Como usar a escrita terapêutica no Natal

Escrever sobre sentimentos como medo e ansiedade pode ajudar a evitá-los na ceia natalina

Como usar a escrita terapêutica no Natal

Então é Natal. E o que você fez?

Essa época do ano mexe com as nossas esperanças e com as nossas dores.
Momento esperado por alguns e rejeitado por outros, mas as razões são parecidas, já que atravessam o mundo emocional e muita coisa precisa ser conciliada.

Neste ano as comemorações terão como cenário a pandemia.

Tudo que aprendemos até agora sobre o Natal, seus significados, memórias associadas, os comportamentos e até sentimentos “adequados”, não nos servem como modelo.

Solitários ou não, também estarão o medo, a ansiedade, expectativas sobre a saúde, dúvidas sobre o amanhã.

O que ocorre é que a mente linear, a mente lógica, aquela parte que acha que tem controle, fica tentando disfarçar os sentimentos profundos; no entanto é uma tentativa vã, já que não há como não sentir o que estamos sentindo e podem ser sentimentos e pensamentos que não foram convidados para a ceia.

Como lidar com o medo e a ansiedade no Natal?

Que tal escrever uma cartinha para Papai/Mamãe Noel?

Vamos experimentar um exercício que solicita a criança interior.

Quando uma criança escreve uma cartinha para o Papai/Mamãe Noel, ela está usando todo o potencial criativo, está usando a mente mágica, sem limites, ela acredita com força, em todas as suas células, que é verdade; o corpo começa a reagir nesta mesma frequência  e acontece um grande bem estar.

Isto ocorre porque o cérebro não sabe o que é verdade ou mentira. O cérebro não sabe o que é fantasia ou realidade. Então é possível utilizar estes recursos para auxiliar a lidar com as pressões que causam grande estresse, que tendem a aumentar nesta época.

Tenha em mente que seu corpo está se adaptando à vida, todo o tempo. Tudo que você sente, sejam sintomas, sentimentos ou comportamentos é o seu corpo fazendo o melhor que pode fazer para se adaptar.

Vamos dar um apoio ao nosso inteligente sistema adaptativo?

A escrita terapêutica é uma ferramenta poderosa, então escreva sua cartinha para Papai/Mamãe Noel.

É importante seguir a ordem da escrita. O que queremos é instalar uma mudança consistente no processo interno.

  1. Conte sobre seus medos, sobre o que te angustia, conte dos seus sentimentos ou incômodos. Conte sobre aquilo que você se sente em obrigações, o que te massacra. Conte das suas dúvidas.
  2. Conte também aquilo que você deseja, como você QUER se sentir. Use o tempo presente, por exemplo: sinto que hoje estou saudável.
  3. Agora você vai contar tudo que você conquistou e superou. Será que você foi uma boa menina, um bom menino? Conte que você superou a doença, que conseguiu chegar até aqui, que resolveu algo, que deu jeito nisso e naquilo…

Observe a força que você encontra ao escrever sobre essas coisas. Perceba como seu corpo vai ficando realmente mais feliz.

São as possibilidades que se abriram dentro do seu ser!

Após escrever, dê um destino a sua carta. Eu sugiro que você poste em um endereço alquímico, queimando a carta. O fogo é o elemento do coração, o elemento que representa a espiritualidade. Experimente.

Que estes momentos de comemoração sirvam para que a vida seja lembrada como o bem maior.
Que todos os seres tenham direito à vida e ao bem estar. Façamos a nossa parte.

Olá, essa matéria foi útil para você?
Celia Barboza

Celia Barboza

Terapeuta PaRama BodyTalk. Seu trabalho consiste em trazer o ser de volta para si mesmo a partir da observação de possibilidades mais saudáveis. Faz atendimentos em seu consultório no Rio de Janeiro e atende à distância pessoas do Brasil e do Exterior. Saiba mais