Leonardo Lemos
Por Leonardo LemosLeia em 3 min.17/06/2019 

Sol em Câncer: Solstício de Inverno começa em 21 de junho no hemisfério sul

Confira as principais tendências astrológicas para o Brasil com o ingresso do Sol em Câncer

O Solstício de Inverno começa no dia 21 de junho, às 12h54, quando o Sol ingressa no signo de Câncer. Para a Astrologia Mundial, os mapas dos solstícios são fundamentais na análise de tendências coletivas e nos rumos do país.

A Astrologia pode ser vista como um antigo sistema simbólico  que utiliza posições e movimentos dos astros no céu para a compreensão das circunstâncias na Terra, ou seja, no cotidiano das pessoas.

Na Astrologia Mundial, os planetas e as casas astrológicas são vistos sob uma interpretação diferente da que estamos acostumados. Não se trata de algo individual, e sim uma interpretação voltada para o coletivo.

Com a entrada do Sol no signo de Câncer no dia 21 de junho, o mapa nos mostra que os planetas e as casas possuem significados específicos para a área Mundial da Astrologia. Este mapa não descreve humores ou emoções “que deverão ser trabalhadas”; para isto é necessário o mapa astral de um indivíduo e a compreensão do seu momento.

Sol entre as casas 9 e 10

No mapa, o Sol representa o Estado e seu chefe. Além do Sol no signo de Câncer,  teremos o Meio do Céu, Marte, o Nodo Lunar Norte (Cabeça do Dragão) e Mercúrio. E, por conta  da sua posição entre as casas 9 e 10, podemos dizer que o Sol estará em sua potência máxima, dando protagonismo ao líder do país, assim como aos chefes do poder Executivo. Mercúrio rege a imprensa, os  órgãos de comunicação e o comércio. Nesta perspectiva, vemos que novos “sócios” e parceiros do país podem surgir na tentativa de deliberar junto ao poder principal.

Mapa Astrológico do Solstício

Marte em queda no signo de Câncer: desafios na economia

O fato de Marte se encontrar em queda no signo de Câncer, pode representar conflitos e pouca potência aos intentos, afetando os acordos, a economia e seu ministro, que sofrerá mais desgastes e obstáculos que podem ser identificados na casa 4 em oposição com a casa 10.

Saturno e Plutão, representa uma forte pressão e grandes tensões entre os pólos. A Justiça e seus representantes podem ser severamente cobrados a resolver questões emergenciais envolvendo presídios, instituições de saúde e de assistência. (Mercúrio é regente da casa 12, a dos assuntos mais complicados e da casa 9, o Judiciário).

A Lua em Aquário na casa 5 e a oposição de Saturno em Capricórnio na casa 4,  indicam que o povo será o grande moderador do governo, ou o “Quarto Poder”.

A  Lua, representante das massas, se vê com bons aspectos e isso pode representar uma população satisfeita de alguma forma em características essenciais do signo de Aquário. Essa satisfação estará em manifestar as qualidades desse signo que são a contestação e a busca por alternativas criativas. Ou seja: divergindo da ordem e, ao mesmo tempo,  se igualando a esta em termos de poder escolher e decidir por aquilo que serve à maioria, ao grupo.

Netuno  será protagonista de uma configuração astrológica difícil. Isso indica a necessidade de muitos esforços na área da saúde e uma efetiva ação contra problemas nessa área que já se arrastam e não tem recebido a devida atenção por parte das autoridades.

Netuno também afeta seriamente a Vênus na casa 9 e Júpiter na casa 3. Como isso,  figuras públicas das artes e da comunicação podem passar por confusões e decepcionar com suas atitudes. Educação, Direitos Humanos e Justiça também sofrerão desgastes e podem frustrar as expectativas.

Os ingressos do Sol em cada signo variam a cada ano. As datas popularmente divulgadas são médias. Por exemplo, em 2019 o Sol entra em Câncer às 12h54 do dia 21/06, hora de Brasília. Em 2018 o Sol entrou em Câncer também no dia 21/06, às 07h07. Mas, em 2020, o início de Câncer se dará no dia 20/06, às 18h43. Pessoas nascidas nas supostas datas de mudanças, ou bem próximo a elas,  devem consultar um astrólogo para averiguar esta informação.

Entenda a diferença entre solstícios e equinócios

O ciclo do nosso planeta ao redor do Sol é conhecido como movimento de translação e, devido à inclinação da Terra, temos ao longo de um ano as quatro estações. Girando como um peão, em dois pontos, ou épocas. O Equador , linha imaginária que divide o planeta em Hemisfério Norte e Hemisfério Sul, se alinha à eclíptica (caminho da Terra ao redor do Sol) produzindo, assim,as meias estações (primavera e outono).

Nas datas de início destas, dias e noites têm a mesma duração e são marcadas pelo ingresso aparente do Sol em Áries e ou em Libra. São os chamados equinócios.

Imagem: Apollo 11

Já nos outros dois períodos, um dos hemisférios recebe mais luz  que o outro. Assim, enquanto no Norte  temos o verão, aqui no Sul é inverno e vice-versa. Tanto no inicio do verão, quanto do inverno temos o Sol, do ponto de vista do observador,  aparentemente mais distante da linha do Equador. Assim, o Sol parece “parar” no céu e voltar para a direção desta linha, aos poucos. Por isso o nome solstício, que significa “Sol parado”.

Com o  ingresso do Sol no signo de Câncer,que geralmente ocorre por volta de 21/06), os povos do Hemisfério Norte tinham a impressão de que o Sol atingia seu ponto mais alto e depois voltava para trás, como um caranguejo, até diminuir o calor a partir do outono.

Já no inverno, esses mesmos povos “viam” o Sol distante, como se brilhasse no fundo de uma caverna. Com o passar dos meses este Sol avançava ou “subia” pelo céu, como costumam subir as cabras (o solstício de inverno no Hemisfério Norte se dá na entrada de Capricórnio) pelas árvores, montanhas, pedras etc.

 O conceito de Astrologia Mundial

A Astrologia é uma linguagem que possibilita a decodificação de símbolos e tem a capacidade de narrar não apenas histórias individuais, descrevendo vidas humanas, mas também compreender a narrativa para o coletivo, para um povo ou um país.

Nesta linha segue a Astrologia Mundial, ramo que estuda os mapas dos países, posses de governos, a economia, a política, as crises, a saúde e tudo o que ocorrer em uma escala maior.

Dentre as ferramentas utilizadas na Astrologia Mundial, os mapas dos equinócios e dos solstícios são fundamentais para a análise das tendências  de um país.

Os equinócios e solstícios se dão com a entrada do Sol em Áries, em Câncer, em Libra e em Capricórnio, todos esses signos são Cardinais, e representam a ação e as mudanças. Os Cardinais,  funcionam como pontos de direção. Eles orientam, dirigem ou comandam, apontando para as novas qualidades e eventos de um período.

Há critérios para a análise do mapa dos Equinócios e Solstícios. O principal e mais importante é sempre o do Equinócio de Outono (no Hemisfério Sul) e Primavera (no Hemisfério Norte), conhecido como Ano Novo Astrológico ou Ingresso do Sol em Áries.

A carta do Ano Novo Astrológico é a peça principal. Porém, sempre existe uma forte expressão em cada início de uma estação e elas são carregadas de significado. No Brasil, o início do outono ocorreu às 18h58, do dia 20/03/2019 e teve o signo de Libra como ascendente. Como Libra é um signo cardinal, isso aponta uma relevância ainda maior para os mapas das outras estações do ano de 2019.

Leonardo Lemos

Leonardo Lemos

Astrólogo formado em Santos-SP. Ex-presidente da Central Nacional de Astrologia (CNA) e atualmente professor da Escola Regulus de São Paulo. Há 28 anos traduz os símbolos do céu através da Astrologia.