Como identificar pessoas narcisistas

Isso é importante, porque, ao conviver com uma, ela pose não respeitar os seus limites

Como identificar pessoas narcisistas

Sabe aquela pessoa que agiu de uma maneira ruim com alguém e você ficou se perguntando se ela quis ser má ou se foi sem querer? Em alguns casos, trata-se de pessoas narcisistas.

O narcisismo é uma definição cunhada por Freud com base em Narciso, que era definido como extremamente vaidoso.

Assim, pessoas narcisistas têm um ponto em comum: se sentem não megalomaníacas, mas egocêntricas, capazes, assim como Narciso, de só enxergar a si mesmas.

Você sabe identificar pessoas narcisistas? Isso é importante, porque, ao conviver com uma, ela possa não respeitar os seus limites.

Como identificar pessoas narcisistas

Como só enxergam a si mesmas, as pessoas narcisistas acabam não respeitando o que é um limite saudável entre elas e os outros.

Mesmo sabendo que isso faz mal aos outros, elas continuam com sua postura, não se incomodando nem um pouco com sua atitude inadequada de desrespeito.

Em alguns casos, pessoas narcisistas se envaidecem ao contar seus atos de desrespeito, muito próximo ao que chamamos de “contar vantagem” sobre seu cotidiano, o que lhes dá muito prazer.

Cometer infrações no trânsito, agressões verbais, entre outras, são atitudes das quais uma pessoa não narcisista não iria se sentir orgulhoso de praticar, pelo contrário, sentiria arrependimento e culpa.

Pessoas narcisistas podem ser grandes manipuladoras, agindo com persuasão pela palavra e até coagindo os outros através de violência física.

Em grande maioria, geram relacionamentos abusivos com os outros, pois acabam fazendo mais mal do que bem aos seus parceiros.

Em geral, quem conhece uma pessoa narcisista sabe que a relação com ela é preenchida de muita barganha.

O que pessoas narcisistas podem causar

Um relacionamento com um narcisista pode acabar deixando feridas emocionais e dúvidas, inclusive sobre nossas próprias atitudes, devido ao terror psicológico que o narcisista pode causar.

“Quem é louco, eu ou ele?” 

Este questionamento já aponta para uma baixa autoestima e uma desconfiança sobre o  problema vivenciado na relação.

Este tipo de situação pode gerar um nível de estresse permanente, muito próximo do que chamamos de estresse pós-traumático, devido ao caos emocional em que se vive.

Geralmente, sair deste tipo de relacionamento é bem difícil, pois, como mencionei, há uma barganha, ou seja, há uma troca entre o que o outro lhe dá o que você espera receber ou você recebe algo acompanhado de um abuso emocional.

As causas do narcisismo

Observamos que temos cada vez um número maior de pessoas narcisistas surgindo na sociedade. Em parte, isso se deve à grande quantidade de pais que não mantêm um relacionamento saudável com seus filhos.

Segundo a psicoterapeuta Anne Clotilde Ziégler, há três tipos de construção de uma pessoa perversamente narcisista, todos originados na família.

1. Falta de acolhimento na infância

No início de sua vida, a pessoa não recebeu muito acolhimento, tanto de mãe e pais, quanto por parte de outras pessoas, como avós ou cuidadores.

Ou seja, não houve cuidado suficiente para que a pessoa se sentisse segura e pudesse se autoconstruir de maneira sólida e coerente.

2. Falta de limite na infância

Crianças que não receberam limites suficientes ao longo da infância também podem se tornar narcisistas. São aquelas chamadas de “tiranas” pelos amigos, que não admitem compartilhar, estão sempre no centro da atenção e acham que todas as brincadeiras têm que ser em torno de suas conquistas.

Isso acontece porque elas não encontraram seus próprios limites. Logo, não reconhecem o limite dos outros.

Em particular, esta criança não aprendeu o que é limite com sua mãe ou alguém que preencheu essa função, isto é, a pessoa que ocupou o lugar da mãe estava pronta para satisfazer as vontades da criança e se colocou em segundo plano em sua vida na maior parte do tempo.

Freud nos ensina sobre a mãe suficientemente boa que segundo o autor, não pode ser apenas mãe, mas para permitir que sua criança seja saudável, também precisa ter outros desejos em sua vida, como seguir sua vida profissional e amorosa com um parceiro.

3. Rejeição de dons

Por último, pessoas que têm algum tipo de habilidade que foi rejeitada, pelo fato de serem “diferentes”, podem apresentar um comportamento narcisista, como um tipo de vingança.

Em muitos casos, pessoas narcisistas não buscam fazer terapia, porque se sentem muito bem consigo mesmas. No entanto, acabam chegando ao consultório de maneira indireta, devido aos danos causados em suas relações.

Como ajudar uma pessoa narcisista

Encontramos muitas pessoas narcisistas no cotidiano. Elas podem ser um parente, um colega de trabalho, um vizinho ou um parceiro amoroso.

Quando nos deparamos com este tipo de pessoa, é importante entender o grau de dificuldade em viver ao lado de alguém que não consegue enxergar a individualidade no outro e respeitar os limites saudáveis que precisam existir em qualquer relacionamento.

Para a Psicanálise, não existe cura para o narcisismo, mas, ao pensar nas crianças e adolescentes que passam pelas situações acima, uma forma de lhes ajudar é impondo limites, lhes acolhendo e as fazendo entender a diferença entre direito e dever, por exemplo.

Outro ponto muito importante é entender que, para quem é narcisista, a pessoa se sente confortável em manter suas relações abusivas. Então, quem busca ajuda não vai ser um narcisista, certo?

E, claro, se for possível, para aquelas pessoas que apresentam algum grau de narcisismo, mas assim como Narciso, não conseguem enxergar nada além de si mesmo, mas buscam manter relacionamentos saudáveis, é possível indicar algum tipo de terapia e sugerir a busca pela ajuda profissional, mas não é algo tão fácil de ser aceito para quase toda maioria de pessoas narcisistas.

Olá, essa matéria foi útil para você?
Bruna Rafaele

Bruna Rafaele

Psicanalista, especialista em Saúde Mental. Faz atendimentos presenciais no Rio de Janeiro e consultas online no Personare. Saiba mais