Sylvio de Barros
Por Sylvio de BarrosLeia em 9 min.30/01/2014 

Criança pode e deve brincar o carnaval

Cuidados simples ajudam a proteger os pequenos durante a folia

Cuidados simples ajudam a proteger os pequenos durante a folia

O povo brasileiro é conhecido internacionalmente por sua simpatia e bom humor. E a maior demonstração de nossa alegria e disposição ocorre no carnaval – a maior festa popular do país. Acredito ser muito importante manter esta tradição típica do brasileiro, agora também universalizada, transmitindo a cultura para nossas crianças e estimulando-as a participar desta grande oportunidade de brincar, socializar e descontrair.

No entanto, como pediatra, aconselho que os responsáveis pelos pequenos nunca se descuidem de alguns cuidados especiais durante a folia. Prestar atenção às necessidades da criança pode evitar aborrecimentos posteriores ao carnaval. Para saber como proteger os mini foliões, confira abaixo algumas dicas:

  1. Bebês não devem frequentar festas de carnaval, pois podem se excitar excessivamente. As consequências são: insônia, pesadelos e falso terror noturno, entre outros. Além disso, crianças muito pequenas não possuem o sistema imunológico totalmente desenvolvido, facilitando a contaminação por vírus e bactérias , tipicamente presentes em aglomerações.
  2. Leve seu filho ao local da festa já com uma pulseira de identificação, onde conste o seu nome completo e o do responsável que esteja presente no local, além do número do telefone celular do adulto. Este procedimento simples dará mais liberdade para o seu filho e mais tranquilidade para você.
  3. Lembre-se que o carnaval ocorre em pleno verão brasileiro, com dias quentes e úmidos, que aumentam a sudorese e o risco de desidratação. Escolha, então, roupas ou fantasias leves, de cores claras, folgadas no corpo e que permitam a circulação do ar. Oferecer água para a criança e sucos naturais durante a festa também é importante.
  4. Evite também que as fantasias sejam acompanhadas de brinquedos, como armas (revólveres, espadas, etc.), que além de servirem como apologias da violência, podem provocar acidentes.
  5. Cuidado com máscaras que, quando deslocadas, podem dificultar a respiração da criança. Pinturas devem ser feitas com tintas naturais, neutras, e de fácil eliminação, evitando-se as regiões próximas aos olhos e à boca.
  6. Dê preferência para tênis que não apertem os pés, pois a criança terá muito mais segurança para correr e pular, além de ser muito mais confortável para ela.
  7. Tome cuidado com as tradicionais “guerras de confetes”. Elas acabam se tornando perigosas para nossos pequenos, pois podem levar a engasgos ou aspiração do material. Sendo assim, evite esse tipo de brincadeira.
  8. As crianças maiores (pré-adolescentes e adolescentes) devem ser muito bem orientadas a não beber bebidas alcoólicas, não aceitar nada oferecido por estranhos, e procurar por você ou por uma autoridade policial diante qualquer suspeita de assédio.
  9. Festas de salão costumam ser realizadas para faixas etárias definidas. Respeite estas divisões, não permitindo que seu filho vá a festas com crianças de outra idade, sejam elas mais velhas ou mais novas.

Como podem ver, as dicas são bem simples e vão garantir a plena folia dos baixinhos e a sua tranquilidade.

Sylvio de Barros

Sylvio de Barros

Dr. Sylvio Renan Monteiro de Barros é pediatra pela Sociedade Brasileira de Pediatria e diretor da MBA Pediatria . http://www.mbapediatria.com.br