Carregando pagina

Amor > Ciúmes e Traição

Será que meu amor vai ficar comigo?

Saiba como fazer escolhas dentro de um triângulo amoroso

 

No artigo anterior, refletimos sobre as responsabilidades de quem vive um triângulo amoroso. Agora é hora de dar sequência a esta reflexão, avaliando os sentimentos envolvidos. Se a outra pessoa não termina o outro relacionamento é nossa escolha continuar com ela ou não. Se ela diz que vai terminar e não termina, é nossa escolha continuar apostando no relacionamento, ou não. Estamos dispostos a bancar essa situação? São riscos e escolhas.

Precisamos aprender a ser responsáveis e conscientes em relação às nossas escolhas, independente dos outros. Tomamos nossas decisões de coração, fazemos a nossa parte, mas depois deixamos os resultados fluírem, com a consciência tranquila de que, sejam eles quais forem, nós escolhemos o que queríamos de verdade. Mais importante do que ter o relacionamento é termos a certeza de que fizemos aquilo que acreditamos de coração, que seguimos a nossa verdade interior.

Viver na verdade traz resultados de verdade. Pode ser difícil lidar, mas ao menos ela nos traz crescimento e leveza. Viver na tentativa de controle e manipulação, e na falsa esperança da ilusão traz resultados nem sempre confiáveis, tendo sempre como pano de fundo um clima de ansiedade e tensão. A verdade sempre aparece, em horas, dias, meses ou anos. Podemos bancar o risco de viver uma expectativa, isso também é uma escolha, mas é preciso estar plenamente consciente disso.

Não há certo ou errado, mas escolhas e consequências"Não há certo ou errado, mas escolhas e consequências"

. Não podemos controlar o que vai acontecer, mas podemos nos preparar para lidar com as consequências, independente de quais sejam elas. Com isso, aprendemos a fazer escolhas que levem a resultados cada vez mais positivos, melhorando nossa qualidade de vida permanentemente.

É importante aceitar os fatos como eles são e fazer escolhas com base naquilo que temos de real no momento, apostando no futuro, mas cientes de que o futuro é uma aposta, um risco que escolhemos se queremos bancar ou não.

Decida ser feliz, sempre!

Se queremos viver de bem com nós mesmos, é preciso aprender a nos responsabilizar por nossas escolhas - com todos os seus aspectos positivos e negativos. Isso gera um contínuo amadurecimento, no qual aprendemos a lidar com nossas decisões sem fugir das responsabilidades geradas por cada uma delas.

Novamente: não existe escolha certa ou errada, mas aquela que fazemos e bancamos, aquela com a qual escolhemos aprender. Portanto, a pergunta do título, "será que meu amor vai ficar comigo", pode ser substituída por "será que meu conhecimento e amor por mim mesmo são fortes o suficiente para lidar com a situação, independente do resultado?".

Todas as situações e pessoas em nossas vidas refletem a qualidade de energia que está em nós. Se algo é desarmonioso lá fora, nos gerando sentimentos desagradáveis, alguma energia desequilibrada dentro de nós está envolvida na questão. Cabe a nós aprendermos a interpretar quais sentimentos e padrões distorcidos essas situações lá fora indicam e sinalizam aqui dentro.

Quanto mais nos trabalhamos e nos conhecemos, mais fácil fica lidar com nós mesmos e com todas as situações de nossa vida. Por isso, o trabalho de autoconhecimento é tão importante, pois nos ajuda a ter mais consciência dos nossos limites, do quanto aguentamos e estamos dispostos a nos arriscar. Proporciona mais base para fazermos nossas escolhas, de forma independente do outro. Ao equilibrar nossos padrões, aprimoramos nossas escolhas, até que nos coloquemos em situações e relacionamentos cada vez mais saudáveis.

Conscientização

Vou colocar algumas perguntas para reflexão. Procure perceber, com bastante sinceridade e sem se julgar, quais sentimentos e motivações lhe colocam nesse relacionamento. Conscientize-se das energias (sentimentos, crenças, pensamentos) que motivam suas atitudes e escolhas.

Experimente fazer essas perguntas para si mesmo de forma meditativa.Coloque-se em um local tranquilo, sem outras pessoas ou barulhos que lhe distraiam. Você pode colocar uma música calma e outros recursos que lhe ajudem a acalmar-se. Respire fundo e foque-se apenas em sua respiração, até perceber que já está mais relaxado e sua mente está mais tranquila. Então leia as seguintes perguntas e feche os olhos. Ao invés de começar a pensar e procurar as respostas, apenas procure perceber os sentimentos que vêm. Deixe que as respostas venham através de suas emoções, sem julgá-las.

  • Estou realmente feliz?
  • Quais sentimentos meu relacionamento gera?
  • Quais sentimentos mais profundos efetivamente me movem a continuar o relacionamento? Quero ficar com o(a) parceiro(a) ou preciso que ele (ela) fique?
  • Existe algum medo envolvido em minhas decisões?
  • Noto algum tipo de situação parecida em outros relacionamentos anteriores?
  • Por que me envolvi em um relacionamento como esse?
  • Tenho tendência a atrair amores platônicos e complicados?
  • Gosto do clima de competição criado pelo triângulo amoroso?
  • Preciso aprender a me arriscar?
  • Prefiro ficar em um zona de conforto que me garanta que o relacionamento não vai se aprofundar?
  • Gosto de ter obstáculos que freiam o meu sentimento de criar maiores expectativas?
  • O que aprendo sobre mim mesmo nesse relacionamento?

Releia o primeiro artigo - Vivo um triângulo amoroso

Conheça o livro Para que o Amor Aconteça e entenda como determinadas atitudes influenciam sua vida amorosa.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Ceci Akamatsu

Terapeuta acquântica, faz atendimentos presenciais no Rio de Janeiro, em São Paulo e à distância. É a autora do livro Para que o Amor Aconteça, da Coleção Personare.  Saiba mais »

contato: ceciakamatsu@gmail.com
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS