Yubertson Miranda
Por Yubertson MirandaLeia em 3 min.18/11/2009 Atualizado em 27/09/2018

O que é sincronicidade?

Oportunidades ou coincidências, eventos devem ser aproveitados. Entenda como

O que é sincronicidade?

Você já parou para refletir sobre as coincidências que ocorrem em seu dia a dia? E, mais do que isso, já reparou na sua reação quando elas ocorrem? Costuma dar atenção ao evento e tenta encontrar um significado ou apenas o considera uma obra do acaso?

CONCEITO DE SINCRONICIDADE

Quando existe uma conexão entre um evento externo e um sentimento, pensamento e desejo internos, pode-se dizer que ocorre uma sincronicidade. Conceito criado por Jung, a sincronicidade define acontecimentos que se relacionam não por relação causal, mas por relação de significado.

Essa ligação entre o mundo exterior e o interior, pode ser encontrada, por exemplo, numa livraria. Imagine que desejamos ler sobre determinado tema. Então, começamos a circular pelas estantes e o livro que precisamos ler parece “cair” em nossas mãos. Chega até nós de uma maneira surpreendente, inusitada. Ou seja, o desejo de entender sobre um assunto (realidade interior) se encontra com um evento exterior, tal como achar um livro caído no chão da livraria que trata justamente do que queremos saber.

CONSEQUÊNCIA PARA O AUTOCONHECIMENTO

Quem vivencia esse tipo de experiência recebe uma carga emocional impactante. Ela nos toca, nos sensibiliza, nos comove. Essa repercussão interna nos incita a reconhecer o quanto tal situação é especial para nós. Evidencia um significado que, quando aceito, assimilado e praticado, fará diferença na nossa vida. Parece que uma força poderosa organiza esses acontecimentos para trazer oportunidades úteis ao nosso processo de autoconhecimento e autorrealização.

COMO RECONHECER OS SINAIS

Devemos nos abrir para os sinais que se apresentam por meio das circunstâncias cotidianas. Essa atitude de entrega e de atenção desprendida no dia a dia nos permite enxergar o surgimento das mensagens que poderão trazer respostas às dúvidas e angústias.

Levo esse costume para a minha vida pessoal. Quando preciso tomar uma decisão e estou incerto sobre qual escolha fazer, adoto uma postura de caçador de tesouros. Com esse faro detetivesco, uma simples conversa ouvida no ponto de ônibus entre duas pessoas desconhecidas pode me ofertar a valiosa informação que necessito e me fará tomar uma decisão com sabedoria.

Compartilho um exemplo: almoçava com a minha esposa Cris e meus pais em um restaurante. Eu e ela tínhamos encontrado um apartamento que queríamos alugar. E conversávamos com meus pais se um tio meu, chamado Luiz, aceitaria ser um de nossos fiadores. Quando expus essa dúvida, imediatamente ouvimos uma mãe chamando seu filho: “Luiz, venha aqui!” Olhei para a Cris e sorri. Meu tio, muito provavelmente, toparia ser nosso fiador. E aceitou quando lhe fizemos o pedido.

TIRE PROVEITO DAS SINCRONICIDADES

Para se beneficiar dos sinais condutores presentes nas sincronicidades, adote uma postura mais alerta no seu dia a dia. Não aquele tipo de atenção concentrada, forçada, como esperar ansiosamente uma resposta da vida em cada instante. Pelo contrário, é estar aberto sem esforço, relaxado. É o que eu chamo de atenção desprendida.

Com isso, quando, por exemplo, se encontrar com alguma pessoa, ver uma propaganda na TV, ouvir uma música, naturalmente será tocado pelos detalhes importantes contidos nessas circunstâncias. Pelo fato de estar consciente, no momento presente, saberá encontrar os significados que essas experiências lhe oferecem.

E os sonhos? Eles também têm esse caráter condutor? Se sim, como fazemos para interpretar seus sinais, suas mensagens? Tratarei desses detalhes na outra parte deste artigo. Até breve!

Yubertson Miranda

Yubertson Miranda

Yubertson Miranda é numerólogo, astrólogo e tarólogo e é graduado em Filosofia. Ama encontrar significado nos eventos do dia a dia. É autor das análises numerológicas do Personare.