Melissa Setubal
  • Por Melissa Setubal
  • Leia em 4 min.
  • 14/09/2016
  • Atualizado em 05/05/2020 às 18:44

Chia x Linhaça: o que é melhor consumir?

Veja quem ganha a disputa pela sua saúde

Chia x Linhaça: o que é melhor consumir?

Superalimentos entram e saem de moda, prometem milagres e uma lista sem fim de benefícios (que só falta incluir curar dor-de-cotovelo).

Mas acabam surgindo muitas dúvidas sobre como usar essas comidas, se você deve investir ou não nessa ou naquela, e se os resultados são realmente comprovados pela experiência e pela ciência.

Duas sementinhas têm disputado espaço nos hábitos de alimentação saudável das pessoas ultimamente: a famosa linhaça e a recém-chegada chia.

A primeira, nativa do hemisfério norte, apareceu por aqui na década passada, e hoje você a encontra em qualquer supermercado e até nos restaurantes self-services. Já a segunda, apesar de nativa da América Latina, só está se tornou conhecida mais recentemente.

Veja abaixo quais as vantagens e desvantagens delas, e como você pode usar cada uma para beneficiar a sua saúde.

Jogo empatado: ambos os alimentos são ricos em nutrientes importantes

Entre as vantagens de inserir tanto a linhaça quanto a chia na alimentação estão nos níveis similares de nutrientes, muito importantes para um funcionamento pleno do organismo, como:

  • Gorduras Ômega – entre outras coisas, impactam diretamente no funcionamento do cérebro e dos hormônios
  • Fibras – auxiliam no processo de digestão e absorção de nutrientes
  • Proteínas – ajudam a manter os níveis de energia e de apetite estáveis. Existem diversos estudos que já comprovaram sua eficácia na prevenção e reversão de doenças cardíacas e diabetes.

Pesquisas conduzidas na University of Southern Queensland mostram que o consumo regular de chia, por exemplo, redistribui a gordura corporal que pode se acumular no coração e fígado, por contas seus níveis de Ômega, fibras e proteínas.

A linhaça vence algumas disputas

O preço e a disponibilidade da linhaça ainda ganham disparado da chia, tornando esse superalimento mais acessível para mais gente se beneficiar de suas vantagens.

Outro ponto que a linhaça ainda ganha é nos efeitos positivos para as mulheres que enfrentam os sintomas da menopausa.

A linhaça é o alimento existente mais rico em substâncias chamadas lignanas, que por ser um fitoestrogênio, ajuda a recuperar os níveis hormonais que minimizam os sintomas desconfortáveis desta fase, como os calores e a depressão.

A chia ganha disparado em duas provas

Por outro lado, a chia vence em algumas outras comparações.

Esse alimento possui mais níveis de minerais importantes, como cálcio, manganês e fósforo – benéficos para ossos e dentes – como também para absorção de outros nutrientes e reparação celular e dos tecidos.

A chia é uma campeã nos níveis de antioxidantes, que previnem o envelhecimento precoce e impactam no melhor funcionamento de todos os sistemas do organismo.

Além disso, a chia tem sido mais recomendada para as mulheres em idade fértil e com sintomas no ciclo menstrual.

A maior vantagem da chia em relação à linhaça é a sua durabilidade e digestibilidade. A linhaça contém óleos que se oxidam facilmente, o que faz ela ter validade de, no máximo, um ano.

Mas como é mais comum a linhaça ser estocada exposta à luz em embalagens transparentes, e também ser vendida em forma de farinha ou óleo, muito da linhaça consumida contém gordura rança, que ao invés de beneficiar, até pode causar problemas de saúde.

Além disso, a linhaça tem uma casca dura, então consumi-la inteira impede que tenhamos acesso aos seus benefícios, pois não conseguimos digeri-la. O ideal é triturar as sementes na hora do uso, e/ou fazer um gel do alimento, deixando-o de molho por 30 minutos em água

Já a chia, por conter níveis muito altos de antioxidantes naturais, tem validade extremamente longa e não fica rança facilmente (há fontes que dizem que essas sementes duram mais de 30 anos para consumo).

Outra característica que faz a chia ser mais fácil de consumir é que conseguimos digerir a semente facilmente.

O ideal é comprá-la inteira e acrescentá-la nas suas preparações de alimentos ou em comidas prontas. Outra opção é deixar a semente de molho por até 10 minutos.

Tanto a chia quanto a linhaça podem ser consumidas puras, assim que hidratadas, ou usadas na salada de frutas, em sucos e vitaminas, no arroz cozido, na salada de folhas, ou salpicadas direto no prato por cima do que estiver comendo no momento.

A versatilidade da chia na culinária

Pelo fato da chia absorver até 10 vezes seu volume em líquidos e ter um sabor neutro, ela é ótima para brincar com sabores e texturas.

Confira esta receita fácil, rápida e saborosa e aproveite seus benefícios com uma sobremesa.

Pudim de chia e chocolate

Preparo: 15 minutos | Cozimento: 0 minuto | Pronto em: 15 minutos | Serve 1 a 2 pessoas

  • 2 colheres de sopa de chia
  • 1/4 xícara de cacau em pó
  • 3/4 de xícara de leite de coco
  • Mel ou melado de cana a gosto, para adoçar

Modo de fazer

Em uma tigela, misture o leite de coco com o melado, acrescente o cacau em pó e incorpore bem.

Coloque a chia e deixe descansando por pelo menos 10 minutos. Se preferir, leve para gelar por cerca de 30 minutos a 1 hora. Sirva com frutas vermelhas para aumentar o poder antioxidante.

Olá, essa matéria foi útil para você?
Melissa Setubal

Melissa Setubal

Profissional pioneira em Saúde Integrativa no Brasil, criou sistemas que apoiam mulheres que sofrem com sintomas do ciclo menstrual e com sua imagem no espelho. Atua como coach de saúde, com atendimentos individuais e em grupo. Saiba mais