Carregando pagina

Saúde

Parar de fumar realmente engorda?

Entenda como ficar sem o cigarro e evitar quilinhos extras

 

Nesta quinta-feira (29) é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Fumo. Entre tantos apelos para largar o hábito, muitos fumantes consideram os inúmeros malefícios à saúde, mas ficam com medo de engordar. Será que é verdade?

O cigarro aumenta o metabolismo, ou seja, aumenta o gasto de calorias em cerca de 10%. Para ter uma ideia, uma mulher de 60 kg que para manter o peso necessita de 2000 calorias, enquanto fuma gasta cerca de 2200. Essas 200 calorias a mais no dia correspondem a até 3 porções de frutas ou à uma fatia de um bolo de chocolate.

Sendo assim, é necessário que a pessoa diminua a ingestão de alimentos para não engordar quando parar de fumar. Outros fatores emocionais que podem aumentar o peso também estão relacionados à parte emocional de ficar sem o cigarro, como insônia (e lanchinhos de madrugada) e a ansiedade.

O que acontece também é que após dois dias sem cigarro, já é possível sentir diferença no paladar e o olfato.O muco diminui, então a pessoa sente mais sabor e acha a comida mais gostosa do que o normal.

O cigarro também compete com a absorção de nutrientes, então é bem provável que a pessoa fumante esteja com falta de vitaminas no organismo. Saiba que cada cigarro "destrói" 50 mg de vitamina C, o que corresponde a uma laranja. Esta deficiência de vitaminas pode trazer consequências ao organismo a longo prazo, como sangramento gengival, baixa imunológica, maior propensão à doenças, etc.

Decidi parar de fumar. O que devo fazer?

Dicas práticas:

  • Realize refeições com intervalos regulares, para não ficar ainda mais ansioso. Isso inclui: café da manhã, lanche da manhã (se necessário), almoço, lanche da tarde, jantar e lanche da noite.
  • Se possível, durma antes da meia noite, pois o nosso corpo se prepara para o sono das 21h até 23h30. Depois desse horário fica mais difícil de dormir. O hormônio Gh funciona com pico na madrugada e a importância deste hormônio é a renovação celular, bem como da melatonina.
  • Verifique com o médico ou nutricionista a necessidade de prescrição vitamínica. Pode ser de complexos ou à base de algas.
  • Capriche em hortaliças, principalmente vegetais verde-escuros (ricos em vitamina C e minerais), como a couve, agrião e brócolis.
  • Nos lanches, prefira frutas frescas ou varie com iogurtes, bolachas integrais, pão integral com queijo branco, tomate e orégano.os lanches, prefira frutas frescas ou varie com iogurtes, bolachas integrais, pão integral com queijo branco, tomate e orégano.
  • Alimentos com triptofano são precursores de serotonina, que causam bem-estar e diminuem a ansiedade. São eles: leite, iogurte, cacau em pó, banana nanica.
  • Sugestão para o lanche da tarde ou da noite: leite aquecido com uma colher de chá com cacau e uma pitada de canela. Colocar adoçante ou açúcar à gosto. Outra opção é cozinhar uma banana nanica com água até cobri-la e uma pitada de canela. Quando a banana estiver cozida colocar na água uma colher de sobremesa de cacau e adoçar a gosto. Comer a banana com a calda quente logo em seguida.
  • Para aliviar a tensão, consuma alimentos crocantes e com baixo valor calórico como picles, palitos de legumes (salsão, erva-doce, cenoura, palmito e pepinos), balas e chicletes sem açúcar.

Lembre-se: é importante o apoio de um médico e um nutricionista para que você sinta-se amparado nesta mudança e possa conseguir o seu objetivo.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Amanda Regina

Nutricionista especialista em "Personal Diet" e Nutrição ampliada pela Antroposofia. Atua em consultório, escolas e ensinando pessoas a cozinhar de uma maneira mais saudável. Saiba mais »

contato: amandasregina@gmail.com
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS