Denise Gurgel
  • Por Denise Gurgel
  • Leia em 9 min.
  • 02/02/2010
  • Atualizado em 02/02/2010 às 03:54

Brincadeiras para toda a família

Dicas simples para se aproximar dos pequenos e voltar a ser criança

Dicas simples para se aproximar dos pequenos e voltar a ser criança

Brincadeiras para toda a família

Brincadeira não é só coisa de criança! É importante que os pais participem dessa atividade, oferecendo um entorno enriquecedor, que favoreça as habilidades da criança. Dessa forma, naturalmente ela aprende regras, tem sua curiosidade despertada e é motivada a encontrar soluções criativas, desenvolvendo um sistema de busca cerebral.

Parece difícil? Mas é fácil! Lembra daquelas brincadeiras antigas de quando éramos criança e vivíamos num mundo do faz de conta? São essas atividades que ajudam os pequenos a explorar esse sistema de busca e a sempre procurar novas formas de resolver situações. Saiba que as brincadeiras estimulam não só esse aprendizado, mas também a forma como a criança vê o mundo, interpreta, participa e se relaciona com o outro.

Saiba que as brincadeiras estimulam não só esse aprendizado, mas também a forma como a criança vê o mundo, interpreta, participa e se relaciona com o outro.

A tecnologia hoje em dia tem sido facilitadora, mas exige outras formas na busca de soluções, sem mexer com o corpo de forma dinâmica. Mude o hábito e divirta-se com seu filho através de brincadeiras nas quais a criança possa se explorar, explorar o ambiente e usar a criatividade. Muitos brinquedos não exigem do sistema de busca da criança, pois ela já sabe a resposta que o mesmo oferece! Para criar esse entorno rico não é necessário gastar, há formas caseiras. Veja algumas dicas simples, que não só ajudarão aos pequenos, mas também aproximarão os familiares e os farão voltar à infância!

  1. Regar o jardim ou lavar o quintal pode se tornar uma brincadeira estimulante.
  2. Objetos simples de casa, como lençóis, caixas de sapato vazias e cadeiras podem se transformar num tanque de guerra ou casinha. Um regador faz a chuva, o pote plástico é o barco… basta deixar a fantasia tomar conta da brincadeira e permitir que a criança construa;
  3. Estimule o contato da criança com a natureza (chuva, árvores, plantas, flores, areia, grama), de forma com que ela possa interagir com o meio. Siga a criança e não a conduza;
  4. Conte histórias nas quais um vai acrescentando uma informação e depois o outro. Dessa forma, estimula-se a ideia e a história ganha estrutura. Os temas podem ser variados como, uma visita a fazenda ou os pais podem até mesmo usar temas que desejam abordar/ inserir no cotidiano da criança;
  5. Fazer desenho livre juntos é uma ótima forma usar a imaginação.

Devemos apenas prestar atenção, pois muitas vezes inibimos o sistema de busca, a criatividade da criança. Veja alguns exemplos:

  1. Quando o adulto dá uma bronca no momento da brincadeira porque a criança está fazendo barulho, correndo pela casa e espalhando brinquedos. Simplesmente censurar o pequeno por não estar brincando da forma que você acha que seria a “correta” poderá inibir o desejo de inventar e explorar;
  2. Quando há hora reservada para inúmeras atividades da criança durante o dia (escola, inglês, natação, aula de violão…), mas não existe tempo para a diversão;
  3. Quando a televisão é usada como babá, substituindo o período em que a criança deveria estar brincando.

Inspire-se e deixe a espontaneidade tomar conta da brincadeira!

Olá, essa matéria foi útil para você?
Denise Gurgel

Denise Gurgel

Fisioterapeuta materno infantil, especialista em Shantala, consultora do sono e de desenvolvimento motor dos pequenos. Atende em São Paulo e no Rio de Janeiro. Saiba mais