Carregando pagina

Saúde > Prevenção e Cuidados

Preserve a saúde bucal durante a Páscoa

É possível ter dentes saudáveis, sem deixar o chocolate de lado

 

A Páscoa, muito provavelmente, é a época do ano que os amantes dos doces mais gostam. As lojas ficam cheias de ovos, caixas de bombons e barras de chocolate, fazendo com que seja praticamente impossível não se deparar com uma vitrine bem gostosa em uma caminhada simples pelo bairro. Com o incentivo da data e a facilidade para encontrar o chocolate, muitas pessoas acabam exagerando na dose e esquecem dos cuidados que precisam ter com os dentes.

Segundo o Drº. Normando Scarabotto, cirurgião-dentista e membro da American Dental Association (ADA), o que incentiva a formação da cárie é o ato de comer o chocolate muitas vezes ao dia - e não a quantidade ingerida. "Para a pessoa manter a boca saudável, ela precisa controlar sua alimentação antes de qualquer coisa. A dica para a Páscoa é escolher um horário específico para comer o chocolate. Não importa a quantidade que será ingerida, já que não é este o fator que aumenta o risco da cárie. Isso acontece porque a placa bacteriana atua na boca sempre que uma refeição é feita. Quando a placa atinge uma área específica do dente, pode dar origem à cárie", explica Normando.

É necessário ter a mesma preocupação com as crianças. Assim como os adultos, elas também devem ter um horário no dia para comer os bombons ou os pedaços do ovo de chocolate, sem esquecer de escovar os dentes logo depois de mastigar o doce. "Na Páscoa, as crianças podem comer chocolate ou qualquer outro doce, desde que o façam somente uma vez ao dia. Os pais devem ficar atentos a esta necessidade, para evitar a estimulação da placa bacteriana", alerta o dentista.

Escolhendo o melhor chocolate

Ainda de acordo com o especialista, o chocolate meio amargo é o mais indicado para comer. Como a concentração de cacau é grande neste tipo de doce - e a adição de açúcar não é tanta como nos outros chocolates - ele não causa muitos danos aos dentes. O chocolate branco não possui cacau em sua fórmula e tem uma alta concentração de açúcar, sendo o menos indicado para o consumo.

"Outro tipo de chocolate pouco indicado são aqueles com caramelo ou qualquer outro tipo de recheio grudento. O recheio tem grande chance de grudar no dente e, durante a escovação, a escova pode não alcançar determinadas partes. Isso acaba aumentando a chance de cárie", esclarece Scarabotto.

Quem usa aparelho deve prestar ainda mais atenção na hora de escolher o chocolate, dando prioridade aos tipos sem recheios moles - para que não acabem grudando na estrutura do aparelho. "Além disso, por causa da higienização, as pessoas que usam aparelho devem comer o mínimo de chocolate possível", aconselha o especialista.

Normando ainda reforça que a escovação dos dentes deve ser feita o mais rápido possível depois da alimentação. Quanto mais tempo os resquícios do alimento permanecerem na boca, mais chances a pessoa tem de desenvolver a cárie. "Cada vez que os dentes são escovados, a placa bacteriana retorna ao seu formato normal, saindo da superfície dos dentes. Por isso a escovação deve ocorrer até duas horas após a ingestão do chocolate. Caso passe deste período, a placa já não é retirada com muita facilidade e pode acabar ficando presa no dente, propiciando o surgimento da cárie", alerta o especialista.

Escovação deve durar no mínimo cinco minutos

Para quem não quer arriscar comer chocolate, mas ainda assim deseja ingerir algum doce no feriado, as frutas podem ser uma boa opção. Elas costumam saciar a vontade de comer algo adocicado e são bem menos prejudiciais que os doces industrializados. "Sempre que a pessoa puder, ela deve deixar os doces de lado e optar por uma maçã, pera ou qualquer outra fruta de sua preferência, já que elas não estimulam a formação da cárie", explica Normando.

Para o dentista, fazer a escovação durar por alguns minutos é o segredo para uma limpeza mais eficaz. "A forma correta de escovar os dentes consiste em não usar a escova com força, mas priorizar o tempo da escovação. O ideal seria uma escovação de cinco minutos, feita uma vez por dia, enquanto as outras escovações poderiam ser feitas somente para retirar os resíduos", ressalta Scarabotto.

Além disso, exagerar na pasta de dente não é aconselhável. Como os componentes do produto fazem a boca arder depois de algum tempo, as pessoas acabam terminando o processo de escovar os dentes mais cedo do que deveriam. O frescor proporcionado pela pasta também acaba dando a falsa impressão de que os dentes já estão limpos, quando na verdade ainda pode ter placa bacteriana neles.

Fio dental reduz chances de formação do tártaro

Mesmo prestando atenção no que come e fazendo uma escovação mais longa, o uso do fio dental ainda é indispensável. É ele quem irá limpar regiões dos dentes que as cerdas das escovas não conseguem alcançar. "É necessário lembrar que a placa bacteriana consegue se formar em todos os lugares, mesmo os mais escondidos. O fio dental reduz a formação do tártaro - semelhante a uma malha feita de bactérias que cobre os dentes. Essa malha é bem resistente e não se rompe com facilidade, mas o fio dental desestrutura a composição do tártaro, pois impede que a malha seja formada", finaliza o dentista.

Para continuar refletindo sobre o tema

Escovar os dentes protege o coração

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Equipe Personare

Nós, da equipe Personare, também estamos em um processo constante de conhecimento sobre nós mesmos, sobre o mundo e sobre as relações humanas. Saiba mais »

contato: conteudo@personare.com.br
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS