Carregando pagina

Família > Filhos

Filhos em férias e pais trabalhando

Não deixe que os dias sem aulas se tornem problemas na rotina familiar

Por: Maria Irene Maluf

 

Acontece com a maioria das famílias e com mais frequência do que se imagina: as férias escolares acabam por se tornar um problema na rotina familiar. Pois trazem muitas dúvidas aos pais de como manter o equilíbrio entre o desejo de seus filhos de aproveitarem ao máximo os dias sem escola e suas possibilidades de os acompanharem e até de os supervisionarem nesses períodos.

As crianças e jovens adoram os momentos de lazer, quando desaparecem as obrigações, os horários e entram as múltiplas possibilidades de diversão. O computador, os games, a televisão são geralmente os primeiros companheiros dos primeiros dias de recesso escolar. Mas como tudo cansa e até o que entretém deve ser diversificado para não entediar, acontece o inevitável: podendo ou não sair sozinhos ou sendo pequenos para prescindirem da companhia de um adulto, a verdade é que surgem muitos e diversificados conflitos.

Os pais por outro lado, ficam apreensivos, pois as crianças acabam ficando mais tempo sozinhas em casa, com ou sem a presença de uma empregada ou um parente que lhes supra as necessidades e compreenda suas reações. Outros, pensam logo em estruturar um esquema de reforço escolar aproveitando o tempo ocioso. E como as crianças em geral se rebelam e não cumprem por si só essa jornada extra de estudo, começam as cobranças e o clima desanda para as brigas e choradeiras.

Existem as tradicionais saídas para o problema: os acampamentos, as férias na casa de outros parentes, as "escolas de férias". Mas novas opções vêm sendo encontradas pelos pais, que não estão dispostos a lançar mão do orçamento mensal tantas vezes ao ano.

Aproveitando o tempo livre

Uma ideia é procurar fazer junto com as crianças um planejamento dessas semanas ou datas sem aulas, de uma forma bem equilibrada, com dias e horários reservados para atividades dirigidas, obrigatórias , que serão cobradas pelos pais e um tempo livre onde entram brincadeiras, visitas, passeios, viagens, computador, cinema, jogos, esportes, etc. Afinal, ninguém entra em férias de ler, escrever, não é? Então um livro escolhido pela criança deve ser um companheiro para esses momentos de descanso, assim como anotar recados telefônicos, fazer a lista do supermercado, ajudar nas compras e aprender a fazer o troco estão entre as atividades que podem e devem ser treinadas nessas ocasiões.

Entre as tarefas dirigidas e que são instrutivas (pois criam hábitos ao longo do tempo) está a necessária arrumação de armários, material escolar, brinquedos, roupas, uniformes,etc. Os pequenos podem participar junto com os irmãos mais velhos ou um adulto da tarefa e além de aprenderem a organizar seu armário, sua escrivaninha. Ainda podem escrever (ou desenhar) as etiquetas para as gavetas, consertarem caixas de brinquedos com fita adesiva,separarem brinquedos que não usam mais,etc. Os mais velhos, têm aí a oportunidade de começarem a aprender a se cuidar nas ruas, a pegar um táxi, metrô, ônibus e já que podem começar a ir e vir sozinhos, após uns dias de supervisão, ao dentista por exemplo, ou fazer alguma compra.

Existem visitas que raramente se fazem durante o tempo de aulas: a museus, a parques, ao mercado da cidade, a estação ferroviária (quantas crianças nunca andaram de trem!), ao teatro, às audições musicais,etc. E podem ser combinadas com um professor ou monitores do museu, trazendo horas de diversão e aquisição de novos conhecimentos e acrescentam uma nova idéia sobre como utilizar o tempo livre de modo interessante e produtivo.

Aos mais pequeninos, sempre agrada muito fazer tarefas que os tornem "grandes" aos olhos dos irmãos mais velhos e principalmente dos pais: recolher o jornal, aprender a fazer a própria cama, lavar sua roupa íntima, trocar a água do cachorro,molhar o jardim,dão à criança a noção de responsabilidade e de fazerem parte da família como membro que contribui.

Pais sossegados, crianças entretidas

Os pais podem também se reunir com vizinhos que tenham filhos da mesma faixa etária e contratar um recreacionista, para passar um período do dia com as crianças no playground ou no salão de festas do prédio. As brincadeiras, os jogos, os esportes poderão ser dirigidos e muita experiência boa vai acontecer com certeza!Assim, os pais trabalharão mais sossegados e as férias da criança serão tão instigantes e divertidas como se ela fosse a uma festa diariamente!

O que não pode acontecer em nenhuma idade, é a criança se sentir abandonada, sem tarefas, entediada, sem saber como usar seu tempo e aproveitar de modo saudável e construtivo as férias escolares"O que não pode acontecer em nenhuma idade, é a criança se sentir abandonada, sem tarefas, entediada, sem saber como usar seu tempo e aproveitar de modo saudável e construtivo as férias escolares"

e as "pontes" entre feriados. Deve compreender através de conversas amistosas e realistas, adequadas a sua etapa de crescimento, que nem todos os pais podem arcar com viagens longas e nem em todas as ocasiões eles poderão estar juntos. Mas também, que férias podem ser um bom período para aprenderem coisas interessantes e ser mais independentes e maduros!

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR
Maria Irene Maluf

Maria Irene Maluf

Pedagoga especialista em Educação Especial e Psicopedagogia, editora da revista Psicopedagogia da Associação Brasileira de Psicopedagogia (ABPp)

  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS