Carregando pagina

Você > Autoconhecimento

Qual é o sabor da sua vida?

Se certas coisas andam sem gosto ou amargas demais, saiba temperá-las

 

Você já reparou como, sem perceber, nós colocamos "sabor" nas pessoas e também nas situações que vivemos?

"A Ana é um "doce" de pessoa."

"Hoje o Carlos acordou "azedo".

"Angela fez um comentário "ácido" sobre aquele fato."

"Juliano parece ser uma pessoa "amarga."

Nossos sentidos são acionados desde o momento em que nascemos e são constantemente estimulados. Também através deles nossa percepção de mundo é registrada na memória. Os aromas nos remetem a vivências específicas. Basta o apelo de um perfume ou do cheirinho de um molho de macarrão para que nos lembremos daquela tia querida ou da "comida da minha avó".

Sentidos mágicos

A memória tátil é acionada tanto pela textura de um tecido como pela temperatura ambiente ou a da água de um banho. A visual pode nos remeter a uma história inteira vivida "numa casinha tão parecida com aquela em que eu morei no interior" ou àquele romance que deixou saudade quando vemos um desconhecido que nos lembra alguém especial.

E o que dizer da audição? São inúmeras as músicas que promovem verdadeiras viagens no tempo: uma gargalhada gostosa, uma vinheta - acabo de me lembrar do tema das vitórias do Ayrton Senna, que tem gosto de tantas tardes de domingo...

Todos os sentidos são tão mágicos e na maioria das vezes passam ao largo da consciência. Porque a associação com fatos ou pessoas é praticamente imediata e logo ficamos ligados nas histórias e não nos sentidos.

Mas, e o paladar? O primeiro "alimento afetivo" fundamental para nossa sobrevivência é o leite. O bebê quer mamar, precisa saciar sua fome. Sem esse alimento não há como experimentar os outros sentidos.Conforme amadurecemos nosso paladar, passamos a apreciar novos sabores.

Exercício saboroso

Uma forma bem lúdica e interessante de avaliarmos os diversos setores da nossa vida, é fazer um exercício de imaginação, procurando associar esses "pilares" sobre os quais a vida se sustenta a sabores de alimentos.

Quando você tem um desafio pela frente, ele tem gosto de quê? É uma sensação cítrica? Quando você conquista aquela promoção, esse gosto é quente ou frio? Seu casamento lhe remete a qual sabor? E uma tarde com os amigos? Faça uma lista dos pilares nos quais sua vida se apoia:

  • relacionamento afetivo
  • família
  • amigos
  • profissão
  • filhos
  • espiritualidade
  • lazer
  • sexo
  • cultura
  • cuidados com o corpo
  • saúde
  • cidadania

Tente associar a cada pilar um tipo de alimento, um prato predileto ou um que você não gosta, uma temperatura. Observe a sensação de bem-estar ou mal estar que você experimenta.

Por exemplo:

  • Quando termino de ler um livro, a sensação é a de que acabei de comer um suspiro.
  • Quando tomo um banho demorado parece que comi uma salada de frutas
  • Brincar com meus filhos é como tomar um sorvete de morango.

Dieta afetiva equilibrada

Em qual departamento está faltando açúcar? Qual deles está melado ou amargo demais? Onde é que falta pimenta? O cítrico estimulante está presente? E o morno sonolento?

Com que sabor eu gostaria de deixar meu relacionamento? E o que eu posso fazer para acrescentar este ou aquele ingrediente?

Esse exercício pode ser revelador, você pode descobrir que precisa ativar setores de sua vida que não tem gosto de nada ou perceber que alguns temas estão sobrecarregados de tempero, roubando a essência natural daquele "alimento".

Uma "dieta afetiva" equilibrada certamente pode colocar mais sabor em sua vida e colaborar muito para sua saúde emocional. Experimente!

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Celia Lima

Psicoterapeuta Holística, utiliza florais e técnicas da psicossíntese como apoio ao processo terapêutico. Presta atendimento individual e em grupo, e serviços de mentoring pessoal e profissional. Saiba mais »

contato: celiacalima@gmail.com
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS