Simone Kobayashi
Por Simone KobayashiLeia em 3 min.16/06/2014 

Os Chakras menos conhecidos

Conheça centros de energia secundários que também equilibram corpo

Temos milhares de centros energéticos espalhados pelo nosso corpo físico. Os maiores e principais são chamados de Chakras. Os Vedas (textos sagrados do Hinduismo, escritos há aproximadamente 1.500 a.c) já descreviam os Chakras e suas características principais. Para entender melhor, imagine que esses centros são como portas de vai-e-vem pelas quais enviamos nossa energia para ambientes e pessoas – ou vice-versa. Neste artigo abordamos os significados dos sete Chakras principais e agora falaremos dos secundários.

Dos Chakras principais partem alguns caminhos, como se fossem riachos de energia, distribuindo-a pelos centros secundários. Se o Chakra principal estiver desequilibrado, os secundários ligados a ele também estarão em desequilíbrio. Então, para harmonizar os centros de energia do corpo, a pessoa sempre pode começar pelos sete principais. Para isso, podemos utilizar várias ferramentas terapêuticas, como Meditação, visualização criativa e cristais. Esses recursos ampliam a nossa energia e nos beneficiam com as características vibracionais do estímulo escolhido, como cores, mandalas e pedras.

No nosso dia a dia, esses desequilíbrios energéticos podem ser percebidos como insatisfações, preocupações excessivas, alteração no sono, excesso de impulsividade, infelicidade, ou seja, tudo que nos tira do equilíbrio.

Normalmente o que nos faz sofrer, de um jeito ou de outro (pelo excesso ou pela falta), é o que precisamos equilibrar.

Na Terapia Holística, enxergamos o negativo e a crise como parte de um processo, o início de um movimento de aperfeiçoamento. Isso significa que o desequilíbrio não é de todo ruim, já que sinaliza onde temos e podemos melhorar.

A maneira ideal de saber como estão nossos Chakras é por meio do autoconhecimento. Mas para quem acha a autoanálise um exercício difícil, existem algumas ferramentas que ajudam a perceber esses desequilíbrios e podem ser colocadas em prática na consulta com um terapeuta holístico: a interpretação energética por meio de questionário e conversa sobre a situação, assim como a medição dos Chakras pela radiestesia, pode ser muito eficiente, dentre várias outras formas. Esses métodos mapeiam o que não está em harmonia.

Conheça abaixo seis Chakras secundários, descubra onde estão localizados e confira dicas para harmonizá-los.

Chakra das Mãos

Localizado no centro das palmas das mãos, não tem cor específica e é o mais fácil de ser desenvolvido. Apesar de secundário, é um Chakra importantíssimo, como podemos ver em técnicas de energização e equilíbrio como o Reiki – técnica japonesa de canalização de energia, passada através da imposição das mãos. Coordenado pelas emoções e intenções, é um canal direto através do qual podemos passar energia consciente.

Para ativar este Chakra com a energia cósmica, basta esfregar as palmas das mãos uma na outra. No momento em que fazemos isso, sentimos um calor ou um formigamento no local. Podemos fazer este gesto para buscar o bem-estar do outro ou o nosso próprio, assim como para aliviar uma dor ou angústia. Em todos esses casos, mentalize sua intenção enquanto ativa este Chakra.

Lembrete: sempre que mentalizar intenções para outra pessoa, depois de enviar a energia a ela, lave bem as mãos com água e sabão para desconectar sua energia do outro.

Chakra dos Pés

Está localizado nas solas dos pés e sua finalidade principal é descarregar o excesso energético gerado no nosso dia a dia, como também a absorção da energia de aterramento – que faz a gente se sentir enraizado e seguro. Tem relação com a “mãe terra” e a estabilidade em geral.

O Chakra dos pés tem ligação com o Chakra Básico (localizado na altura dos órgãos genitais) e todo o conceito de sobrevivência, segurança e força. Uma boa dica para equilibrar os Chakras dos pés é ter contato com a natureza, andando descalço na terra, grama ou areia.

Chakra dos Joelhos

Atua como um transformador, regulando a quantidade de energia telúrica (da Terra) que deve entrar no corpo. Regula nossa forma de lidar com a flexibilidade e com grandes quantidades de energia.

E nada é melhor para lidar com a flexibilidade do que alongar-se. Sendo assim, para equilibrar esse Chakra é essencial praticar alongamento.

Chakra dos Tornozelos

Lida com a nossa flexibilidade de ficarmos centrados durante as mudanças na vida e nos ajuda mais especificamente a desenvolver o “jogo de cintura” necessário para “ganhar” a vida.

Para harmonizar esse Chakra, além de fazer alongamento (também indicado para equilibrar os Chakras dos joelhos), é preciso focar também no senso de equilíbrio.

Chakras Yin/Yang

Estão localizados no centro de cada ombro e posicionados para que as energias sejam corretamente direcionadas. São Chakras de energias cooperativas, complementares e correlatas: energia ascendente (Yang) e energia descendente (Yin), acumulação de substância (Yin) e processamento dessas substâncias por meio da atividade corporal (Yang).

Determinadas partes do corpo e órgãos internos correspondem ao Yin, enquanto outras se relacionam ao Yang. A parte superior do corpo, por exemplo, é considerada fundamentalmente Yang, enquanto a parte inferior é Yin. Já as extremidades são Yang e as partes internas são Yin.

Vale reforçar que Yin e Yang são formas diferentes de energia, sem a conotação de “bom” ou “ruim”. São simplesmente formas diferentes, interdependentes e complementares (não opositoras), como o dia e a noite. A mudança e o movimento são relacionados a esses Chakras. Para ativá-los, é preciso analisar em quais circunstâncias estamos sendo rígidos e resistentes às mudanças e trabalhar a aceitação. Um exercício físico ou modalidade que exija movimento e fluidez física também ajuda muito.

Chakra do Timo

Apesar de pouco conhecido, o Chakra do Timo não é considerado secundário, pois é muito importante. Ele é associado à consciência e energia de ascensão e elevação. Localiza-se entre o Chakra Cardíaco (localizado na altura do coração) e o Laríngeo (localizado na altura da garganta). Para encontrá-lo, na linha média do corpo, abra a sua mão e posicione seu polegar no meio da sua garganta e o seu dedo mínimo entre os seios. O Timo fica na altura do seu dedo médio.

Pensamentos e sentimentos negativos enfraquecem e prejudicam a imunidade física e energética deste Chakra. Em compensação, crenças e emoções positivas conseguem estimulá-lo e ativar todas as suas capacidades. Vigiar a qualidade dos pensamentos e sentimentos, mudando-os quando estão negativos, é a maneira de ativar o Chakra do Timo. Isso exige treino e prática diária, mas o resultado é recompensador.

Simone Kobayashi

Simone Kobayashi

Terapeuta Holística atuante em São Paulo e OnLine. Dedica sua vida profissional à junção de técnicas terapêuticas como o Reiki, Florais, Acupuntura, Análise Energética, Limpeza Energética, Harmonização, Barras de Access e Cura quântica.