Equipe Personare
Por Equipe PersonareLeia em 9 min.02/10/2014 

Eleições 2014: hora de exercer a cidadania

Saiba como escolher seus candidatos com consciência

Saiba como escolher seus candidatos com consciência

Eleições 2014: hora de exercer a cidadania

Em época de eleições é comum as pessoas se questionarem sobre as propostas dos políticos e as melhores escolhas a serem feitas no momento de votar. Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que a taxa de votos brancos e nulos ainda é alta no Brasil. Cerca de 13 milhões de brasileiros anularam seus votos e 7 milhões optaram por votar em branco nas últimas eleições. Então, o que é importante ter em mente ao votar?

Para a psicopedagoga e educadora Cybele Meyer, o eleitorado deve pesquisar sobre as ações dos políticos de sua preferência. “Muita gente utiliza como critério de votação conhecer os candidatos, nem que seja só pela fisionomia, e esquece de ir em busca de informações sobre a trajetória dele. Quem não procura bons motivos para dar seu voto, em pouco tempo sequer lembrará quais políticos ajudou a colocar no poder”, alerta a especialista.

Considere seus interesses

Já para a professora da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP), Roseli Coelho, o eleitor deve levar em consideração seus próprios interesses no momento de votar. A ideia é escolher as propostas dos políticos que melhor atendem seus ideais ecológicos, profissionais ou econômicos, por exemplo. “Esse pensamento está longe de ser egoísta. Se você é preocupado com o meio ambiente, ao votar em alguém que lute pela coleta seletiva do lixo no seu bairro, poderá ajudar todos os seus vizinhos a terem uma vida melhor”, exemplifica.

Outro exercício que pode facilitar a vida de quem ainda está indeciso é projetar seus ideais para os próximos quatro anos. As pessoas devem avaliar se uma mudança nos rumos do país é bem-vinda ou se estão satisfeitas com a situação atual. “Como você espera que sua vida esteja durante esse período? Faça uma lista das mudanças ou melhorias que deseja para si e avalie qual candidato está mais próximo de proporcionar as metas que você quer alcançar”, ensina Roseli.

Consciência política e cidadania

Para Cybele Meyer, a consciência política é resultado do exercício diário da cidadania. “Atitudes simples como não jogar papel nas ruas, pagar as contas em dia e honrar os compromissos prepara você para ser um bom eleitor”, acredita a especialista.

Já Roseli Coelho acredita que cada um deve reservar pelo menos uma vez por semana para ler as colunas de política nos jornais. “É importante entender o que acontece nesse cenário e não jogar nosso voto no lixo. Não acredito que somos indiferentes na hora de votar. Como nossa vida é sempre muito corrida e dinâmica, acabamos deixando a política de lado. Distanciamento não significa indiferença”, ressalta.

Diante disso, é importante lembrar que o voto ainda é o elemento que pode garantir paz para a sociedade. A voz do povo representa a confiança dos eleitores em elegerem representantes que atendam suas reais expectativas. “A cidadania pode ser encarada como uma cesta composta de vários direitos que temos como eleitor, consumidor, profissional e ser humano. Por que não usar esse poder legítimo que está bem debaixo do nosso nariz?”, questiona Roseli.

Equipe Personare

Equipe Personare

Nós, da equipe Personare, também estamos em um processo constante de conhecimento sobre nós mesmos, sobre o mundo e sobre as relações humanas.