Melissa Setubal
Por Melissa SetubalLeia em 3 min.07/03/2018 

Que mulher você quer ser neste ano?

No Mês da Mulher, reflita como pode amar mais a si mesma diariamente

Entro em um restaurante bacanudo numa grande capital e a garçonete vem me receber:

– Quantas pessoas?

– Estou sozinha.

– Ah, que peninha!

Eu coço a cabeça tentando entender o comentário. Do que ela tem pena, exatamente? De eu ter decidido sair numa terça à noite para comer comida boa e gostosa? De eu ter liberdade de decidir jantar apenas na minha própria companhia? De eu ter condições financeiras para comer uma refeição prazerosa?

São situações como essa que me lembram o quanto temos que caminhar para descobrir o que é ser mulher neste momento da história em que vivemos. Ouvir um comentário desses de uma mulher significa que ainda não estamos usando com autonomia e alegria a liberdade e igualdade que tanto temos batalhado ao longo da história.

Por isso, celebrando o mês da mulher, pergunto: que mulher você quer ser em 2018?

Não há resposta certa para essa pergunta. Mas vale a reflexão sobre nosso papel como mulheres na nossa própria vida, na nossa família, na nossa comunidade, na sociedade como um todo. E é esse o convite que faço hoje para você.

Inspiração e celebração

Quero te inspirar a refletir: no que você se sente limitada na sua vida por ser mulher? O que você pensa que poderia ser diferente? Quais padrões de comportamento das mulheres das gerações anteriores a você que gostaria de quebrar? De que forma isso poderia mudar sua experiência como mulher e ser humano neste mundo?

E também refletir para celebrar: quais são as partes de ser uma mulher que mais lhe empoderam? O que mais ama em ser uma mulher vivendo nesse momento da sociedade? Quais os padrões de comportamento das mulheres das gerações anteriores a você gostaria de valorizar e passar para as próximas gerações? O que você admira nas mulheres à sua volta? De que forma as conquistas das mulheres que vieram antes de você fizeram a diferença na vida que vive hoje?

Penso que um dia como o Dia Internacional da Mulher seja um convite tanto à reflexão do que não está funcionando nos direitos e papeis das mulheres no mundo atualmente, como a celebração de todas as conquistas e da nossa gratidão pela mulheres que vieram antes de nós que fizeram isso ser possível.

Vivemos uma fase muito especial da história. Eu sei, ainda há muito que precisa ser mudado, muita coisa a ser conquistada. Ao mesmo tempo, veja à sua volta que você já vive, sim, com direito a usar sua liberdade e igualdade. A questão é: você usa todo seu potencial? Você respeita a forma que as outras mulheres usam?

É preciso respeitar a mulher que escolhe colocar seu foco exclusivamente em sua família e seu lar, a que coloca sua atenção na carreira, a que escolhe dividir seu tempo entre família e outras atividades, a que vai mudando de ideia ao longo do tempo, até a que vai deixando a vida fazer as escolhas por ela. Existe a possibilidade de criarmos nossa realidade como mulher no formato que sonharmos, não importa de onde você veio e qual são suas circunstâncias. O que nos provam as Malalas, Lupitas Nyongo, Irmãs Dulce, Tarsilas do Amaral, Marias da Penha, e por aí vai.

Esse é o momento mais propício para sermos as senhoras do nosso destino. Por isso te pergunto novamente: que mulher você quer ser em 2018?

Eu quero ser a mulher que não sente vergonha quando entra num restaurante para jantar sozinha. Eu quero ser a garçonete que atende a mulher que chega para jantar sozinha, e responde “Seja muito bem vinda”, com um sorriso no rosto, quando ouve “mesa para uma”. Eu quero ser a mulher que contribui para que outras mulheres dessa e das próximas gerações vivam em um mundo no qual possam ter mais consciência de seu poder, expressar mais seu amor próprio, autocuidado, e autocompaixão, bem todas as facetas do feminino que habitam dentro dela.

Eu acredito que quando uma mulher se sente plena e se ama por inteiro, todos os seres se beneficiam e mundo fica muito melhor. Para você começar a ser a mulher que você quer ser em 2018, meu convite para você celebrar o Mês da Mulher é começar se fazendo uma pergunta todo dia: de forma posso me amar mais por inteiro hoje?

Melissa Setubal

Melissa Setubal

Profissional pioneira em Saúde Integrativa no Brasil, criou sistemas que apoiam mulheres que sofrem com sintomas do ciclo menstrual e com sua imagem no espelho. Atua como coach de saúde, com atendimentos individuais e em grupo.