Regina Restelli
Por Regina RestelliLeia em 5 min.28/08/2017 Atualizado em 17/05/2018

Quais armadilhas inconscientes travam sua vida?

Descubra os 3 pilares fundamentais para superar problemas

Quais armadilhas inconscientes travam sua vida?

Neste momento, você se reconhece paralisado, sem conseguir dar andamento àquelas questões tão importantes, adiadas há meses? Sente que está travado num ponto importante de algum desafio que tem atualmente? As dificuldades podem ser muitas: estudar, avançar no projeto que seu chefe mandou, fazer aquele exercício ou dieta que tanto precisa, confeccionar o currículo para procurar um novo emprego, parar com o ciúme na sua relação amorosa, acabar com as brigas em casa… São infinitas as situações quando estamos falando de problemas, em qualquer área da vida.

Apesar de gerar incômodo, muitas vezes adiamos a resolução das circunstâncias, seja porque adoecemos, por preguiça, por esgotamento mental e/ou físico ou simplesmente por não estarmos dispostos a encarar aquela realidade que nos pede tantas atitudes.

É assim com todo mundo, mas só nós poderemos mudar isso, não há outro jeito. Está na hora de olhar por outro ângulo, pois o atual não está dando resultados positivos, não é mesmo? Existem 3 pilares fundamentais para nosso bem-estar, que nos ajudam a revisar e organizar nossa vida. São eles:

  1. Honestidade – significa assumir a verdade mais profunda dos nossos sentimentos. Isso facilita o início do processo de aceitação de nós mesmos.
  2. Responsabilidade – este pilar é baseado na investigação honesta do que estamos sentindo, para, assim, descobrir sua verdadeira causa.
  3. Gentileza – após refletir sobre a verdade e a autorresponsabilidade, percebemos aos poucos a gentileza se manifestar naturalmente em nossos comportamentos.

Mas como aplicar esses pilares na prática para ter uma vida melhor? Veja abaixo algumas orientações.

Honestidade: de onde vem seu real desconforto?

Para começar a lidar com as dificuldades e, principalmente, superá-las, sugiro que olhe mais profundamente para seus incômodos, buscando a verdade de seus sentimentos em relação aos vários aspectos das dificuldades. A ideia é ser o mais honesto possível a respeito de seus julgamentos preconcebidos. Qual é o verdadeiro desconforto e quais pessoas você pode estar culpando pela sua falta de sucesso e conquistas?

Ser honesto consigo mesmo, de forma bem profunda, é muito importante. Só sabendo exatamente o que está acontecendo dentro de si é que poderá mudar o que está fora. O ritmo da vida em geral está muito rápido e não temos mais o hábito de parar e perceber como estamos. Muitas vezes ficamos tão inconscientes que nem percebemos as nossas frustrações, limites, desamores, desrespeito e muito mais. Então, vamos olhar juntos e com coragem.

A honestidade traz em si uma presença natural de nós mesmos nos observando neste momento. E só com ela poderemos ser verdadeiros com os outros. Eu sei que ser transparente pode ser perigoso, pois os relacionamentos hoje em dia estão distantes e superficiais, mas para vivermos em paz devemos mudar esta postura. Não estou dizendo que devemos sair por aí acusando todo mundo e falando as nossas verdades “absolutas”, até porque seria uma condição infernal viver assim. Mas de que outra forma poderemos, com mais amor-próprio, perceber o quanto temos de responsabilidade nestes julgamentos?

+ Faça aqui o teste e descubra qual é o seu “eu machucado”

Responsabilidade: tome as rédeas dos problemas e descubra o que há por trás deles

Nossas conclusões são geradas com base em nossas vivências passadas, então existe grandes chances do que deduzimos estar limitado a nossa própria falta de conhecimento. Se somos responsáveis pelo que sentimos em relação às nossas dificuldades nos relacionamentos em geral, teremos a oportunidade de refrear nossa agressividade, para fazer as reflexões necessárias.

Se somos responsáveis pelo que sentimos em relação às nossas dificuldades nos relacionamentos em geral, teremos a oportunidade de refrear nossa agressividade, para fazer as reflexões necessárias.

Achando, então, o ponto de tensão que está sendo reeditado, poderemos ver as situações de uma forma mais madura e produtiva. Ser mais gentil e respeitoso comigo nesta autoinvestigação resultará em gentileza natural com as pessoas que estão ao meu lado compartilhando estas experiências.

O nosso mundo particular e o externo, o micro e o macro neste momento na sociedade, estão bem precisados de mais gentileza. Você não acha? Que tal começarmos a exercitar este comportamento amoroso conosco em primeiro lugar? Nos dar mais atenção. Escutar nossas reais carências. Agir com autorrespeito, sem desejos de perfeição, sem medo de se enganar ou errar. Colocar limites necessários no dia a dia, sempre visando a delicadeza e o respeito. Lembrar que a única forma de sermos respeitados é nos respeitando primeiro. Isso não é egoísmo, é autorrespeito. O outro, como já vimos, não está pensando com base em nossas vivências passadas, mas sim com as dele. Só assim poderemos praticar a empatia e chegar em um lugar agradável para todos.

O que você acha de tentar fazer diferente? Deixe para trás o passado, pois a cada minuto que passa temos 1000 novas possibilidades a serem concretizadas. Desta forma, com honestidade, responsabilidade e gerando gentileza, faremos a nossa parte neste novo caminhar da humanidade. Vamos ser o que queremos para nosso dia a dia. Tenho certeza que este novo posicionamento vai deixar todos mais felizes e bem-sucedidos.

Eu, ao menos, estou tentando fazer a minha parte todos os dias. Espero realmente que isso possa inspirar você para se juntar a mim nesta frequência criativa. Desejo determinação amorosa e paz em sua jornada!

Regina Restelli

Regina Restelli

Criadora da Terapia dos Chakras, que promove autoconhecimento e expansão da consciência amorosa. Suas consultas limpam as crenças no campo energético, trazendo bem-estar e energia para autotransformação.