Carregando pagina

Família > Filhos

Como oferecer equilíbrio aos filhos?

Terapias como aliadas para lidar com questões do dia-a-dia familiar

 

Infância ideal seria acordar sem despertador, tomar um bom café da manhã, sair para o quintal para brincar com os amigos em um dia ensolarado (mas só até às 10h por causa dos raios solares)... Depois beber um suco ou comer uma fruta e fazer a lição, com a mamãe presente e disponível para tirar dúvidas até o meio-dia. Em seguida, hora de almoçar e ir para a escola. Já na escola o ideal seria encontrar sempre um ambiente produtivo, criativo e saudável, sem disputas com os colegas ou distrações fora de hora. Na volta da escola, uma conversa com os pais para contar sobre o dia. Para completar, um gostoso jantar e momentos de descontração em família, com jogos educativos, música e uma leitura antes de dormir. Ideal? Nem tanto...

A vida real é diferente e, querendo ou não, é com nossa realidade que as crianças interagem. Como uma criança, que cresceu em um ambiente "ideal", vai tornar-se um futuro advogado e lidar com os prazos dos processos? Ou um futuro administrador que tem que decidir que custos cortar? Ou um futuro médico que precisa chefiar uma cirurgia de risco? Queremos proporcionar tudo de melhor para as crianças, mas também, queremos o melhor delas. Gostaríamos de pensar que os pais não erram, mas esse já é um erro.

O que mais vemos por aí são pais que:

  • Trabalham e tem pouco tempo de convivência diária;
  • Exigem e que cobram resultados perfeitos;
  • Sentem-se culpados e são compensatórios, deixando seus filhos fazer tudo, compram tudo;
  • Superprotegem e tentam ler a mente e as necessidades das crianças e suprem tudo, antes até dessas mesmas necessidade serem realmente concretas

A realidade não é ideal, mas é perfeita. A perfeição está em aprender a lidar com os conflitos, a pressão, o stress, as escolhas."A perfeição está em aprender a lidar com os conflitos, a pressão, o stress, as escolhas." As crianças, assim como nós, acabam tendo que lidar com o que está em desarmonia e a manter o equilíbrio interno, em um aprendizado contínuo e dinâmico. E por fim, evolutivo! Por evolutivo pressupõe-se um processo aberto e não acabado, onde a perfeição ainda não foi atingida e vai se concretizando na medida em que se avança.

Terapias holísticas como aliadas

Muitas são as questões que preocupam pais e mães. Dentro das terapias holísticas, a escolha das técnicas de apoio mais adequadas são as terapias energéticas, as mais naturais e dinâmicas como as crianças. Por exemplo: os Florais para lidar com sentimentos como ciúme, raiva, medo, etc; a Geoterapia e o Reiki para o equilíbrio energético e lidar com a agitação excessiva, a dificuldade para dormir; e a Cristalopuntura para desbloqueios energéticos, facilitando questões como timidez, excessos ou desequilíbrios alimentares.

Não há uma idade mínima para iniciar com as terapias holísticas. Os processos terapêuticos com as crianças são muito mais rápidos comparados com os dos adultos. Sendo assim, os pais e o terapeuta holístico têm que acompanhar essa característica. Por mais conscientes e abertos que sejam os pais, a busca por um profissional é sempre aconselhável, pois a visão profissional é mais abrangente.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Simone Kobayashi

É terapeuta holística e autora do livro "Pedras e Cristais - Em Busca do Equilíbrio". Ministra cursos de Geoterapia (em SP e via internet) e de todos os níveis de Reiki. Saiba mais »

contato: sk@simonekobayashi.com
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS