Carregando pagina

Amor > Relacionamento

Livros e Filmes sobre as faces do amor

Confira algumas sugestões que ajudam a entender cada uma delas

 

No livro Os Seis Caminhos do Amor, Alexey Dodsworth nos apresenta as seis faces do amor*, que correspondem às diferentes maneiras de vivenciar esse sentimento:

- Pathos, o amor paixão

- Philia, o amor amizade

- Ludus, o amor jogador

- Pragma, o amor conveniente

- Agape, o amor altruísta

- Eros, o amor sensual

Confira abaixo sugestões de filmes e livros que se referem a cada uma das faces.

Pathos

 

Filme Atração Fatal (Fatal Attraction, 1987). Nele, o advogado Dan Gallagher (interpretado por Michael Douglas) tem um encontro casual com uma mulher chamada Alex Forrest (interpretada por Glenn Close). O que para Dan significou apenas um encontro fortuito, para Alex assumiu conformações muito mais intensas. Como em geral ocorre com aqueles que vivem o amor enquanto pathos, não há moderação possível. Tudo é vivido em extremos. O comportamento obsessivo de Alex oscila entre a paixão e o ódio, algo sempre comum nessa face do amor: ao mesmo tempo em que adoramos o objeto do nosso amor, sentimos mágoa e raiva a cada momento em que nossas expectativas não são cumpridas.

Livro Romeu e Julieta, de William Shakespeare (1564-1616). Esse romance, hoje considerado um perfeito exemplo do amor juvenil e inconsequente, faz parte de uma tradição de romances trágicos. Sua popularidade decorre justamente do fato de pathos ser uma face do amor que ao mesmo tempo tanto instiga e fascina quanto incomoda. Por um lado, como dizer que o sentimento de Romeu por Julieta (e vice-versa) era amor, se nem sequer chegaram a se conhecer direito? Por outro, como negar que o que eles sentiram era deveras amor, se chegaram a morrer por isso? Romeu e Julieta é, acima de tudo, um conto sobre o poder de pathos.

Livro Ele Simplesmente Não Está A Fim de Você, de Liz Tuccilo e Greg Behrnedeth. Quando estamos apaixonados, corremos o risco de sofrer de cegueira e surdez seletiva. A face Pathos do amor distorce nosso julgamento e faz com com que nos paralisemos na esperança, ou seja, em desejos impotentes. Mas e se você tivesse um amigo que te "mandasse a real"? Estes amigos são Liz Tuccilo e Greg Behrnedeth, roteiristas do famoso seriado "Sex and the City", que escreveram o engraçadíssimo "Ele Simplesmente Não Está A Fim de Você". Escrevendo de maneira bem humorada, os autores mostram situações de cegueira apaixonada em grau crônico. Apesar de o livro se dirigir especificamente a mulheres, ele vale para ambos os sexos. Para que não nos deixemos cegar pelas armadilhas da esperança.

Pragma

 

Filme Gente como a Gente (Ordinary People, 1980). A história gira em torno de uma mãe, Beth (representada por Mary Tyler Moore), que luta para manter sua família unida após a morte acidental de um filho. Nesse processo, fica evidente como Beth privilegia a preservação da família, ainda que isso lhe custe os prazeres sexuais e outras satisfações individuais.

Livro "Orgulho e Preconceito", de Jane Austin. Conter a paixão e censurar os impulsos é uma característica marcante na face Pragma do amor, e é possível ver como tudo isso se processa na maioria dos livros da escritora inglesa Jane Austin. Dentre suas obras, uma das mais emblemáticas de Pragma é "Orgulho e Preconceito". Os personagens, por demais preocupados com a questão da conveniência das relações, vivem uma dinâmica afetiva poderosa e que seguramente irá encantar você.

Philia

 

Filme Bonnie e Clyde: Uma Rajada de Balas (Bonnie and Clyde, 1967). O filme é baseado na história real de Bonnie Parker (Faye Dunaway) e Clyde Barrow (Warren Beatty), um casal de assaltantes que aterrorizou os Estados nos anos 1930 do século XX. A marca registrada do relacionamento de Bonnie e Clyde é a profunda cumplicidade e amizade acima de qualquer erotismo (ainda que nenhum dos dois seja exatamente um exemplo de virtude moral). Destaca-se o fato de que Clyde Barrow era sexualmente impotente, de modo que a relação dificilmente poderia se fundamentar no amor carnal.

Filme Uma História Diferente (A Different Story, 1978). Conta a história de Albert (Perry King), um gay que se envolve afetivamente com uma lésbica, Stella (Meg Foster,) e a engravida. Duas pessoas que, na convivência diária, descobrem-se tão tomadas pelo amor philia que terminam não conseguindo mais se desgrudar.

Livro Nunca Te Vi, Sempre Te Amei, de Helene Hanff. É um livro que virou filme em 1986 e que ilustra perfeitamente a face Philos do amor. Embora seja relativamente fácil encontrar o filme para assistir, o livro é mais raro, e provavelmente só será encontrado em sebos. Conta a história de duas pessoas, um homem e uma mulher, que jamais se encontraram e constroem uma história de amor baseada sobretudo na amizade e na excitação intelectual mútua. Eles trocam opiniões sobre livros e, ao longo de décadas, afetam profundamente a vida um do outro.

Ludus

 

Filme Ligações Perigosas (Dangerous Liaisons, 1988). Conta a história de um incrível sedutor, o Visconde de Valmont (interpretado por John Malkovitch), cujo objetivo de vida é criar jogos e manipulações capazes de envolver a mais difícil das mulheres. O filme mostra bem o que acontece quando uma vida é exclusivamente baseada no amor enquanto ludus: pode ser divertido, mas é igualmente perigoso e destrutivo.

Filme Como se fosse a primeira vez (50 First Dates, 2004). Mostra um lado muito mais belo do amor jogador. Conta a história de Henry (Adam Sandler), um rapaz que se apaixona por uma garota chamada Lucy (Drew Barrymore). O problema é que Lucy tem um tipo especial e delicado (além de fictício, vale dizer) de amnésia: ela sempre esquece o dia anterior. Então, Henry então tem que seduzi-la todos os dias, a cada dia inventando uma nova estratégia a cada dia.

Livro As Ligações Perigosas, de Choderlos de Laclos. Clássico da literatura francesa , escrito no século XVIII. Conta a história de um grupo de aristocratas dedicado a destruir a vida alheia apenas por tédio e diversão. O objetivo deles é seduzir por seduzir, sem dar importância às consequências de suas ações. Pra você ter ideia da importância desta obra, ela foi adaptada para o cinema onze vezes! A obra ilustra bem o que acontece quando seguimos pelas trilhas de Ludus sem considerar outras faces do amor. Se você é Ludus demais, provavelmente se identificará com algum dos personagens, e poderá refletir melhor sobre sua própria vida.

Livro A Arte da Sedução, de Robert Greene. Perfeito para quem apresenta dificuldades com a face Ludus do amor. Você aprenderá que, ao contrário do que talvez acredita, o amor também é um jogo. Valendo-se de histórias reais e famosas, o autor nos convida a pensar sobre os pontos em que as pessoas falharam ou acertaram. E elabora estratégias para que você se torne um mestre na arte da sedução - o caminho de Ludus.

Ágape

 

Filme Irmão Sol, Irmã Lua (Fratello Sole, Sorella Luna, 1972). Somos apresentados à história da vida de dois dos mais queridos santos católicos: Francisco de Assis (interpretado por Graham Faulkner) e Clara (interpretada por Judi Bowker). Ambos dedicaram suas existências a imitar a vida de Cristo, fazendo voto de pobreza e se dedicando a trabalhos assistenciais. Além do fato dessa ser também uma história do amor como philia, por ilustrar a profunda amizade não -erotizada entre São Francisco e Santa Clara, seu foco principal é, sem dúvida, agape: o amor por Deus, pela humanidade e a disposição para o sacrifício pessoal.

Filme O Óleo de Lorenzo (Lorenzo?s Oil, 1992). Narra uma história real: apresenta-nos ao garoto Lorenzo Odone (interpretado por Zack Greenburg), acometido por uma doença rara, supostamente incurável. Ao longo do filme, vemos a luta intensa e dedicada de seus pais, Augusto (interpretado por Nick Nolte) e Michaela (interpretada por Susan Sarandon). A abrangência do resultado da dedicação de Augusto e Michaela é tão incrível que mostra a força do alcance de agape,: um tipo de amor que atinge até aqueles que não conhecemos e não fazem parte de nossas vidas.

Livro Pequeno Tratado das Grandes Virtudes, de André Comte-Sponville. Falar de Agape é falar das mais elevadas virtudes do ser humano. Ainda que não consigamos sustentar estas virtudes o tempo todo, somos capazes de cultivá-las e aumentar nossa capacidade de amar espiritualmente. Um dos mais belos livros sobre qualidades espirituais - e não vinculado a religião alguma - é o "Pequeno Tratado das Grandes Virtudes", do filósofo francês André Comte-Sponville. Capaz de discorrer sobre os temas mais complexos de uma forma acessível, Sponville é considerado um dos maiores professores de filosofia do mundo. Dele também é o "Tratado do Desespero e da Beatitude", uma das mais belas obras sobre o amor pela vida, esta face do amor à qual chamamos Agape.

Eros

 

Filme A Lagoa Azul (The Blue Lagoon, 1980). É um exemplo e tanto do despertar de eros. O filme conta a história de duas crianças, os primos Richard (representado por Christopher Atkins) e Emmeline (representada por Brooke Shields) que, vítimas de um naufrágio, terminam numa ilha aparentemente abandonada. Eles passam anos sobrevivendo nesta ilha, e crescem fortes e saudáveis. Passam os dias pescando e nadando juntos, até que o inevitável acontece: ao se tornarem adolescentes, o desejo sexual irrompe com força total. Richard e Emmeline não fazem ideia do que lhes está acontecendo, e sentem um misto de medo e raiva por estarem submissos a tão estranho impulso. Até que se rendem a eros, e fazem sexo.

Filme O Segredo de Brokeback Mountain (Brokeback Mountain, 2005). Conta a história de dois rapazes, Ennis (Heath Ledger) e Jack (Jake Gyllenhaal), que trabalham juntos pastoreando ovelhas numa montanha distante. Repentinamente, a atração física se manifesta com força total entre eles, e a relação sexual acontece. Vivendo numa época e lugar marcados pelo machismo e pela homofobia, o amor eros existente entre eles nada tinha de conveniente. Ennis e Jack se tornam amantes secretos, apesar de serem casados com mulheres, pois não conseguem resistir à força da atração. A química entre os rapazes era tão poderosa, que eles mal conseguiam se encontrar sem terminar fazendo sexo.

Livro Kama Sutra, de Vatsyayana. Um dos mais importantes livros sobre a face Eros do amor, tanto para os que exageram na dose quanto para aqueles que sentem dificuldade com esta força, é o clássico do oriente, o "Kama Sutra", escrito por Vatsyayana. Você descobrirá que uma relação sexual é bem mais do que apenas buscar o orgasmo. Entenderá que o "durante" é tão importante quanto o resultado, e ampliará consideravelmente a sua capacidade de sentir e dar prazer. Para os homossexuais, há a versão para gays e lésbicas escrito por Alicia Galotti.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Alexey Dodsworth

Astrólogo há quase 30 anos, é escritor, membro da MENSA e atualmente cursa doutorado em Filosofia e Ética em Veneza. Tem ampla experiência em ensino de Filosofia, já tendo sido consultor da UNESCO e assessor especial no Ministério da Educação. Saiba mais »

contato: alexey-revista@personare.com.br
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS

Holis é uma empresa do Grupo Personare