Carregando pagina

Futuro > Metas

Repense suas expectativas para 2017

Avaliar o que você tem feito para mudar sua vida é sinal de autoestima

 

Fim de ano é quase sempre a mesma coisa, já percebeu? Diante dos apelos cotidianos por conta das festas, começam a surgir novíssimos planos, ideias fresquíssimas e uma ansiedade absurda para começar a colocar tudo em prática a partir do primeiro dia do novo ano que se aproxima.

Mas, na real, quem é que realmente cumpre esses planos? Ou, ainda, quem é que avalia o quanto aprendeu e o que realizou de significativo ao longo do ano que chega ao fim? É importante parar para perceber o quanto procrastinamos as decisões importantes e também certas atitudes que realmente promovem mudanças na nossa vida cotidiana, no nosso jeito de encarar a vida. Vale a pena atentar para alguns pontos interessantes de conscientização pessoal para que o período não passe batido mais uma vez.

Reveja o que você conseguiu realizar

Primeiramente, quais foram os seus maiores sucessos neste ano? Comece agora a anotá-los numa folha em branco, escreva sobre os momentos em que você foi realmente feliz ao fazer uma boa escolha. O que essas situações trouxeram a você? Satisfação, amor, sucesso, reconhecimento? Pense bem e escreva. É refletindo sobre seus sucessos que você se descobre capaz de realizar o que deseja, mesmo que algumas coisas necessitem de mais empenho ou de mais tempo para acontecer."É refletindo sobre seus sucessos que você se descobre capaz de realizar o que deseja, mesmo que algumas coisas necessitem de mais empenho ou de mais tempo para acontecer."

Valorize também os fracassos

As frustrações não são, como parecem, problemas a serem temidos. Pelo contrário, elas são a chave para você encontrar ainda mais força e descobrir o quanto você pode ser assertivo para caminhar na direção daquilo que deseja concretizar. Pense também: o que seria de você se todos os seus desejos se realizassem? Tal qual Alexandre o Grande, que descobriu o mundo todo e depois não havia mais nada a explorar, você daria um mergulho no tédio e perderia as esperanças de que algo novo viesse a acontecer ou surgir.

Acredite: é bom não realizar tudo o que quer. Até porque valem as sinceras perguntas:

  • Eu realmente quero isso? Por quê? Para quê?
  • O que isso vai me trazer de bom? Afeta mais alguém? Como?

É diante desses questionamentos que você pode fazer um balanço sobre como tem administrado os seus desejos e como lidar realmente com eles, sem pressa e sem medo de estar perdendo tempo com as investidas negativas da vida.

Cuide da impulsividade

Não adianta querer resolver todas as pendências que você vem acumulando ao longo do ano. É praticamente impossível! O que é totalmente cabível é agir de modo menos estressante com você mesmo. Isso significa manter a mente e o coração em plena serenidade e agir com cautela, sem esperar muito dos problemas e nem das situações que parecem ser absolutamente positivas.

A impulsividade bloqueia a serenidade e elimina a intuição."A impulsividade bloqueia a serenidade e elimina a intuição."

É por isso que pessoas muito aflitas com questões cotidianas geralmente fazem escolhas equivocadas e acabam sem muitas expectativas de sucesso. A partir daí, caem num negativismo sem tamanho. Você se identifica com esse fato? Então está na hora de desacelerar os pensamentos e dar mais tempo para que o mundo aceite os seus desejos.

Defina melhor seus próprios desejos

Fazer aquelas perguntas com toda a força é essencial para definir o que é que você realmente quer e aprender a separar daquilo que você realmente deseja. São naturezas diferentes. Talvez um carro seja absolutamente necessário agora, mas você pode pagar? Ou um computador novo, por exemplo, de última geração, é realmente preciso? Por que não esperar mais um pouco e consertar o que você já tem?

As promessas que fazemos a nós mesmos, principalmente as de sucesso e de empenho inabaláveis, devem ser evitadas. Sim, evitadas porque às vezes as circunstâncias cotidianas acabam nos afastando daquilo que desejávamos fervorosamente, pois existem outras prioridades sendo definidas ao longo do tempo. Em vez de pensarmos que as coisas boas acontecem raramente, devemos apenas repensar os nossos desejos. Avaliar se eles são realmente positivos como imaginamos e necessários ao nosso bem-estar. "Em vez de pensarmos que as coisas boas acontecem raramente, devemos apenas repensar os nossos desejos. Avaliar se eles são realmente positivos como imaginamos e necessários ao nosso bem-estar. "

É melhor começar o ano com a mente e o coração livres de quaisquer promessas e expectativas. Assim sobra mais espaço e ânimo para saborearmos cada momento em sua inteireza, mantendo o foco especialmente nele e no que ele nos oferece. Feliz 2017!

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Leo Chioda

É escritor e tarólogo. Dedica-se a palestras sobre Tarot, pesquisas históricas e prática da leitura das cartas. É também autor da análise de Tarot Mensal do Personare. Saiba mais »

contato: chiodatarot@gmail.com
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS