Carregando pagina

Diversão > Férias

Férias com gosto de brincadeira

Invente brinquedos com materiais antigos e faça a alegria das crianças

Por: Hilda Armstrong

 

Janeiro é mês de férias escolares. Mas nem sempre essa época coincide com o período de descanso dos pais. Para solucionar o problema, basta um pouco de boa vontade. Algumas mães podem combinar com outras para reunir os filhos e cada dia uma cuida da diversão da trupe. Sendo assim, cada família dá seu jeito de proporcionar momentos de alegria para os pequenos.

Durante 30 anos tive o privilégio de ter a melhor mãe do mundo. A minha mãe era fantástica. Em dias de chuva ou de impossibilidade de brincar do lado de fora, ela improvisava brincadeiras dentro de casa. O colchão de molas virava pula-pula e o pedal da máquina de costura, nave espacial. Nela, eu e meu irmão partíamos para viagens à lua. Nossa missão era investigar o local onde tio Neil deu seus primeiros passos em terreno lunar. Outras vezes o mesmo pedal virava carro de passeio.

Essas brincadeiras proporcionam lembranças deliciosas e a certeza de que brincar é essencial para crianças e adultos. Quando a gente cresce, acaba deixando de lado a recreação. Conversando com amigos especialistas em educação, ouço o que costumo perceber enquanto brinco com as crianças: nas brincadeiras infantis a gente compreende e vivencia melhor a realidade. Naturalmente, questões como gênero, diversidade, sustentabilidade, respeito e outros assuntos contemporâneos vêm à tona na fala dos pequenos.

Quando produzo oficinas para os pequenos, percebo que o que eles mais gostam é de brincar e, se possível, com seus pais. Geralmente as crianças não precisam de grandes produções. Giz de cera, pedaços de papel, cola e tesoura promovem diversão e criatividade. Para mim, simplicidade é a sofisticação da inteligência. E nesse quesito as crianças são imbatíveis.

Que tal aprender brincadeiras que fazem sucesso com adultos e crianças? Confire abaixo algumas sugestões:

  • Família Mestre Cuca

Pais e filhos escolhem uma comida que possa ser preparada coletivamente. A receita pode estar no caderno da vovó. Vale ligar perguntando se ela sabe como fazer e até se topa participar da brincadeira.

Prato escolhido? Hora de providenciar os ingredientes. Leve as crianças até a despensa, garimpe alguns itens e aguce a curiosidade e o interesse delas pelos alimentos. Para os ingredientes que estão faltando, organize uma lista de compras. As crianças podem escrever, desenhar ou recortar e colar numa folha em branco, figuras de encartes de supermercado ou revistas. Esta última opção é uma das mais divertidas.

Quando for ao mercado, as crianças podem ajudar a encontrar os itens para a receita, acomodá-los no carrinho e levá-los até o caixa. De volta à cozinha, equipes podem ser definidas: um separa os ingredientes, a outra os utensílios e todos auxiliam o mestre cuca. Depois disso, é só reunir a família à mesa e saborear a delícia caseira.

  • Encontrando Peixinhos

Você vai precisar de recorte de várias folhas de revista, em tiras arredondadas, no formato caracol. Nas folhas de papel colorido, desenhe peixes em formatos (triângulo, círculo, quadrado, retângulo), cores e tamanhos diferentes.

Depois disso, esconda os peixinhos entre as tiras de papel e proponha que as crianças encontrem os peixes. Vale jogar as serpentinas de papel pro alto, mergulhar entre elas e promover a folia das crianças.

Outras sugestões e detalhes destas brincadeiras estão no site do Heureca Ateliê.

Bom divertimento para todos!

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR
Hilda Armstrong

Hilda Armstrong

Hilda Armstrong é jornalista, mas prefere escrever histórias inventadas. Cursou o magistério, lecionou para crianças e mar adentro, mar afora, navega em projetos de educação, arte e literatura. No Heureca Ateliê promove oficinas itinerantes de culinária,

  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS