda mais, se beneficiando de todas as realizações que podem lhe proporcionar? Procure se esforçar para ir além de suas zonas de conforto, vença seus medos. Perceba como você acaba se sabotando ao fugir de certas situações, evitando-as, e proponha-se a enfrentá-las. Quais são as situações que você deixa para depois, pois tem preguiça ou medo de enfrentar? Tenho dificuldades em impor minhas vontades nas relações? Tenho vergonha de falar em público? Tenho medo dos confrontos e brigas e por isso acabo me omitindo? Identifique seus medos e enfrente-os!

Pontuação de 8 a 12 (nas perguntas de 6 a 10)

Mantenha seu poder pessoal fortalecido, mas sem exagerar na dose. Proponha-se a enfrentar seus maiores medos e maiores desconfortos. Perceba o que em sua vida você acaba sempre evitando ou tendo dificuldades: pedir desculpas aos outros, reconhecer suas fraquezas ou defeitos, ouvir críticas, aceitar opiniões diferentes das suas, aceitar as pessoas como elas são. Mas cuidado para não ir com força ou vontade demais e acabar sendo autoexigente em excesso. Não deixe que seu eu machucado se faça valer do excesso de poder pessoal. Perceba que este enfrentamento e superação é um processo que demanda tempo e é preciso persistência e paciência para chegar lá!

Pontuação de 13 a 15 (nas perguntas de 6 a 10)

É momento de reavaliar se você não anda sendo muito autoexigente e se cobrando demais. Sua vida anda pesada? As situações se tornam sérias ou urgentes sempre? Que tal se propor a levar a vida menos a sério e ser mais flexível consigo mesmo e com as pessoas? Seu eu machucado bem provavelmente se aproveita da facilidade com que você lida com seu poder e lhe leva a um uso exagerado dele. Procure refletir se ao longo de sua vida você não acabou criando uma casca de proteção e autoafirmação com base em sua força e poder, e o quanto estas mesmas cascas hoje lhe aprisionam ou enrijecem suas ações, emoções e pensamentos. Ao longo de seu dia, toda vez que sentir que as coisas estão ficando pesadas ou sérias demais, desarme-se, sorria, pegue mais leve!

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Ceci Akamatsu

Terapeuta acquântica, faz atendimentos presenciais no Rio de Janeiro, em São Paulo e à distância. É a autora do livro Para que o Amor Aconteça, da Coleção Personare.  Saiba mais »

contato: ceciakamatsu@gmail.com
  • e-mail
  • Imprimir