Carregando pagina

Beleza > Estética

O guia das escovas alisantes

Entenda as diferenças entre as técnicas progressiva, marroquina e mais

 

Quem já não se deparou frente ao espelho e quis mudar algo em sua aparência, a começar pelos cabelos? Dizem que nossos cabelos são a moldura do rosto. E é a mais pura verdade! Neste sentido, muita gente vem investindo em fios mais lisos, por meio das chamadas escovas para alisamento.

Geralmente as escovas são procuradas nos salões de beleza pelos consumidores para redução de volume. Mas hoje em dia temos uma variedade deste tipo de procedimento, que pode tratar, alisar, e hidratar os fios. No entanto, é importante ter cuidado na hora de investir neste tipo de química. Procure a ajuda de um profissional especializado na área, que saberá os tratamentos mais apropriados ao nosso tipo de cabelo.

Desvendando os tipos de escova

  • Escova Inteligente: é menos tóxica e pode ser considerada um tratamento. Ao contrário de outros, esse procedimento permite que os cabelos sejam lavados no mesmo dia da aplicação. No entanto, não alisa as madeixas de uma só vez e precisa de algumas sessões para os cabelos mais ondulados. Em alguns casos, a pessoa pode sentir que os fios ficarem menos maleáveis. A escova inteligente não faz uso do formol e geralmente é feita por meio de uma combinação com queratina, proteínas da seda, argila e cacau.
  • Escova Marroquina: não possui formol, é composta por argila branca e cacau, tem cheirinho de baunilha e hidrata os fios, mas sem alisá-los completamente. Pode ser usada sem problemas por quem fez alisamento ou possui reflexo. Neste caso, os cabelos são lavados somente no dia seguinte e o efeito dura de três a cinco meses.
  • Escova Progressiva: é potente e dura mais do que as outras escovas. Mas não costuma ser muito recomendada pela porcentagem elevada de formol, o que pode acarretar oleosidade, intoxicações e alergias nos fios, além do potencial para o aparecimento do câncer.
  • Escovas de Frutas (morango, maracujá e frutas vermelhas): são as mais recomendadas, tendo em vista que hidratam sem estragar ou danificar os fios. No entanto, não é ideal para as loiras, pois os cabelos claros podem absorver a pigmentação do creme e da calda da escova, manchando as madeixas.
  • Escova definitiva: como o próprio nome diz, o efeito dessa escova só sai quando os fios crescem e/ou são cortados. Uma observação válida é que não é recomendada a aplicação da escova em partes que já receberam o tratamento anteriormente, pois pode comprometer os fios.

Restaure a saúde dos fios

Para quem já está com a cabeça feita e quer voltar atrás, só é possível reverter aos poucos o processo de alisamento. Cabelos muito enrolados, por exemplo, não vão ficar completamente lisos, mas sim com cachos mais abertos e bem formados. Lavar os cabelos diariamente ajuda a fazer com que eles voltem ao seu estado quase original. Devem-se tomar cuidados também na escolha do shampoo. Os produtos com sal podem prejudicar os fios ao longo do tempo.

Logo depois do uso de algum tipo de química capilar é preciso fazer uma hidratação para restaurar os fios. O ideal é que sejam usados produtos de qualidade e que esse procedimento seja feito de forma contínua, pelo menos uma vez por semana. Depois disso, avalie os resultados. Caso seja insuficiente, aumente o uso para duas vezes por semana. A reposta ao tratamento vai depender do grau de desidratação dos fios e se o produto escolhido está sendo usado corretamente.

Para que os fios comecem a se recuperar, podemos lançar mão de um kit socorro que auxilia nesta batalha: shampoo sem sal, creme hidratante nutritivo, alternando com cremes reconstrutores, leave in à base de silicone e cremes termoprotetores para usar antes do secador.

Recebo em meu consultório algumas dúvidas de pessoas querendo saber se podem lançar mão das novidades capilares que surgem no mercado. Sempre analiso a qualidade do cabelo. Por exemplo, os crespos e cacheados são os mais vulneráveis aos processos químicos, tendo em vista que por conta de serem espiralados, tendem a ter pouca oleosidade, deixando-os naturalmente ressecados.

E como tudo em nossa vida, o melhor é prevenir do que remediar, então seguem algumas dicas que podem contribuir para que as madeixas sejam sempre alvos de vários elogios:

  • Há pessoas que na ansiedade de terem seus cabelos longos, esquecem de cortá-los. Saiba que cortes periódicos, hidratação e, lógico, a utilização de produtos específicos para o seu tipo de cabelo contribuem para a saúde dos fios.
  • Hidratar os cabelos é a única maneira de manter a saúde dos cabelos, pois os fios longos tendem a ressecar mais. A hidratação e reposição de queratina devem ser feitas regularmente. Uma hidratação mais profunda pode ser feita uma vez ao mês ou quinzenalmente, dependendo do caso. Esse procedimento é muito simples de ser feito: basta aplicar o creme para o seu tipo de cabelo por alguns minutinhos (é importante seguir as indicações da marca) e depois enxaguá-lo.
  • Faça uso diário de produtos de qualidade e que sejam adequados ao seu tipo de cabelo. Busque ajuda de um profissional, além de um médico especializado antes de fazer qualquer química sem saber se o seu cabelo suportará tanta agressividade de uma só vez. Um cabelo natural é sempre mais saudável. Opte por usar química só em último caso.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Gabriela Casabona

Médica dermatologista, participou da equipe da primeira temporada do programa "10 Anos Mais Jovem", do SBT. Co-autora do livro Cosmiatria em Dermatologia, mantém consultório em São Paulo e colabora no Ambulatório de Laser da Faculdade de Medicina do ABC, Saiba mais »

contato: grcasabona@uol.com.br
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS