Carregando pagina

Você > Desenvolvimento Pessoal

Nós testamos: Despertar do Guerreiro Interno

Workshop ensina a vencer a guerra que existe dentro de você

 

Não podemos evitar todas as situações difíceis e as mudanças em nossa vida, mas podemos estar mais preparados para elas. Quando estamos alinhados com nossa própria verdade, conquistamos uma força que nos faz enfrentar mais facilmente qualquer desafio. Muitas vezes não acreditamos que vamos conseguir superar dificuldades ou promover transformações em nossa vida. Isso acontece quando não nos sentimos fortes e confiantes o suficiente para isso. Por isso, precisamos desenvolver certas habilidades que nos fortaleçam e nos possibilitam ir além de nossas limitações. O workshop Despertar do Guerreiro Interno (O-DGI) trabalha a consciência guerreira, nos treinando para a luta travada em nossa própria mente, através de estímulos nos níveis físico, emocional, mental e espiritual integradamente. Assim, nos tornamos mais preparados para lidar melhor com todas as situações da vida.

Na primeira parte do workshop O-DGI, Fernando, nosso professor, nos passou uma nova visão sobre as artes marciais. Sentados no dojo (sala de aula de artes marciais), assistimos sua palestra em um supremo clima de serenidade e paz. Apesar de geralmente associadas a lutas e competições, descobrimos que, mais do que isso, as artes marciais são caminhos de autodesenvolvimento e crescimento espiritual. Elas simbolizam o treinamento do guerreiro moderno, cuja luta não está lá fora, mas sim dentro de nós."Apesar de geralmente associadas a lutas e competições, descobrimos que, mais do que isso, as artes marciais são caminhos de autodesenvolvimento e crescimento espiritual. Elas simbolizam o treinamento do guerreiro moderno, cuja luta não está lá fora, mas sim dentro de nós."

A batalha contra nossa preguiça e padrões negativos repetitivos, contra nossas ilusões e medos, contra aquilo que nos impede de sermos quem verdadeiramente somos, plenos e realizados. Parece estranho que as artes marciais possam nos ajudar a lidar com os desafios pessoais internos, mas foi isso que pudemos aprender ao longo do workshop.

Liberte-se e viva sua verdade

Após a parte mais explicativa sobre as artes marciais, realizamos exercícios meditativos e escritos de autoconsciência que nos fizeram refletir de maneira mais profunda, se estamos alinhados com nosso propósito de vida. Fomos instigados a perceber nossos dons e talentos, que acabam passando despercebidos na correria do dia-a-dia, para assim buscarmos novas maneiras de viver mais alinhados com a nossa essência e verdade interior.

Em seguida, passamos para a parte mais corporal do workshop, para vivenciarmos e integrarmos fisicamente aquilo que já havia sido trabalhado até o momento. Aliando artes marciais, yoga e bioginástica, a prática corporal de O-DGI nos traz maior percepção para nossos aspectos sutis, de forma bem significativa: por meio do corpo físico e seus movimentos. É interessante identificar, por exemplo, como podemos ficar travados ao sermos instruídos a fazer movimentos mais espontâneos, mostrando nossa dificuldade em nos soltar e nos entregar à liberdade, para que, assim, possamos ficar mais atentos em nosso dia-a-dia para agirmos com mais espontaneidade e entrega. Essa dificuldade de nos soltar pode refletir também o quanto ansiamos por liberdade, mas o quanto, na realidade, somos nós mesmos que a evitamos, por nos sentir perdidos e travados diante dela.

Outro exemplo é a resistência causada pelo questionamento mental, que nos faz achar que será estranho fazer tais movimentos, mostrando nossa tendência ao julgamento, e, portanto, nossa necessidade de vencermos nossos preconceitos e críticas, que apenas nos bloqueiam. Na realidade, essas foram percepções que senti ao participar de outros tipos trabalhos corporais anteriormente, e foi ótimo perceber que desta vez não senti essas dificuldades! O trabalho fluiu tranquilamente, mesmo nos exercícios mais vigorosos ou mais espontâneos. Percebi que os movimentos e posturas de O-DGI nos ajudam a identificar, através do nosso corpo e de nossas sensações, como estamos em nossas batalhas internas naquele momento. Os exercícios propiciam insights sobre como lidar com os desafios no mundo externo, a partir dessas auto-observações.

Técnica ajuda a se conhecer melhor

Ainda que como terapeuta eu busque exercitar a auto-observação permanentemente em minha vida, acessei alguns aspectos bastante interessantes aos quais preciso dar mais atenção. Constatei minha necessidade de trabalhar melhor a integração das minhas energias masculinas e femininas internamente. Percebi que precisava equilibrar melhor minhas atitudes e ações de caráter mais firmes e agressivos, com aquelas mais amorosas e tolerantes.

Outra coisa que chamou a atenção foi que minhas pernas começaram a tremer levemente, no início do workshop, antes mesmo de iniciar a prática física. E esse sintoma continuou durante todo o treino, me deixando curiosa. Fernando sugeriu que poderiam ser desbloqueios energéticos. Que bom! Ao final, conclui que era isso mesmo, pois como meu trabalho no dia-a-dia me exige mais foco nas energias dos chacras superiores (do coração para cima), meus chacras inferiores (do coração para baixo) estavam mais enfraquecidos, e meu físico estava me mostrando isso. No segundo dia do workshop, já pude fazer a prática com as pernas firmes, sem nenhum sinal de tremedeira, e com a percepção nítida dos desbloqueios trabalhados.

Neste segundo dia, Fernando nos passou uma sequência de movimentos, que ele recomenda que a gente realize diariamente pela manhã, antes de começar o dia. Confesso que já experimentei várias outras sequências de curas e atividades físicas recomendadas para serem feitas de manhã, mas pelo tempo que me exigiam e, muitas vezes, pela dificuldade de fazer alguns movimentos, acabava desistindo ou ficando com muita preguiça(olha aí minha necessidade de trabalhar mais a força e a disciplina do guerreiro interno!). Porém, a sequência que o Fernando recomendou é extremamente viável de fazer todos os dias. Exige, sim, a força de vontade, no sentido de me propor realizá-la diariamente. Mas como pode ser feita, a princípio, em quinze minutinhos e os movimentos são simples (mas ainda assim bastante revigorantes), é algo que dá para manter no dia-a?dia, sem sacrifício!

Em apenas dois dias do workshop O DGI, já pude sentir um fortalecimento na disposição e foco. Vinha enfrentando um momento de dificuldade de ação, sabendo que precisava fazer as coisas, mas sem vontade ou ânimo de realizá-las. Percebi uma melhora no impulso de realização e atividade. Agora é treinar o meu guerreiro interno para dar desenvolvimento e manutenção a essa energia.

Para continuar refletindo sobre o tema

O DGI é ministrado em workshops para grupos e empresas em todo o Brasil, e aulas abertas e regulares, na cidade de São Paulo. Saiba mais aqui sobre o DGI e suas atividades.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Ceci Akamatsu

Terapeuta acquântica, faz atendimentos presenciais no Rio de Janeiro, em São Paulo e à distância. É a autora do livro Para que o Amor Aconteça, da Coleção Personare.  Saiba mais »

contato: ceciakamatsu@gmail.com
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS