Carregando pagina

Você > Autoconhecimento

Sagitário e a alegria de viver

Otimismo e autoconfiança são singularidades deste signo

 

Dentre os doze signos do Zodíaco astrológico, Sagitário é o único cuja representação é uma criatura mitológica, e não um animal real ou um ser humano. Esta singularidade costuma passar despercebida pela maioria das pessoas, mas diz muito a respeito do nono signo. Em geral, dizemos que uma pessoa é do signo de Sagitário quando esta nasceu entre o dia 22 de novembro e 21 de dezembro, mas isso pode variar em até um dia de ano para ano, e só pode ser determinado por intermédio do cálculo de um mapa astral.

Em primeiro lugar, vale observar que Sagitário é um centauro, meio humano e meio cavalo. Esta dupla natureza ressalta a ambivalência do tipo: metade de sua natureza é animal, ou seja, sente-se atraída por tudo o que é terrestre, carnal, tudo o que envolve os prazeres da vida. Por isso, Sagitário é um dos mais divertidos dentre os tipos astrológicos. Gosta de viver, gosta da vida e de tudo o que há de bom nela. Sabe extrair prazer das situações e consegue inclusive rir de si mesmo, quando se vê em situações tristes ou ridículas. Por isso, o típico indivíduo de Sagitário tende a ser uma companhia preciosa, conseguindo revelar lições importantes que estão contidas nos acontecimentos, e que muitas pessoas não percebem ou preferem ignorar. Por ter esta sintonia especial com os processos de aprendizado que a vida proporciona, Sagitário costuma ser um grande mestre para as pessoas ao seu redor.

Para o alto e adiante

A outra parte do centauro é representada por uma figura humana que aponta flechas para o alto. Sagitário é também o signo que olha para o alto e para adiante, sempre preocupado com questões pouco ordinárias, de cunho filosófico ou espiritual. Mesmo o mais materialista dos sagitarianos se percebe envolvido com questões mais amplas e controversas no que diz respeito à área em que ele atua, seja ela qual for.

Vivendo na dualidade entre o mundo real e o mundo da imaginação, é comum que os típicos sagitarianos apresentem problemas eventuais, tais quais inclinação para controvérsias, presunção de achar-se dono da verdade, repulsa a levar uma vida regular - considerada em geral "tediosa". Um dos maiores problemas para Sagitário é a lida com a realidade ordinária e comum. Por isso mesmo, é um exagerado, capaz de converter um simples passeio até a cidade vizinha num verdadeiro Caminho de Santiago.

Regido pelo planeta Júpiter, Sagitário tem a perfeita sensação de que todas as coisas fazem sentido, e que mesmo os acontecimentos mais absurdos de alguma forma revelam experiências e aprendizados. Desta forma, a vida é vivida como se fosse uma grande aventura, com grandes mistérios a explorar em cada esquina. Em geral otimista, o tipo pode pecar pela autoconfiança e cometer erros decorrentes do fato de que sua percepção é centrada no amplo, mas não no detalhe. É quando aprende a considerar as minúcias que Sagitário evolui.

Sendo um corredor de longo percurso, é normal que Sagitário consiga evitar a tristeza por muito tempo, correndo para longe dela e se entupindo de atividades que o distraiam da necessidade de olhar mais profundamente para suas próprias emoções. A melancolia o alcança em algum momento, contudo. E é aí que a grande viagem do autoconhecimento acontece: quando Sagitário se permite travar contato com seus problemas reais, ao invés de fugir deles, procurando coisas que o distraiam. A partir daí, o "grande salto" que é a grande aspiração sagitariana é efetivamente dado.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Alexey Dodsworth

Astrólogo há quase 30 anos, é escritor, membro da MENSA e atualmente cursa doutorado em Filosofia e Ética em Veneza. Tem ampla experiência em ensino de Filosofia, já tendo sido consultor da UNESCO e assessor especial no Ministério da Educação. Saiba mais »

contato: alexey-revista@personare.com.br
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS