Carregando pagina

Carreira e Dinheiro > Planejamento Financeiro

O cartão de crédito é seu melhor amigo?

Dicas práticas ajudam você a usar com inteligência essa facilidade

 

No século III, na cidade portuária de Siracusa, nascia um menino, filho do astrônomo Fidias, que se tornou um grande estudioso da matemática, da física, da engenharia e da astronomia. Entre seus grandes feitos, está a explicação científica do princípio da alavanca, que aumenta a força de uma pessoa. Arquimedes de Siracusa disse: "deem-me um ponto de apoio e moverei o mundo!".

Certamente Arquimedes não disse sua célebre frase pensando em um cartão de crédito, mas ela explica perfeitamente bem o que um cartão pode fazer. O dinheiro de plástico faz, no mundo financeiro, o que uma alavanca faz no mundo físico: aumenta a força de quem o utiliza. Há, até mesmo, um termo técnico para isto: "alavancagem financeira".

Ninguém, em sã consciência, questiona a praticidade de um cartão de crédito e, fora das camisas de força, todos concordam que ele pode ser mesmo um grande amigo e aliado de todos nós.

As vantagens são muitas: dá para pagar contas, como de luz, água, telefone, e outras, unificando todas elas no cartão de crédito e deixando seu vencimento para uma data perto daquela em que recebemos nosso salário ou nossos rendimentos. Em um mundo digital, como este que vivemos, a experiência de comprar sem sair de casa é muito mais simples e funcional com um cartão de crédito. E, de quebra, dependendo do cartão e da situação, ainda ganhamos milhagem, seguro de vida, assistência médica, descontos em cinemas e restaurantes, salas VIPs em aeroportos, acesso a compras antecipadas para espetáculos e alguns brindes como chaveiros, agendas e canetas.

Cartão de crédito não é sinônimo de dinheiro extra

Não estou vendo seu rosto, no momento em que você lê este artigo, mas já posso imaginar o sorriso no canto de sua boca, o que me leva a perceber que eu não preciso gastar saliva para lhe convencer dos pontos positivos que o seu amigo cartão de crédito tem. Então, agora vamos falar um pouco dos pontos negativos.

Outro dia eu estava passeando em um local muito agradável, com um visual lindo, muita gente bonita e um clima super positivo - não, não era uma fazenda, era um shopping center. Meu filho, de três anos, queria um brinquedo de presente e eu disse que não tinha dinheiro. Seu comentário foi: paga com cartão.

Tudo bem para um menino de três anos não entender que, mesmo pagando com cartão, eu ainda vou precisar do dinheiro lá na frente. Mas para nós, adultos, este conceito tem que ficar claro.

Talvez você não tenha pensado nisto, mas o cartão de crédito não é um dinheiro extra para você gastar, além de sua renda. Ele pode fazer o seu dinheiro render um pouco mais, mas ele não aumenta os seus ganhos e, principalmente, ele não muda a regra mais básica que existe em economia: nunca gaste mais do que ganha. E eu completo: mesmo que seja para pagar com cartão.

Erros mais comuns ao usar o cartão de crédito

Um dos grandes erros que as pessoas cometem ao usar o cartão é não ter a percepção psicológica clara de quanto estão gastando. É desnecessário dizer, mas se você ganhasse R$ 100,00 por mês e andasse com o dinheiro na carteira, iria percebendo, a cada pagamento, que seu dinheiro diminuiu, e perceberia com clareza quando ele acabou. No cartão de crédito isto não acontece, pois você compra algo hoje, que deveria ser o limite de sua cota, mas se esquece e compra outra coisa amanhã, além do que poderia comprar. Minha sugestão é: guarde sempre os comprovantes das compras que fizer com o cartão, e anote um por um em uma lista de controle, totalizando sempre o quanto você já gastou naquele mês em seu cartão. Ver os gastos ajuda você a se planejar. Além disto, quando a fatura chegar, confira todos os comprovantes de compras que estão sendo cobradas de você.

Outra grande confusão é comprar o que não precisa. Na antiguidade, antes mesmo de existirem os cartões de crédito, na entrada do templo de Delfos já estava escrito: "Conhece-te a ti mesmo". Se você é comprador(a) compulsivo, não ande com o cartão de crédito, deixe-o em casa. Isto vai ajudar a aplacar os impulsos de consumo.

Não acredite nas lendas

Quero também falar de algumas lendas urbanas que circulam por aí, como por exemplo: a loura do banheiro, o vídeo que você assiste e morre depois de sete dias, e aquele papo de que é legal ter vários cartões de crédito, com datas de vencimento diferentes, porque assim você administra melhor as compras e o prazo de pagamento. Todas estas são histórias de terror. Um único cartão é suficiente para qualquer pessoa, e a data de vencimento deve ser próxima do dia em que seus rendimentos caem na sua conta.

Outra dica é evitar cartões de crédito adicionais. Eles dificultam que você controle o quanto está sendo gasto e criam uma chance de criar conflitos que você não precisa. Eu sei que você sabe, mas nunca é demais lembrar: as taxas de juros praticadas pelas operadoras de cartão de crédito são elevadíssimas. Sempre que você não paga o total da sua fatura ou paga o valor mínimo, por exemplo, no mês seguinte terá que pagar o que ficou faltando mais juros e mais as despesas que fizer naquele mês. Mau negócio. Sempre que você saca dinheiro com seu cartão de crédito em um terminal eletrônico, também terá que pagar este dinheiro na próxima fatura, acrescidos de juros bem salgados.

É preciso também ficar atento quando for usar o cartão de crédito para pagar despesas em moeda estrangeira. Primeiro porque o valor que você vai pagar dependerá da cotação da moeda no dia do pagamento da fatura, algo que você não conhece no dia em que faz a compra. E depois porque, pela legislação atual, você ainda terá que pagar mais 6,38% de Impostos sobre Operações Financeiras (IOF).

Negociar também é muito importante. Antes de fazer ou renovar seu cartão de crédito, tenha em mente que existem diversos tipos de cartões, que oferecem limites e serviços diferentes e que, cada um deles, se destina a um determinado perfil de usuário. Procure compreender corretamente o que cada cartão oferece e quanto cada um cobra e identifique aquele que mais se adequa ao seu perfil de usuário. Não se preocupe com o status de ter o cartão A ou B, mas com a utilidade que este cartão terá para você.

Para continuar refletindo sobre o tema

A Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços oferece dois materiais muito interessantes que eu recomendo que você conheça.
O primeiro é um simulador financeiro que permite que você controle seu orçamento e conheça, com exatidão, quanto tem de dinheiro disponível para usar no cartão.
O segundo é a Cartilha: Cartão, A Dica é Saber Usar.

Pronto, agora você já tem uma visão mais ampla dos cuidados que deve ter ao usar a sua alavanca financeira, também conhecida como cartão de crédito. Saia por aí e mova o mundo com sabedoria.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Vicente Sevilha Jr

Vicente Sevilha Jr é bacharel em ciências contábeis e autor do livro "Assim Nasce Uma Empresa", voltado para empreendedores que desejam abrir um negócio próprio. Saiba mais »

contato: vicente@sevilha.com.br
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS

Holis é uma empresa do Grupo Personare