Carregando pagina

Saúde

Shiatsu para atletas e adeptos de exercícios

Método terapêutico não pode ser confundido com massagem

 

A "massagem Shiatsu" é uma expressão nova. É a forma que mais se repete no contexto comercial, quando precisamos nos referir a essa técnica de uma forma rápida, com a finalidade de nos fazer entender para um público sem intimidade com o assunto. Facilita o entendimento de um recurso que envolve o toque manual, mas, ao mesmo tempo, cria alguns problemas para um público bem específico: atletas e praticantes regulares de atividades físicas.

Acontece que "massagem" passou a fazer parte do vocabulário cotidiano por razão da feliz e crescente popularidade que o estilo de vida saudável desperta nos centros urbanos. Em resposta aos perigos do sedentarismo, observamos um sem número de ginásticas, musculações e diversas modalidades de atividades físicas frutificarem nas academias, clubes e mesmo em algumas boas empresas. A cultura da boa forma está cada vez mais presente em nossas vidas e a figura do massagista - ou massoterapeuta - é evidente em grande parte através do esporte, via jogadores de futebol, ginastas, corredores e tantos outros profissionais que terminamos por conhecer através da televisão, nas competições locais e internacionais.

Percebo, principalmente em razão do "olhar fisioterapêutico", que a combinação da palavra "massagem" com a palavra "Shiatsu" gera um conflito nos praticantes de atividade física. A dúvida "o Shiatsu é indicado no meu caso?" se confunde com as diversas matérias dissonantes que tanto abordam a massagem de uma forma positiva quanto sob um alerta emblemático.

Diferenças entre massagem e Shiatsu

A massagem, por ser objeto de estudo e crítica científica no ocidente há bastante tempo, acaba revelando diversos ângulos, abordados por diversas metodologias, pela disposição de diferentes pesquisadores num acumulado de dados e informações que está longe de ser homogêneo ou constituir unanimidade. É exatamente como deve evoluir qualquer tema investigado pela ciência, que é sempre um processo em construção.

Por outro lado temos o Shiatsu, que é uma terapia fundamentada na milenar Medicina Tradicional Chinesa. A técnica é utilizada, por exemplo, por gerações de mestres de artes marciais e treinadores de competições olímpicas, a fim de efetivamente tratar lesões e criar vantagem competitiva em seus atletas. Isso é resultado de uma sabedoria e uma cultura basicamente empírica, ou seja, que se sustenta a partir de resultados práticos.

A união das duas palavras - massagem e Shiatsu - tem um efeito ambíguo para um público naturalmente antenado com as divulgações científicas e acostumado a buscar informações nas publicações especializadas. Espero que este artigo ajude a separar as coisas e a mostrar porque essa separação é importante, na intenção de que os adeptos da boa forma possam fazer suas escolhas de uma maneira mais tranquila e de uma forma mais orientada às suas metas pessoais.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Gustavo Lunz

Acupunturista e shiatsuterapeuta pela Academia Brasileira de Artes e Ciências Orientais. Graduando em Fisioterapia, atua em programas empresariais de qualidade de vida. Saiba mais »

contato: gustavo.lunz@gmail.com
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS