Carolina Beltrão
Por Carolina BeltrãoLeia em 2 min.09/10/2015 Atualizado em 20/04/2018
Parto humanizado oferece mais nutrientes e segurança ao bebê

Parto humanizado oferece mais nutrientes e segurança ao bebê

Benefícios acompanham criança durante todo o seu desenvolvimento

Sabe quando você está num sono leve, tranquilo, profundo, daqueles que parecem nutrir o corpo e a mente? Uma delícia! Agora, imagine se, de repente, alguém abre a porta do seu quarto com tudo, puxa a cortina e bate aquela luz na sua cara, tirando você da sua cama quentinha e confortável. Assustador e desconfortante, não é mesmo? E se eu disser que essa é a primeira experiência que temos ao nascer, caso nossas mães não tenham planejado um parto humanizado?

A gestação e o parto são momentos únicos para a mãe e o bebê. É uma ação da natureza na qual dois corpos se transformam em um só. E o nascimento, quando acontece da forma que o corpo deseja, traz benefícios que acompanham o bebê durante todo o seu desenvolvimento, e a mãe em todo processo do parto e puerpério (nome dado à fase de pós-parto).

Corte imediato do cordão umbilical no parto impede transmissão de nutrientes

Uma das coisas mais importantes do parto humanizado é entender que mãe e o bebê são protagonistas e merecem todo o respeito para que tenham um momento agradável e saudável. Um ponto importante é que a humanização não é apenas para partos por via vaginal. Como citado, o parto humanizado é todo aquele que respeita o bebê e empodera a mulher. Neste caso, podemos ter cirurgias cesarianas humanizadas e parto normais sem nenhuma humanização. O que as difere são as intervenções que são realizadas durante o processo.

Os partos considerados não humanizados tratam mães e bebês com desrespeito, nos quais são feitas diversas intervenções, entre elas o corte do cordão precoce e a retirada imediata do bebê do convívio da mãe, os quais causam prejuízos para ambos.

Os partos considerados não humanizados tratam mães e bebês com desrespeito

Na primeira hora do nascimento, conhecida como “hora de ouro”, o recém-nascido está desperto, com os olhos abertos e com reflexos de sucção e procura pelo peito materno. Após este período o bebê entra em um estado de sonolência excessiva. É comum em partos sem humanização que, logo depois de nascer, o bebê seja levado para um ambiente longe da mãe e retorne algumas horas depois, perdendo este momento de familiarização com o peito materno.

Por isso, futuras mamães, façam com que este momento se torne especial e respeite o tempo do seu bebê, assim estará garantindo que ele tenha um desenvolvimento sadio.

Carolina Beltrão

Carolina Beltrão

Doula e Consultora de Aleitamento Materno. Consultas de pré parto, participa de partos hospitalares e domiciliar e auxilia no pós parto. Atendimentos: carol_beltrao@hotmail.com