5 alimentos impróprios para mulheres em idade fértil

Queridinhos das dietas, ingredientes como soja e salmão desequilibram níveis hormonais

Normalmente, sou adepta da Dieta do Coma Mais, ou seja, da ingestão de alimentos que tragam mais benefícios para o organismo como um todo e para a harmonia do peso, dos hormônios e do humor.

Porém, existem muitos ingredientes conhecidos como “saudáveis” que podem causar muitos problemas para mulheres que menstruam naturalmente ou que usam anticoncepcional hormonal e sofrem com sintomas da TPM e da menstruação, bem como de condições como excesso de peso, ovário policístico, mioma, endometriose, infertilidade ou dificuldade para engravidar, entre outros.

Por isso, listo cinco do ingredientes mais consumidos pelas pessoas que querem ficar mais saudáveis ou perder peso, que, no entanto, podem contribuir para a piora de tais sintomas e doenças.

Soja

A questão do consumo de soja para as mulheres em idade fértil é que ela promove a alta produção de estrogênio pelo organismo, que já é incentivada por diversos outros fatores ambientais e alimentares, além do uso de anticoncepcional hormonal. E é justamente isso que causa os principais sintomas da TPM, como alterações de humor, acne, cólicas fortes e aumento de peso e inchaço.

Por isso, recomendo o consumo de soja somente para quem não sofre desses sintomas e doenças e/ou 5 a 10 dias após o período menstrual. Indico a soja orgânica e na forma de produtos tradicionais, como shoyu, tofu e missô, entre outros tipicamente orientais, que garantem mais benefícios.

Leite, iogurte e derivados

Até os orgânicos entram nessa mira. A questão aqui é que os hormônios dos animais, sejam eles naturais ou artificiais, estão altamente presentes no leite. Para quem sofre com o ciclo menstrual ou usa anticoncepcional hormonal, os laticínios podem piorar muitos os sintomas da TPM, além de enxaqueca, alergias respiratórias e osteoporose (o Departamento de Medicina de Harvard, a famosa universidade norte-americana, inclusive, retirou os laticínios de suas recomendações alimentares por conta do alto nível de gordura saturada e de aditivos químicos na maioria desses alimentos).

Por isso, sempre recomendo diminuir a ingestão de leite, iogurtes, queijos e qualquer comida que inclua algum derivado. Lembrando que leite de soja não é um bom substituto pelas razões descritas no slide anterior.

Linhaça

Mas essa sementinha não é boa pra um monte de coisas? Sim, ela pode ser bem benéfica para diversas condições de saúde, porém, como a soja, ela promove a produção de estrogênio, piorando o quadro de sintomas relacionados ao excesso desse hormônio nos organismos feminino e também masculino.

Por isso, no caso das mulheres, o ideal é consumir 5 a 10 dias após o período menstrual.

Salmão

Muito se diz sobre o salmão ser uma excelente fonte de Ômega-3, um elixir para quem sofre de TPM e de problemas com o peso e o humor. Mas o peixe que chega ao Brasil está longe de conter esse ingrediente mágico. O salmão importado no nosso país é criado em cativeiro e alimentado com soja e milho transgênico, acabando por ingerir altas doses de antibiótico e hormônios (assim como o frango de granja).

Então, além de não ter a substância benéfica – que só está presente no salmão quando o peixe se alimenta dos bichinhos que fornecem essa gordura boa e a linda cor rosada à sua carne -, ele está cheio de substâncias que desequilibram os hormônios femininos, além de corantes artificiais. Uma opção mais saudável, rica em Ômega-3 e que se encaixa melhor no orçamento é a sardinha.

Comidas diet e light

Esse é um assunto sobre o qual não canso de falar. Mas como eu ainda vejo muita gente consumindo produtos com adoçantes artificiais e baixo teor de gordura, insisto no quanto essas comidas impactam negativamente no gerenciamento do peso, dos hormônios e do sistema imunológico. Diversas pesquisas – como a da pesquisadora em nutrigenômica da USP Sophie Deram – mostram os malefícios das restrições de calorias e nutrientes como a gordura, bem como das substâncias artificiais, que podem causar doenças derivadas do processo inflamatório geral do organismo – diabetes, síndrome metabólica, doenças cardíacas e circulatórias, câncer e doenças degenerativas.

O aspartame, um adoçante artificial muito comum, por exemplo, é uma neurotoxina que afeta o cérebro e provoca uma reação inflamatória do sistema imunológico contra essa substância “invasora”. Por isso, invista sempre em comida de verdade, não ou minimamente processada. O corpo reconhece esse tipo de alimento como nutrição, estabilizando assim o peso e o ciclo menstrual para as mulheres, além de prevenir doenças.

Melissa Setubal

Melissa Setubal

Profissional pioneira em Saúde Integrativa no Brasil, criou sistemas que apoiam mulheres que sofrem com sintomas do ciclo menstrual e com sua imagem no espelho. Atua como coach de saúde, com atendimentos individuais e em grupo.