Carregando pagina

Beleza > Estética

Relaxamento para domar os fios

Técnica que diminui volume dos cabelos exige cuidados na aplicação

 

Para disciplinar cabelos crespos, enrolados ou volumosos, muita gente opta pela técnica de relaxamento, capaz de dar mais contorno aos fios. Segundo o terapeuta capilar, Eduardo Miyazaki, os procedimentos mais comuns para domar a cabeleira são feitos à base de tioglicolato de amônio ou realizados com hidróxidos de guanidina, sódio ou cálcio. Essas substâncias alteram de maneira permanente a estrutura do cabelo.

"Enquanto o hidróxido de guanidina alisa as madeixas, o tioglicolato e os produtos similares modelam e oferecem mais forma os fios. Mas é importante ter cuidado na hora de fazer um relaxamento. A técnica abre as cutículas que revestem o fio e destroi as moléculas capilares. Como desestrutura os cabelos, é importante se certificar antes de fazer uso do procedimento e procurar profissionais especializados", alerta Miyazaki.

Além disso, não é recomendável o uso de relaxamento em cabelos muito desidratados. Segundo o terapeuta capilar, a técnica é agressiva e pode piorar o estado de fios sensíveis e ressecados. Quando aplicado de forma incorreta, o relaxamento ainda pode ocasionar fissuras nos fios, que facilitam o surgimento de pontas duplas e queda capilar.

Aplicando o relaxamento

Antes de aplicar o relaxamento, é importante fazer um teste de mecha. O procedimento tem o objetivo de testar a resistência dos cabelos e do couro cabeludo, além de calcular o tempo necessário de permanência do produto nos fios, para obter o efeito desejado. "Basta pegar uma pequena quantidade de fios, geralmente na região da nuca, e aplicar o relaxamento. Esse cuidado deve ser tomado principalmente por quem já possui química nas madeixas. O teste identifica incompatibilidades entre resíduos anteriores de produtos químicos, com o ativo relaxante que está sendo aplicado", esclarece o especialista.

A avaliação alérgica também é importante. Segundo o terapeuta capilar, nesses casos aplica-se uma pequena quantidade de tioglicolato ou guanidina atrás da orelha. Se a pessoa não apresentar nenhuma alteração na pele depois de 48 horas, está liberada para fazer o relaxamento.

Cuidados pós-química

Eduardo Miyazaki acredita que o ideal é repetir o relaxamento quando o cabelo tiver de três a quatro centímetros de crescimento de raiz. Isso evita o acúmulo do produto nos fios, além de prevenir a queda capilar.

De acordo com o especialista, para manter o brilho e a maciez depois de um processo químico é importante fazer hidratações semanais, com produtos voltados para cabelos quimicamente tratados. Shampoos e condicionadores sem sal também podem fazer diferença nas madeixas.

"O sal retira a água natural dos fios, deixando-os desidratados. Por isso é importante evitar produtos que utilizem essa substância em suas fórmulas. Tomando esses cuidados, os cabelos ficarão com uma textura melhor, além de mais maciez e brilho", afirma o terapeuta capilar.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Equipe Personare

Nós, da equipe Personare, também estamos em um processo constante de conhecimento sobre nós mesmos, sobre o mundo e sobre as relações humanas. Saiba mais »

contato: conteudo@personare.com.br
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS