Equipe Personare
Por Equipe PersonareLeia em 3 min.09/06/2015 

Acessórios para praticar Yoga

Chamados de props, itens facilitam a prática e reduzem risco de contusões

Tanto para os adeptos quanto para os iniciantes, algumas posturas de Yoga e o Hatha Yoga clássico, por exemplo”, detalha o especialista.

Nem todas as linhagens de Yoga usam props

Contudo, muitas outras linhagens de Yoga evitam os acessórios, por terem uma proposta voltada mais à espiritualidade do que ao aspecto físico. Thaise diz que, diferente do Iyengar Yoga, o uso de props em aulas de outras modalidades dependerá de cada postura, aluno e principalmente de cada professor. De acordo com Mario, instrutor e aluno é quem decidirão. “É importante observar que existem outras linhagens de Yoga, ora voltadas para a parte ritualista e as orações, como o caso do Bhakti Yoga, ora direcionada para Meditação e desobstrução de barreiras energéticas e controle das emoções e da mente, como Kundalini Yoga ou Raja Yoga. Para todas elas, não existem props específicos. Isso dependerá da condição física do aluno e da abordagem do professor”, esclarece o dono da Ekomat.

Conheça, abaixo, os seis props mais utilizados no Yoga:

Mat – O tapetinho para Yoga

O conhecido Mat, ou tapete de Yoga, impede que o aluno escorregue durante a prática e possui também um significado mais profundo, de acordo com Thaise. “Eu o comparo ao nosso terreno, já que o corpo é visto como o nosso templo ou casa. Ele serve para delimitar o nosso espaço na sala de Yoga, além de ser antiderrapante, o que contribui para um bom desenvolvimento das posturas”, ressalta.

Zafu e bolster – Almofadas

Para quem sofre com dores na coluna, as almofadas são um alívio, poupando também a lombar e outras partes do corpo. “Elas servem de apoio em determinadas posturas, seja para apoiar corretamente a lombar e a musculatura posterior das coxas, quando estamos sentados, ou servir de suporte para a cervical, o pescoço ou a região dos ombros em posturas invertidas”, informa Mario. Thaise Titon explica que os bolsters são modelos próprios para posturas de repouso. “As almofadas são de várias formas e tamanhos; as mais achatadas, chamadas de zafus, são usadas para sentar, elevar um pouco o quadril e alinhar melhor a coluna. Os bolsters, por outro lado, são maiores e longos, essenciais para práticas restaurativas e o descanso da coluna, das pernas e de outras partes do corpo”, diz.

Bloco

O bloco para Yoga pode ser usado como extensão do corpo em posturas nas quais o praticante não consiga tocar o chão com as mãos. Um exemplo é a asana Ardha Uttanasana. “Os blocos são excelentes para o desenvolvimento e aprimoramento das posturas, contribuindo para as que exigem equilíbrio e para o alongamento dos braços e da coluna. O aluno pode apoiar as mãos ou a cabeça no bloco, dependendo do que cada postura exige”, ensina Thaise Titon. Para Mario, o bloco é importante pois permite a execução das posturas sem forçar o corpo do aluno.

Cadeira de Meditação

Em alguns praticantes de Yoga, problemas como escoliose e hérnia de disco podem dificultar muito a permanência em posturas sentadas, mais meditativas. A cadeira de Meditação livra o aluno dessas dores e o permite ficar bastante tempo na asana. “Elas são fundamentais para quem porventura sofre de problemas na coluna, com dificuldade de mantê-la ereta. A cadeira oferece o conforto necessário para que o aluno comece bem uma aula. Pode também ser usada em encontros de Meditação ou Satsangas que durem mais de 1 hora”, informa Thaise.

Cinto

Um exemplo de uso do cinto é o alongamento das pernas, passando o cinto pelos pés e puxando até onde deseja esticar. “Os cintos ajudam em posturas de alongamento, ou seja, quando temos que alcançar uma determinada parte do nosso corpo e não conseguimos”, explica Mario Santos. Esse prop também pode ser usado no Yoga restaurativo, em que o yogi restabelece as energias. “O cinto é muito utilizado e contribui para aprimorar as posturas que exigem alongamento das pernas, essenciais para pessoas que têm encurtamento nas costas e na musculatura posterior das pernas. Podem ser usados também em práticas restaurativas, em que o aluno compensa o peso do corpo sem forçar a musculatura”, diz Thaise Titon.

Pesinho para os olhos

Segundo Thaise, os pesinhos também são usados em práticas restaurativas, sendo colocados sobre os olhos fechados para proporcionar bem-estar após a prática de Yoga. “Eles são ótimos para afastar as distrações externas depois de uma prática, pois pressionam levemente o globo ocular e acalmam a mente”, explica.

Props tornam Yoga mais acessível

Os props são uma exclusividade do Yoga no ocidente, cuja população não tinha o hábito de praticar nem, consequentemente, as condições físicas para isso. “O uso dos props tornou-se muito comum por conta da ocidentalização do Yoga, ou seja, quando pessoas não acostumadas a esse tipo de prática tiveram que se adaptar a elas. O mestre B. K. S Iyengar foi um dos responsáveis em trazer a prática para o ocidente e, por isso, é um dos difusores do uso dos acessórios. O corpo de um indiano é completamente diferente do corpo de um americano, por exemplo, seja por razões culturais (o modo de sentar e mesmo de viver são bem distintos), seja por questões biofísicas”, informa Mario Santos. “A comunidade de yogis, mestres etc. encara muito bem o uso de acessórios, pois ele dá condições de um maior número de pessoas praticar Yoga. Ele “democratiza” esse exercício, tornando-o acessível a todos.

A comunidade de yogis, mestres etc. encara muito bem o uso de acessórios, pois ele dá condições de um maior número de pessoas praticar Yoga. Ele “democratiza” esse exercício, tornando-o acessível a todos.

O oferecimento dos props a alunos em uma aula, em academias de ginástica ou institutos exclusivos, dependerá muito do método e da abordagem do professor. Algumas modalidades dispensam o uso do “prop” por acreditarem que o corpo do aluno deve se adaptar de maneira independente à prática, ao longo do tempo”, revela Mario.

Substituindo os props por objetos de casa

Para quem não pode ou não quer comprar um prop, uma alternativa é improvisar. Os originais têm um tamanho padrão, único, mas praticantes podem substituí-los por objetos que normalmente as pessoas têm em casa. “O método Iyengar formatou algumas medidas padrões dos props, que são seguidas até hoje pelos fabricantes e marcas desses acessórios. No canal da Ekomat no Youtube, é possível aprender, com alguns vídeos, a substituir os acessórios por materiais que costumamos ter em casa”, informa Mario Santos. Para assistir os vídeos, acesse:

Equipe Personare

Equipe Personare

Nós, da equipe Personare, também estamos em um processo constante de conhecimento sobre nós mesmos, sobre o mundo e sobre as relações humanas.