Carregando pagina

Amor > Separação

Vale a pena voltar?

Algumas reflexões ajudam a avaliar se será positivo retomar uma antiga relação

 

Este costuma ser um tema frequente em consultas de Tarô: ele ou ela vai voltar? Os motivos para a separação (ou "dar um tempo") são inúmeros: traição, ciúmes, distância, falta de compreensão, mal-entendidos, confusão mental, mudanças na vida...O fato é que quando um casal se separa e um dos dois quer voltar, costuma se questionar se ficarão juntos novamente, como deve agir enquanto espera ou, ainda, se deve fazer algo para apressar este retorno.

Tendo isso em mente, veja algumas reflexões sobre se vale a pena voltar para um antigo relacionamento:

A pessoa que foi embora:

  • lhe batia: se você sofria agressões físicas, nem deve pensar duas vezes. Você merece algo melhor.
  • lhe traia: isto provavelmente sinaliza que seu relacionamento passava por algum problema emocional, pois a pessoa não foi capaz de resistir a tentações. Mas, se for dar uma nova chance, precisa ter clareza sobre qual é o problema do outro e onde você contribuiu para o fato. Além disso, será preciso aprender a confiar novamente. De todo modo, trair uma vez até dá para compreender, dependendo da situação, mas se o outro trair com frequência, aí o relacionamento se torna impraticável, principalmente se o que você busca é exclusividade.
  • é casada ou comprometida: a não ser que você viva num sistema polígamo, viver como amante não é ter um real relacionamento. Assim, se o outro foi, melhor. Isso lhe dá a oportunidade de reconstruir sua vida e se abrir a outras pessoas que estão disponíveis para você.
  • mora longe: relacionamentos à distância são difíceis, pois normalmente buscamos companhia. A meu ver, quem ama simplesmente não se interessa por outras pessoas e fica bem consigo mesmo, pois tem uma vida própria, independente do outro. Neste caso, não importa se a pessoa está longe ou perto, o amor e o compromisso é o mesmo. Agora, se a pessoa se separou de você por causa da distância, é preciso desapegar. Por isso, não pense em termos de esperar o outro voltar. Simplesmente viva sua vida. Se aparecer alguém e der certo, fique em paz consigo e vá ser feliz sem culpa. Se não aparecer e a pessoa voltar e vocês reatarem, ótimo. O importante é viver sem neuras e ansiedades, um dia de cada vez.
  • tem dúvidas se realmente gosta de você: se a pessoa não sabe o que sente, não é sua presença massiva que irá convencê-la do contrário. Na verdade, a distância até pode deixar algumas coisas mais claras, já que possibilita a existência da saudade. Neste caso, é essencial não pensar que o afastamento irá fazer a pessoa se esquecer de você. Quem ama, não esquece. Logo, se esquecer, você terá a resposta que precisa para continuar em frente.
  • não tolera seu ciúmes: se você é ciumento, a pessoa tem razão em se afastar de você, pois manter esta emoção torna tudo muito pesado. O outro para de ter liberdade e não consegue relaxar ao seu lado. Fora que não pode ser espontâneo. Portanto, cure-se e espere que o outro perceba que você realmente mudou. Agora, se a pessoa provoca seu ciúmes de propósito, se cure mesmo assim, mas tenha em mente que a pessoa talvez não dê o mesmo peso à relação que você.
  • não quer se comprometer: se você quer um compromisso e a outra pessoa não, realmente não tem como prosseguir, pois não seria justo que um dos dois abrisse mão do que acredita. Porém, algumas pessoas são muito ansiosas para logo terem uma relação estável e apressam o processo, atropelando o outro, não dando tempo que o sentimento cresça naturalmente. Daí, a pessoa acaba dando esta desculpa para se afastar do excesso de presença do outro. Neste sentido, pense num relacionamento como um processo e não uma meta, mas é claro que se você já está há quase um ano com alguém e ainda não são namorados, alguma coisa não está indo bem.
  • tem amigos ou familiares que não querem você por perto: de vez em quando acontece de você não ser o que os amigos ou os familiares da pessoa esperavam. Porém, antes de querer culpa-los ou ter raiva deles, lembre-se que se o seu/sua companheiro(a) se afastou por causa do que disseram, é porque ou não gostava tanto de você assim ou porque é fraco(a) de espírito, a ponto de não lutar pelo que acredita. Num caso ou no outro, você não vai querer ter esta pessoa por perto, não é mesmo?

Seja qual for o caso, estando na lista acima ou não, o conselho que sempre dou e que para mim é infalível é aproveitar a ausência do outro para se curar e aprimorar. Se a separação/afastamento aconteceu, é porque houve algum desequilíbrio e - como toda relação é formada por dois - ambos tem responsabilidades. Logo, a coisa mais lógica a fazer é você resolver sua parte.

Pergunte-se: será que eu estava sendo muito inflexível ou ciumento? Será que deixei de me cuidar? Será que passei a ser muito apegado e controlador? Será que me mantive distante ou negligente?

Se pensar profundamente e com honestidade, você encontrará seus erros. Não importa que considere os do seu parceiro piores. O importante é reconhecer em si mesmo as atitudes e crenças que lhe prejudicaram quando você estava se relacionando, para poder consertá-las.

Assim, você conseguirá algumas coisas:

  • 1Será uma pessoa melhor
  • 2Poderá fazer o relacionamento voltar a funcionar
  • 3Poderá prevenir que o próximo relacionamento seja desfeito

Portanto, ao invés de achar que não tem problema manter seus defeitos, pois espera que o outro corrija os dele primeiro, seja esperto(a) e liberte-se das falhas que lhe prejudicam. Antes ser feliz sozinho do que ficar vivendo uma vida pela metade porque o outro se afastou.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Vanessa Mazza

Graduada em Comunicação Multimídia pela UMESP, é taróloga há mais de 15 anos. Estuda as abordagens desta prática, com o fim de decifrar a complexidade humana, abrangendo em suas consultas temas como feng shui, i ching, astrologia e numerologia. Saiba mais »

contato: vanne.furquim@gmail.com
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS