Simone Kobayashi
Por Simone KobayashiLeia em 9 min.14/08/2009 

Reconheça seus defeitos no outro

Conflitos amorosos podem ser espelhos de características que ocultamos

Conflitos amorosos podem ser espelhos de características que ocultamos

Reconheça seus defeitos no outro

Os conflitos que costumamos ter em nossos relacionamentos tem suas raízes fincadas no ego. O ciúme, o controle, desrespeito pelas diferenças, jogos de poder e muitos outros, são gerados a partir do que expressamos no contato com a outra pessoa.

O ego reflete/espelha no outro o que necessitamos enxergar, seja uma característica nossa que tentamos ocultar ou oprimir, ou ainda uma que almejamos internamente. A essas facetas mais ocultas ou reprimidas da nossa personalidade, Jung chamou de sombra. Por ser oculta ou reprimida, a sombra não é o todo da personalidade inconsciente, mas representa qualidades e atributos pouco ou nada conhecidos do ego.

Em contato com outras pessoas acabamos por chocar-nos tanto com a nossa própria sombra quanto com a dos que nos cercam. Como é difícil reconhecer os “defeitos” que nossa sombra nos aponta e revela, nós a projetamos nas outras pessoas como um espelho, para nos enxergar melhor.

Como é difícil reconhecer os “defeitos” que nossa sombra nos aponta e revela, nós a projetamos nas outras pessoas como um espelho, para nos enxergar melhor.

E isso gera conflitos. Conflitos familiares, no trabalho e amorosos. Sim, amorosos… Porque é no relacionamento amoroso que projetamos nossos ideais, nossos objetivos de vida e, ainda, sonhos e carências. Para piorar os conflitos, essas pessoas não conhecem nossas histórias de vida, só o que queremos que conheçam e do jeito que queremos que conheçam. Dos nossos parceiros cobramos a (falsa) obrigatoriedade de gostar de nós e nos amar.

Bom, mas como dissolver os conflitos? Integrar a nossa sombra à personalidade com consciência, honestidade e lucidez é a solução mais fácil, mas com nosso inconsciente, a lógica e a praticidade geralmente não funcionam. Citando Dra. Marie Luise von Franz, seguidora de Jung, em A Realização da Sombra: “Cabe ao ego renunciar ao seu orgulho e vaidade para viver plenamente o que parece sombrio e negativo, mas que na realidade pode não o ser. Tudo isso exige, por vezes, um sacrifício tão heróico quanto o dominar-se uma paixão – mas em sentido oposto.”

Tomar consciência do processo já é um passo importante. Implica em nos analisar, conhecer a nós mesmos e aos nossos processos internos, motivações e reações. Tomar consciência dessas nossas facetas, aceitá-las e lidar com elas é mais importante ainda! Significa crescer em autoconhecimento, autoaceitação, ou seja, evoluir como pessoa. Gerenciar egos não é uma tarefa fácil, principalmente quando o conceito reinante é o da perfeição.

A busca por conhecimento através de boas leituras (veja sugestões abaixo), questionamentos internos e troca de ideias são caminhos para ir nos melhorando e, dessa forma, melhorar também nossos relacionamentos. Técnicas da terapia holística como terapia floral, harmonização e equilíbrio energético e geoterapia, assim como mapas astrológicos e numerológicos, também dão suporte aos que se aventuram no crescimento e na evolução pessoal.

Para continuar refletindo sobre o tema

Veja quem é observando quem você ama- http://www.personare.com.br/revista/amor/materia/99/veja-quem-e-observando-quem-voce-ama

Por que eles sempre somem?- http://www.personare.com.br/revista/amor/materia/200/por-que-eles-sempre-somem

Aprenda a enxergar o outro – http://www.personare.com.br/revista/amor/materia/131/aprenda-a-enxergar-o-outro

Simone Kobayashi

Simone Kobayashi

Terapeuta Holística atuante em São Paulo e OnLine. Dedica sua vida profissional à junção de técnicas terapêuticas como o Reiki, Florais, Acupuntura, Análise Energética, Limpeza Energética, Harmonização, Barras de Access e Cura quântica.