Claudia Chaves
  • Por Claudia Chaves
  • Leia em 13 min.
  • 11/04/2011
  • Atualizado em 18/04/2018 às 19:01

Sua caixa de mensagens vive lotada?

Reflita sobre como ter tempo no dia-a-dia, priorizando as tarefas

Reflita sobre como ter tempo no dia-a-dia, priorizando as tarefas

Sua caixa de mensagens vive lotada?

“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos” – Fernando Pessoa

Ouvimos e falamos o tempo todo. Tempo é dinheiro. Não tenho tempo. Meu dia precisava ter 48 horas. Onde vou arrumar tempo? “Tempo, tempo, tempo, tempo”, como no estribilho da canção de Caetano Velloso, Oração ao Tempo. E aí ficamos atordoados, preocupados e não tratamos a nossa melhor unidade, o tempo, como deve ser tratada. Não lhe damos carinho, só reclamações. Não lhe damos descanso, só trabalho. Não lhe damos consideração, só atropelamos. Não lhe perdoamos de nada, somos implacáveis. E que tal começar a ver o tempo na sua real dimensão? Valorizá-lo, não barganhar. Só trocar quando for absolutamente necessário.

Quando eu era criança, o melhor quadrinho para mim era aquele em que o SuperHomem, com a sua super-velocidade, corria ao redor da Terra, dando a volta ao contrário, para fazer o tempo retroagir. Como eu gostava de imaginar que isso fosse verdade, sobretudo no dia após feriado… Queria continuar sem fazer nada, a não ser ler o que quisesse, brincar até me aborrecer. E ainda por cima, à noite, em minha casa, feriado era como domingo. Não tinha jantar, tinha lanche.

E lá vinha o horrível dia seguinte: arroz, feijão, legume, hora de tomar banho, de ir à escola, de “corre, você está atrasada para o ballet”. Ou para o piano, ou para a declamação, ou para qualquer coisa que era sempre obrigação. Jamais estive atrasada para ver televisão, brincar, ler, comer pizza ou dormir à tarde.

Foi essa relação plantada na infância de todos nós: o tempo era dedicado só ao que devia ser feito, ao prazer e a diversão era o que sobrava. Hoje, adultos, ficou em nós a eterna e culpada sensação que falta tempo. Priorizamos as obrigações que só fazem crescer com a idade e o correr das mudanças do ciclo de vida. Casamos e aí vem o tempo a se dedicar ao companheiro. E também aos filhos, as atualizações que o trabalho exige, aos parentes idosos, aos amigos da vida inteira… E ao esforço diário de cuidar da manutenção.

Livre-se da caixa de e-mails lotada

O dilema é permanente. Começamos o dia com uma enorme caixa de entrada de emails que só parece crescer. O que escolhemos para responder ou ver: a oferta da compra coletiva, o convite da festa do amiguinho, o orçamento que o seu gestor pede pra ontem, mandar um cartão de agradecimento? E lá vem mais: marcar médico, cortar o cabelo que está um pavor, a sua mãe pediu para não deixar de ligar para sua madrinha. E a reunião que foi desmarcada? É de enlouquecer! E o tempo que se perde no trânsito?

Como fazemos para conviver com o tempo, esse senhor implacável? Primeiramente tratando-o muitíssimo bem. Dando-lhe importância. E vamos começar eliminando, por meio do planejamento de nossas ações, aquilo que pode ser eliminado. Que tal, ao invés de despejar o armário toda manhã, escolher a roupa de véspera? E evitar ver email que não lhe interessa, abrindo uma pasta para aquela colega de colégio desocupada que só lhe manda spam e textos longos? As mensagens ficam na pasta, longe da sua visão e longe de você gastar tempo abrindo.

Dizer que tempo é prioridade não é o que espelha o nosso dia-a-dia. Pense em sua vida como um grande show. As prioridades são a hora de entrar no palco, o momento de se arrumar para show, a vez de descansar depois do espetáculo e colher o sucesso. Então, faça como os grandes produtores e artistas: calcule seu tempo, troque coisas, enquanto a orquestra ensaia, troque de roupa. Enquanto fazem o acerto de luz, ensaie. Pense que tudo é bom quando é pensado com antecedência. Isso é tratar o seu tempo com carinho.

Faça como disse Caetano. Diga que ele é lindo. O deus tempo vai lhe retribuir.

“Por seres tão inventivo

E pareceres contínuo

Tempo tempo tempo tempo

És um dos deuses mais lindos

Tempo tempo tempo tempo”

“Oração ao Tempo”, Caetano Veloso.

Olá, essa matéria foi útil para você?
Claudia Chaves

Claudia Chaves

Doutora pela PUC-RJ, professora de Técnicas de Texto e Atendimento Publicitário da PUC-Rio, professora de Gestão de Carreira do IBMEC. Atualmente desenvolve atividades de mentoring e aconselhamento de negócios, carreira e de vida. Saiba mais