Carregando pagina

Beleza > Estética

Riscos de fazer química em casa

Tinturas e alisamentos caseiros oferecem perigo aos cabelos

 

Amanhã, 3 de novembro, comemora-se o Dia do Cabeleireiro. Quem anda fugindo desses profissionais, pois gosta de submeter os cabelos a processos químicos caseiros, como tinturas e alisamentos, reunimos algumas dicas.

Quando feitos em casa, geralmente esses métodos ocasionam ressecamento, perda de brilho e maciez das madeixas. De acordo com o visagista capilar e consultor de imagem pessoal, Maurício Rocha, todo processo químico provoca uma transformação no cabelo e é preciso cuidado na hora de usar este tipo de substância.

"A química precisa penetrar no fio para agir e por isso mexe com sua estrutura natural. Quando este tipo de método é feito de maneira incorreta, o córtex, que é a parte do cabelo responsável pela elasticidade, fica danificado, deixando os cabelos sem forma. Esse é o maior dano que uma ação química pode causar", detalha Mauricio.

Tinturas caseiras

O especialista acredita que o erro mais comum que as pessoas cometem ao tingir os cabelos em casa é acreditar que os fios ficarão com a mesma tonalidade da cor indicada na caixa da tintura. "As madeixas e as colorações têm pigmentos naturais. Na hora de pintar os fios é importante pensar na cor desejada e avaliar quais tons artificiais que, somados aos pigmentos naturais do cabelo, oferecerão o tom desejado. Por este motivo, uma mesma tinta pode ter resultado diferente em cada pessoa", explica o visagista.

Outro erro recorrente na hora de tingir os fios é a reaplicação da tinta antes do tempo mínimo de 30 dias recomendado. Muita gente reaplica um tonalizante para tentar alcançar a cor desejada ou corrigir o efeito de um usado anteriormente. Para o especialista, este tipo de procedimento compromete a saúde dos fios, deixando-os ressecados e sem brilho.

"Quando um cabelo já tem tintura, a pessoa deve lembrar que tinta não clareia tinta. Ou seja, quem pintou os fios com um tom castanho avermelhadoe decidiu ficar loiro, por exemplo, não adianta usar tinta mais clara nos fios por que o resultado não será o esperado. Nesse caso, é preciso fazer um processo químico chamado decapagem, que é similar à descoloração. Enquanto o último é feito em cabelos virgens, naturais ou com reflexos e luzes, a decapagem é um procedimento que exige conhecimento técnico, pois remove o pigmento artificial dos fios. É papel do profissional saber o grau de clareamento que o cabelo precisa para atingir a cor desejada", explica.

No entanto, se você não abre mão de pintar os cabelos em casa, confira algumas dicas para proteger os fios:

  • Para prevenir manchas na pele na hora de aplicar a coloração, uma boa dica é usar creme de barbear para proteger a pele. A opção é eficaz e barata.
  • Ao aplicar a coloração, peça ajuda de alguém. Isso evita que o cabelo fique com falhas nas regiões que você não consegue ver ou alcançar.
  • Siga as instruções do fabricante, que são expostas na embalagem. Dependendo da marca, existe diferença no modo de aplicar o produto, na quantidade de tinta, no tempo de permanência no cabelo, etc.
  • O recipiente usado para misturar a tintura deve ser de plástico e não de metal. A química contida no metal não permite que a coloração aja como deveria nos fios.
  • Na hora de tirar a tintura, é importante ter atenção. Não entre diretamente no chuveiro, pois a pressão da água retira a tinta. O ideal é molhar os fios aos poucos para amolecer a coloração, e fazer massagens suaves no couro cabeludo. Essa técnica ajuda a tinta do cabelo, da pele e do couro cabeludo. Depois disso, basta lavar o cabelo normalmente, optando por shampoos e condicionadores para fios quimicamente tratados e, de preferência, sem sal.

Alisamentos

No caso dos alisamentos, os danos de um processo caseiro podem ser ainda mais fortes. De acordo com o visagista capilar, quando você modifica a forma do fio com alisamentos, escovas progressivas ou relaxamento, está deformando as madeixas de modo permanente, deixando a fibra capilar sem elasticidade. Além disso, também pode ocasionar perda dos fios por queda e quebra, além do surgimento de feridas no couro cabeludo.

"É importante conhecer os princípios ativos que compõem a química. Os mais comuns no mercado são tioglicolato de amônia, hidróxido de sódio, hidróxido de cálcio, carbonato de guanidina e tioglicolato de monoetanolamina. Cada um deve ser aplicado de uma maneira e age de forma diferente no cabelo", esclarece o especialista.

Vale lembrar que alisamentos e relaxamentos podem não ser compatíveis com as colorações e muitos sequer podem ser feitos no mesmo dia. Em caso de dúvidas, é importante consultar um especialista para orientar a respeito de qual alisamento é mais compatível com determinada coloração e vice-versa. Outro restrição em relação aos alisamentos tem a ver com a estrutura dos cabelos.

"Se o fio está sensível e precisando de tratamento, mesmo sendo natural e virgem, o alisamento pode enfraquecer ainda mais as madeixas. Um cabelo fino é geralmente menos resistente do que os outros tipos. Neste fio os produtos químicos penetram mais rápido, portanto precisam de uma atenção maior", ressalta Mauricio.

Quem arriscou fazer um procedimento químico em casa e agora sofre com os fios detonados, pode amenizar os danos com linhas de tratamento para cabelos quimicamente tratados. Cremes sem enxágue e de tratamento noturno podem dar vida novamente às madeixas danificadas.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Equipe Personare

Nós, da equipe Personare, também estamos em um processo constante de conhecimento sobre nós mesmos, sobre o mundo e sobre as relações humanas. Saiba mais »

contato: conteudo@personare.com.br
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS