Vanessa Tuleski
  • Por Vanessa Tuleski
  • Leia em 4 min.
  • 09/07/2014
  • Atualizado em 23/06/2018 às 21:09

Escolha da data do parto para definir signo do bebê

Entenda a polêmica que envolveu a atriz Ana Paula Tabalipa

Escolha da data do parto para definir signo do bebê

Os astrólogos são consultados frequentemente para opinar sobre a data de nascimento das crianças. Mães que já pretendem fazer cesariana muitas vezes perguntam qual de determinados dias pode ser o melhor para marcar a cirurgia. Não há problema nenhum neste tipo de escolha, desde que fique dentro das regras do bom senso e só seja feita por mães que já não pretendem ter parto normal. Assim, a condição de prematuridade de um filho por si só já fugiria deste critério de bom senso. Além disso, muitas vezes o turno do nascimento já é determinado pelo médico, influenciando no signo Ascendente, que muda a cerca de duas horas. As opções dentro de um turno podem variar, desta forma, em torno de no máximo três signos que poderão ocupar o Ascendente.

Na semana passada, foi veiculada uma notícia que causou polêmica: a atriz Ana Paula Tabalipa contou, em entrevista para o site EGO que, em um dos partos, decidiu ter o bebê antes do tempo para que ele pudesse nascer sob o signo de Leão, e não Virgem. Em consequência desta decisão, o menino nasceu quase prematuro e precisou ficar na UTI por alguns dias. Ele veio ao mundo sob o signo de Leão, como a atriz desejava, mas com o Ascendente e a Lua em Virgem. Segundo Ana Paula, o menino apresenta fortes características do Virgem, pois é “é hiper metódico, completamente diferente de mim”.

O signo Ascendente, como na prática comprovou Tabalipa, é muito importante, porque é aquele que está nascendo no horizonte leste junto com a criança, e que inaugura o que seria a casa um do mapa dela.

O signo Ascendente, como na prática comprovou Tabalipa, é muito importante, porque é aquele que está nascendo no horizonte leste junto com a criança, e que inaugura o que seria a casa um do mapa dela.

Esta casa marca a maneira de manifestar a personalidade e as motivações da pessoa, além de estar ligada às próprias circunstâncias do nascimento. Assim, mesmo em uma cesariana, não é possível prever com precisão o horário exato em que o parto será realizado. Na maioria das vezes, a possibilidade de escolha se restringe ao dia, e o fator que mais vai se alterar com isto será a Lua, que é o astro mais rápido da Astrologia, ficando cerca de dois dias e meio em cada signo, fazendo, ao longo deste tempo, contatos com outros planetas, que podem ser mais desafiadores ou mais fáceis.

A escolha que não evitou um signo

Apesar de todo o esforço para ter um pequeno leonino, o Ascendente do filho de Ana Paula Tabalipa foi, justamente, Virgem, o signo que ela não queria. No entanto, se formos mais fundo no simbolismo deste signo é possível entender porque não foi possível driblá-lo, como a atriz desejava. Virgem é um signo que tem a ver com os detalhes, sendo em geral mais crítico e criterioso do que os outros. Ao não querer que o filho nascesse com este signo, Ana Paula já estava expressando características que podem ser associadas a Virgem, sendo uma delas a seletividade (“eu quero este, e não aquele”). Além disso, o bebê precisou de cuidados médicos logo após o nascimento, o que também tem a ver com Virgem, que rege questões de saúde.

Por que Leão, e não Virgem?

Mas seria o signo de Virgem tão ruim assim para ter sido preterido a favor de Leão? A rigor, os doze signos são necessários e nenhum é melhor do que o outro. Todos têm defeitos e qualidades, e são, simbolicamente, como se fossem doze cores únicas. Pense em uma empresa, que precisa tanto do pessoal da limpeza quanto da linha de trabalho intermediária e dos dirigentes. Se faltar um elemento, a empresa entra em desequilíbrio. Assim, gostemos ou não, o mundo precisa tanto dos capricornianos quanto dos piscianos, e assim por diante. Cada um cumpre uma função e tem um dom diferenciado.

Além disso, o Mapa Astral é um sistema complexo, em que todos os planetas influem, e não somente o Sol. Prova disso foi a escolha da atriz, que tentou fugir de Virgem, mas não conseguiu. Mas por que ela teria escolhido Leão, e não Virgem? Possivelmente, por uma questão de afinidade ou preferência. Para a Astrologia, o Sol é considerado como sendo dignificado em Leão, por ajudar na expressão da personalidade, na alegria e vitalidade. O Sol em Leão gosta de brilhar. No entanto, é bom que se saiba que Sol brilha de uma maneira própria em cada signo. Em Virgem, pode brilhar no trabalho, na inteligência prática, no cuidado e na eficiência.

Pais e filhos: aprendendo uns com os outros

Outra questão importante é que há um mistério natural e também astrológico na relação de pais e filhos. Filhos sempre ensinam algo aos pais. Aprende-se tanto com as diferenças quanto com as semelhanças. Cada criança também já nasce com uma inclinação, o que pais de mais de um filho sabem muito bem. Tem sempre um mais inquieto, outro mais dorminhoco, formando personalidades diferentes. Filhos, portanto, já vêm com inclinações e preferências, e o próprio Mapa Astral de nascimento deles já é uma prova disso. Mas o mapa também não conta tudo. Na verdade, ele fala de potenciais, e não de verdades prontas, porque o ser humano é altamente criativo, adaptável e tem livre arbítrio. Crianças gêmeas muitas vezes têm mapas muito parecidos e ainda assim expressam grandes diferenças entre si.

Curiosidade

O mistério astrológico é que, com frequência, os mapas astrológicos familiares se interconectam. É muito comum que, sem qualquer premeditação, uma criança nasça com a Lua exatamente no mesmo signo em que a mãe tem o Sol, sendo que a Lua, para a Astrologia, é o símbolo da mãe. Ou então que o Ascendente da criança seja o signo solar do pai, e assim por diante. Não só posicionamentos podem se repetir como outros fatores astrológicos dentre membros de uma mesma família, como se fossem marcas compartilhadas.

Astrólogos espiritualistas: nada é por acaso

Astrólogos da linha espiritualista também crêem que nada é por acaso. Assim, por exemplo, quando são procurados para ajudar com a escolha de uma data dentro de uma faixa de tempo não crêem que estejam interferindo no destino daquela criança, mas que, pelo contrário, façam parte daquele destino.

Se o planejamento furar, relaxe

Porém, com frequência, o próprio planejamento de uma data fornecida por astrólogo pode ser furado por fatores de ordem maior. A mãe pode ter uma emergência e a criança nascer antes. Neste caso, vale se observar, novamente, a lei do bom senso, até porque há algo muito mais importante na Astrologia do que qualquer outra coisa: a função de permitir o autoconhecimento. Desta forma, se o planejamento furou, simplesmente relaxe e permita que as coisas aconteçam da sua própria maneira. Além disso, viver é lidar com desafios, e não há Mapa Astral que vá privar pais e filhos disso.

Se o planejamento furou, simplesmente relaxe e permita que as coisas aconteçam da sua própria maneira. Além disso, viver é lidar com desafios, e não há Mapa Astral que vá privar pais e filhos disso.

Não há fator isolado (como o signo solar) que vá fazer do seu filho um sucesso ou fracasso, sendo que estas duas coisas também são relativas.

Desta maneira, por exemplo, se a criança nasce com uma Lua em Escorpião, normalmente muito sensível à rejeição, é muito mais útil que os pais conheçam como lidar com este fator e acolham a criança do que lamentar que ela não tenha um signo lunar “mais leve”. Na natureza, cada qualidade é necessária e valorizada. A criança com Lua em Escorpião tem uma profundidade natural e muitas vezes, adulta, em razão desta característica, pode ser chamada a “segurar a barra” em momentos difíceis. Ela também poderá ter um papel de transformadora na família, já que este é um signo é associado a isto.

Fugindo dos preconceitos astrológicos

Particularmente, acredito que toda relação é uma troca, estamos em um permanente processo de ensinarmos uns aos outros. Neste sentido, penso que também é importante fugir de preconceitos astrológicos, como, por exemplo, que a criança ariana será sempre um adulto agressivo, a virginiana chata, a geminiana superficial, o pisciana nasceu para ser músico (e não empresário) e assim por diante. O próprio Mapa Astral é um testemunho de quantas nuances a personalidade pode ter que vão muito além de todos estes estereótipos. Assim, é muito mais produtivo e interessante conhecer o mapa do que prejulgá-lo. Afinal, conhecimento é a chave de tudo.

Escolher ou não escolher: eis a questão

Então você que planeja ter filhos fará o que? Se a mulher deseja ter parto normal, tenha e confie que o filho virá de acordo com o momento da família e com os pais, e que o mapa, de alguma forma, vai refletir isto. Os mapas estão conectados, lembra? E não só com os membros da família, mas como também com os momentos que estes membros vivem.

Se você quer ter cesariana, e se sentir esta intuição ou desejo, pode fazer uma consulta de data, mas não se apegue a ferro e fogo a ela. Ninguém vai prejudicar seu filho porque ele não pôde nascer na data designada. Ele vem ao mundo quando tem de vir. E ele vem sempre para ensinar e aprender com os pais como usar seus melhores potenciais para se realizar, no que os pais procuram ajudar. E neste sentido pode ser virginiano, leonino, aquariano, etc. Cada signo tem um dom especial e o mais bacana será conhecer quais são os dons do seu filho e como dar suporte em suas possíveis lacunas ou dificuldades, e tudo sem deixar de reconhecer que ele também precisa aprender a lutar.

Olá, essa matéria foi útil para você?
Vanessa Tuleski

Vanessa Tuleski

Vanessa Tuleski mora no RJ e dá consultas astrológica-terapêuticas pessoalmente ou à distância, focando no que o céu tem a dizer, mas também no que o livre arbítrio pode fazer. Saiba mais