Carregando pagina

Você > Desenvolvimento Pessoal

De quais situações você foge ou teme viver?

Numerologia ajuda a identificar seus medos e transformá-los em dons

 

Já aconteceu de você sentir um incômodo diante de certas situações e acabar evitando essas circunstâncias para não correr o risco de errar ou de se frustrar? Se este cenário é familiar para você, não precisa se preocupar. No Mapa Numerológico, os números que ocupam a posição dos Desafios revelam que essa é uma reação natural.

Mas, por outro lado, a Numerologia também nos ajuda a entender que a tendência de fugir de determinadas circunstâncias se deve ao fato de nos cobrarmos muito uma postura perfeita ao lidar com tais experiências. Daí o risco de preferirmos nem mesmo vivenciá-las, para não sofrermos com um desempenho inferior ao esperado.

Para lidar de forma mais madura com nossos medos e consequentes fugas representados pelos Desafios Numerológicos, é fundamental reconhecer que quanto mais encaramos de frente as situações incômodas, mais adquirimos maestria nas mesmas. Ou seja, os Desafios indicam que uma determinada área em nossas vidas será incômoda. Mas só até termos segurança suficiente para expressar nossos talentos reprimidos.

Calcule aqui gratuitamente seus números de Desafios. Depois disso, entenda abaixo quais situações tendem a lhe incomodar e aprenda a vencê-las.

Desafio do 1: Autoafirmação

Uma pessoa com esse Desafio pode fugir de situações em que precisará liderar, ser pioneira ou buscar independência. Tende a se sentir incomodada diante de experiências através das quais precisará se destacar, comandar e ser inovadora.

Sendo assim, para conquistar mais liderança e originalidade será preciso assumir, aos poucos, o que há de diferente e criativo em sua personalidade e ideias. Essa pessoa precisa enfrentar a insegurança de trilhar um caminho individual, independente e ousado.

Desafio do 2: Abertura Emocional

Uma pessoa com esse Desafio pode evitar se relacionar, formar parcerias, dialogar e conciliar divergências. Sua exigência para resolver conflitos, ser compreensiva e apoiadora é elevada, o que pode acabar gerando um desconforto.

A habilidade de conciliar conflitos desta pessoa só é adquirida quando ela reconhece sua tendência de ceder em excesso, para evitar brigas. Outra possibilidade é que a pessoa perceba que costuma emburrar ou reagir agressivamente, como forma de reivindicar seus direitos e desejos em uma relação justa e prazerosa. Sendo assim, o maior desafio de quem tem o número 2 nesta posição é buscar ter uma postura assertiva e, ao mesmo tempo, repleta de diplomacia.

Desafio do 3: Poder Comunicativo

Uma pessoa com esse Desafio tende a escapar de circunstâncias em que terá de falar em público, ser criativa e se expor. Para ela pode ser incômodo ser o centro das atenções ou demonstrar seus pensamentos e sentimentos em suas relações, já que cobra perfeição na arte de se expressar.

O poder comunicativo de quem tem o Desafio do 3 é desenvolvido quando essa pessoa se dedica a escrever, falar e praticar seu talento artístico a cada dia, de forma mais clara e eficiente. Além disso, ela precisa aprender a confiar no seu brilho criativo e no seu dom de encantar o público.

Desafio do 4: Estabilidade

Uma pessoa com esse Desafio costuma evitar assumir responsabilidades familiares ou com o cuidado de seu corpo. Tende a ter medo de se frustrar com essas questões, já que exige de si mesma uma saúde perfeita e acredita que deve funcionar como um porto seguro inabalável para sua família.

Quem tem o Desafio do 4 conseguirá atingir uma saúde estável e assumir sua força apoiadora à medida que tiver disciplina para realizar atividades físicas e adotar uma alimentação adequada. Além disso, precisará assumir responsabilidades familiares, domésticas e profissionais - através das quais assumirá seu talento em oferecer segurança e estabilidade aos outros.

Desafio do 5: Liberdade

Uma pessoa com esse Desafio tende a fugir de crises e novidades. Possivelmente tem medo de não conseguir se abrir ao novo e nem fazer mudanças na sua vida como um todo, libertando-se do que lhe aprisiona. Também pode ser desafiador para esta pessoa oferecer novas perspectivas para quem pertence ao seu convívio, agindo como um catalisador de mudanças na vida dos outros.

Para quem tem o Desafio do 5, o jogo de cintura para lidar com as crises e a disposição em tentar estratégias diferentes para resolver problemas emergenciais e inesperados são conquistados a cada dia. E isso graças ao reconhecimento de que a vida é um movimento constante de mudanças. Esta pessoa irá progredir na medida em que tiver consciência de que precisa ser menos resistente e apegada.

Desafio do 6: União Familiar

Uma pessoa com esse Desafio pode evitar constituir família, se casar ou atuar como uma conciliadora em questões alheias. Afinal, tem medo de não ser capaz de lidar com as responsabilidades familiares, ser uma companheira perfeita para seu par, ou agir de forma eficiente ao ajudar as pessoas.

Quem tem o Desafio do 6 precisa diariamente buscar desenvolver seu papel como irmão dedicado, filho atencioso ou pai (mãe) compreensivo(a), companheiro(a) e carinhoso(a). E para isso essa pessoa precisa reconhecer que ninguém é perfeito, que todo mundo tem seus defeitos. E vale reforçar que essa constatação não faz de ninguém uma pessoa incapaz de amar, de cuidar da família e de ajudar os semelhantes.

Desafio do 7: Entrega

Uma pessoa com esse Desafio exige de si mesma autoaperfeiçoamento pessoal, técnico e profissional acima da média. Por ter medo de frustrar suas expectativas, pode fugir de estudos, especializações ou mesmo do processo terapêutico que visa a superação de certos medos e limitações.

Nesse caso, o Desafio do 7 pede que a pessoa enxergue com clareza que a evolução pessoal, técnica e profissional é um processo que demanda muito tempo, além de autoanálise e superação dos bloqueios pessoais. Tornar-se um especialista e uma autoridade no seu campo de atuação será uma conquista certa, caso haja dedicação e paciência no caminho.

Desafio do 8: Poder pessoal

Uma pessoa com esse Desafio exige ser uma profissional altamente produtiva e bem sucedida, inclusive financeiramente. Com medo de frustrar suas expectativas, pode evitar responsabilidades profissionais ou assumir uma posição de comando e liderança.

Quem tem o Desafio do 8 precisa conquistar cada dia mais segurança em seus talentos administrativos. E isso acontecerá quando a pessoa aprender a não deixar sob a responsabilidade de outros a administração de seu negócio ou de suas finanças. Além disso, trabalhar de maneira persiste no cumprimento produtivo de suas metas proporcionará a estabilidade e o reconhecimento tão sonhados.

Desafio do 9: Sabedoria doadora

Uma pessoa com esse Desafio exige de si mesma uma postura humanitária, compreensiva e doadora. Mas por medo de se frustrar, talvez evite cuidar de seus próprios projetos pessoais porque se cobra demais em ajudar tanta gente. Outra possibilidade é que essa pessoa prefira viver uma vida bem individualista para não sentir o incômodo da cobrança em ser tão caridosa.

Sendo assim, quem tem o Desafio do 9 deve reconhecer que consegue ajudar muito mais as pessoas quando cuida de si mesmo, dá o exemplo ao agir de acordo com o que acredita, e vivencia seu lado humanitário com bastante inspiração e compaixão.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Yubertson Miranda

Yubertson Miranda é numerólogo, astrólogo e tarólogo e é graduado em Filosofia. Ama encontrar significado nos eventos do dia a dia. É autor das análises numerológicas do Personare. Saiba mais »

contato: yubertson-revista@personare.com.br
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS