Carregando pagina

Família > Relações Familiares

Maternidade tardia: prós e contras

Hora de engravidar deixa de ser tabu com ajuda da medicina moderna

Por: Denise Coimbra

 

O universo feminino mudou muito desde a década de 60. As mulheres foram para as universidades e passaram a disputar espaço acirradamente no mercado de trabalho. Paralelamente, a maternidade passou a ser adiada em troca da ascensão profissional. Acontece que, na prática, as mulheres continuam perturbadas pela dúvida: será que dou prioridade ao meu crescimento profissional ou tenho filhos?

Como ginecologista e especialista em reprodução humana, afirmo que a ciência está do lado da mulher e vem colaborando com novos tratamentos e estudos em prol da gravidez tardia. Enquanto a mulher menstruar ela poderá engravidar, porém as chances de gestação diminuem com a idade, em decorrência de vários problemas ginecológicos. Além disso, há uma diminuição da reserva e da qualidade dos óvulos.

É preciso que a mulher respeite seu desejo de ser mãe, sem perder o relógio biológico. É preciso preparar o corpo, ter uma vida saudável. A mulher pode adiar a maternidade se prevenir complicações decorrentes da própria idade na manutenção da saúde e controle de doenças, que aparecerão com o tempo como: diabetes, hipertensão, hipo ou hipertireoidismo, assim como o sobrepeso.

É importante, também, entender que num período mais tardio, as doenças associadas como os miomas, endometriose, pólipos e a idade podem ser entraves para uma gravidez fácil e natural. Já que adiou a gravidez para desenvolvimento pessoal, profissional ou financeiro, deve ter uma reserva em dinheiro para disponibilizar em tratamento, se qualquer dificuldade na gravidez. Parece pouco pensada esta questão, mas é de suma importância, porque ninguém espera a aposentadoria para ser mãe.

Preparar-se para a maternidade tardia é mais trabalhoso do que deixar a natureza agir. A partir dos 40 anos, os cuidados são mais intensos com útero, ovários e dosagem hormonal que permitam a gestação natural. Por isso, os exames preventivos são essenciais desde os 30 anos.

O planejamento da maternidade é mais tranquilo para o casal com 30 anos, em plena saúde, produtividade e ascensão profissional, quando ainda fica fácil questionar: "Quanto tempo queremos esperar para ter filhos?" Fica mais difícil a decisão de formar uma família para casais com mais de 35 anos, pois enquanto o relógio biológico está tocando, a sensação de juventude e a realização profissional são argumentos eficazes para esperar um pouco mais.

Já o casal com mais de 40 anos, que tem acompanhamento médico preventivo e é saudável, não terá problemas para engravidar. Se, no prazo de seis meses a gravidez não acontece, o casal deve procurar ajuda de um especialista em reprodução humana. Depois de muitos exames, o profissional poderá indicar o melhor tratamento.

E lembre-se: ser mulher é estar plena. A medicina pode ajudar, mas só nós mulheres podemos tomar a decisão de manter corpo, mente e espírito saudáveis.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR
Denise Coimbra

Denise Coimbra

Ginecologista, obstetra e especialista em reprodução humana, foi mãe depois dos 40 anos.

  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS