Equipe Personare
Por Equipe PersonareLeia em 8 min.04/08/2010 

Novo tratamento para queimaduras

Estudos desenvolvem pele artificial para reabilitar pacientes

Estudos desenvolvem pele artificial para reabilitar pacientes

Um estudo australiano está desenvolvendo pele artificial para recuperar pacientes que sofreram graves queimaduras. Segundo a dermatologista Gabriela Casabona, a Universidade de Campinas (Unicamp) também está debruçada sobre a mesma pesquisa, ainda em fase inicial. A ideia é utilizar células-tronco retiradas da pele sadia do próprio paciente e injetá-las em células de laboratório conhecidas como queratinócitos e fibroblastos. O objetivo é formar um tecido de pele diferenciado e depois aplicá-lo no local danificado. As queimaduras muito extensas podem danificar não só a pele, como também gordura e músculos.

Para entender melhor, o estudo pode ser comparado à uma receita de bolo. A mão do cozinheiro funciona como as células-tronco. É ela que dá liga ao ovo e à farinha, representados pelos fibroblastos e queratinócitos, e consegue moldá-los no formato desejado para ir ao forno. “Em casos muito graves, as células da pele não têm o poder de recuperar toda a área lesada sozinhas. Para reabilitar essas áreas são necessários diversos mecanismos, como a liberação de hormônios de crescimento celular específicos. No caso do estudo, isso é feito pelas células-tronco. São elas que enviam a informação necessária para que essas estruturas se regenerem”, explica a especialista.

Até pouco tempo, o tratamento para pacientes com queimaduras profundas era feito por meio de enxerto. Como nesses casos a cicatrização demora cerca de três meses ou mais, eram retirados pedaços de pele de partes sadias do corpo da pessoa, como coxas e atrás da orelha, por exemplo, e depois “colados” no local danificado. No entanto, atualmente já existem alguns curativos que permitem que a pele se recupere sem a necessidade dos enxertos, dependendo da extensão da área danificada. Se der certo, o novo estudo pode representar uma esperança para pessoas que tiveram queimaduras muito profundas e não possuem pele saudável suficiente para uma total recuperação.

Como proceder

As velhas receitas caseiras, como utilizar pasta de dente no local queimado, não devem ser utilizadas. O ideal é passar óleo de cozinha ou vaselina no local atingido para hidratar e proteger a pele. Em casos de queimaduras por produtos químicos, a recomendação é ir imediatamente ao posto de saúde mais próximo de casa. Nesses casos, até lavar o local com água pode piorar.

Nas queimaduras por contato – que acontecem por meio de água quente ou fogo – o calor esquenta rapidamente as proteínas da pele e as camadas naturais, como derme e epiderme, descolam e morrem. Vale lembrar que todo processo inflamatório gera líquido e bolhas. Se a queimadura for grave, áreas como músculos e gordura também podem ser atingidas. Nesse caso, o procedimento feito por um médico é lavar e retirar todas as partes danificadas e depois avaliar o tipo de tratamento que o paciente deve se submeter.

De acordo com Casabona, as três causas mais comuns de queimaduras são as provenientes de acidentes domésticos, manuseio indevido de fogos de artifício e água quente.

Equipe Personare

Equipe Personare

Nós, da equipe Personare, também estamos em um processo constante de conhecimento sobre nós mesmos, sobre o mundo e sobre as relações humanas.