Carregando pagina

Saúde > Prevenção e Cuidados

Banhos terapêuticos oferecem mais bem-estar

Dicas naturais ajudam a aproveitar a hora do banho

 

Quem não gosta de chegar em casa depois de um dia cansativo de trabalho e se refrescar com um delicioso banho? Não tem nada mais revigorante que isso. Mas tomar banho é algo que vai muito além de lavar seu corpo. É também uma ótima terapia e pode ser feita facilmente em casa por todas as pessoas, desde bebês até idosos.

Hoje em dia os banhos terapêuticos são muito procurados e cada um tem uma propriedade e função diferente, dependendo dos ingredientes adicionados à água. Veja abaixo algumas dicas de banhos e suas propriedades. Depois basta desfrutar este momento de uma forma diferente.

Banho calmante para adultos e bebês

Na banheira, coloque água na temperatura de 37°C a 40°C (meça com um termômetro para banheira) e acrescente uma colher de sopa de óleo vegetal de amêndoas doce com quatro gotas de óleo essencial de Lavanda. E não esqueça: como a pele dos bebês é extremamente sensível, o óleo essencial deve ser obrigatoriamente diluído em óleo vegetal de boa qualidade.

Benefícios e modo de uso:

Este banho pode ser tomado todos os dias, de preferência antes de dormir. Ele acalma e ajuda a ter uma noite de sono tranquila. Isso se deve às propriedades do óleo essencial de Lavanda, que é calmante e sedativo. Ainda ajuda a combater a insônia e a irritação. Além disso, ajuda na renovação celular, no relaxamento muscular e também protege contra as infecções, por ser um antiviral.

Já o óleo vegetal de amêndoas doce tem as propriedades de melhorar a elasticidade da pele e a circulação, além de prevenir irritações, inflamações e assaduras. Tudo isso devido às vitaminas e minerais que ele contém.

Vale lembrar que os adultos também podem fazer uso deste banho. Se for na banheira, siga as mesmas orientações acima. Caso opte pelo chuveiro, basta colocar as mesmas medidas de óleo vegetal e óleo essencial em uma jarra de água e, ao final do banho, despejar a mistura no corpo, do pescoço para baixo.

Banho para cicatrizações e pós-parto

Este banho ajuda a promover a recuperação do corpo da mulher após o parto, seja ele natural ou cesárea. Também é excelente para qualquer outro tipo de cicatrização (escaras em pessoas acamadas, assaduras, queimaduras pós-sol, inflamações cutâneas, rachaduras mamária, cirurgias e machucados com cortes em geral). Além disso, não apresenta contraindicação.

Ingredientes:

  • 2 colheres (sopa) de flores de calêndula
  • 2 colheres (sopa) de flores de camomila
  • 1 colher (sopa) de flores de mil-folhas (Achillea millefolium)
  • 5 gotas de óleo essencial de Lavanda
  • 1 colher (sopa) de óleo vegetal de calêndula

Primeiro, coloque as ervas em um bule de chá e despeje por cima 1 xícara (chá) de água fervente. Tampe e deixe descansar por 10 minutos.

Benefícios e modo de uso:

Encha a banheira com água em temperatura até 36°C, de modo que fique até a altura da região a ser tratada, como o corte da cesárea, por exemplo. Despeje a infusão das ervas e, por último, acrescente o óleo vegetal de calêndula e pingue as gotas de óleo essencial de Lavanda. Permaneça por, no máximo, 10 minutos na banheira.

Caso não tenha banheira em casa, faça o famoso "banho de gato". Prepare a infusão das ervas, coloque em um recipiente adequado e acrescente os óleos. Tenha em mãos um pedaço de pano de algodão limpo (tipo fralda) ou uma gaze. Molhe o pano na mistura e passe delicadamente sobre os locais a serem cuidados. Para maior eficácia, molhe o pano e deixe sobre o local por 5 minutos. Repita o processo três vezes. Este banho deve ser feito apenas uma vez por dia, durante 15 dias.

O óleo essencial de Lavanda e a flor da calêndula estimulam a regeneração celular e a cicatrização, enquanto o óleo vegetal absorve rapidamente na pele e possui propriedades adstringente, analgésica, anti-inflamatória, bactericida, calmante e cicatrizante. A mil-folhas também tem uma ação anti-inflamatória e a flor da camomila é sedativa e calmante.

Banho revigorante

Este banho ajuda na recuperação muscular e no relaxamento após as atividades físicas.

Ingredientes:

  • 2 colheres (chá) de folhas de louro picadas
  • 1 colher (chá) de alecrim picado
  • 5 gotas de óleo essencial de capim-limão (lemongrass)

Faça a infusão das ervas, colocando-as em um bule de chá e despejando por cima 1 xícara (chá) de água fervente. Tampe e deixe descansar por 10 minutos.

Benefícios e modo de uso:

Encha a banheira, de modo que a água fique até a altura do peito. Depois, despeje a infusão de ervas e o óleo essencial. Fique imerso na mistura de 15 a 20 minutos.

No chuveiro, proceda da mesma forma, fazendo a infusão de ervas. Coloque-a em uma jarra e pingue o óleo essencial. Tome banho normalmente e no final despeje o conteúdo da jarra no corpo, do pescoço para baixo.

Este banho deve ser feito pelo menos três vezes por semana, após as atividades físicas.

Vale lembrar que o Alecrim é estimulante e pode elevar a pressão arterial. Por esse motivo, não deve ser usado por pessoas com pressão alta.

História do banho

A tradição dos banhos é antiga. Os primeiros registros datam de 3000 a.C. no antigo Egito. Os egípcios acreditavam que, além de limpar o corpo, a água lavava a alma, curava doenças e revigorava o espírito. Outras civilizações antigas, como os gregos e romanos, adotaram a prática dos banhos não só como um simples ato de lavar-se, mas também como um ritual de purificação.

Alguns banhos ficaram muito famosos durante a história das civilizações. Entre eles estão os banhos de leite e mel de Cleópatra, para amaciar a pele, e os banhos de sangue de Elizabeth Bathory, que acreditava que o sangue de suas jovens criadas podia lhe dar a juventude eterna.

No entanto, a história do banho nem sempre foi a mesma. Durante os séculos XVI e XVII o banho também não era visto com bons olhos pela classe médica, que acreditava que o ato de banhar-se era uma via para contrair doenças, já que durante o banho os poros da pele se dilatavam demais e facilitavam a contaminação. Foi mesmo só no final do século XVIII que o banho passou a ser visto como um ato de manter a higiene e cuidar da saúde.

A partir da década de 1930, o banho voltou a ser algo que fazia parte da rotina de higiene e saúde das pessoas. E dai em diante tomar banho voltou a ser algo prazeroso. Com toda a evolução da medicina, as pessoas começaram a incrementar seus banhos com ervas e óleos essenciais, a fim de ter mais bem-estar e saúde.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Tahiana Ferraço

Aromaterapeuta Clínica. Realiza atendimentos voltados aos tratamentos corporais e emocionais através dos óleos essenciais puros, florais do sistema Saint Germain, massagens aromaterápicas, reflexologia e ervas medicinais. Saiba mais »

contato: tahiaromaterapeuta@gmail.com
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS