Carregando pagina

Você > Desenvolvimento Pessoal

Descomplique a rotina

Dicas para economizar tempo e facilitar a vida das mulheres

Por: Rosângela Gessoni Sapata Aguilar

 

Levante a mão a mulher que nunca enfrentou dificuldades para conciliar trabalho, casa, família e ainda manter a autoestima. Com tantas atividades para administrar, a mulher acaba sendo alvo de expectativas muito altas.

Espera-se que possamos estar em boa forma, dar conta do recado no trabalho, manter o pique no casamento e termos filhos educados. Ah, é claro, nossa casa deve ser parecida com vitrine de lojas de decoração. Caso contrário, sinal de desleixo à vista...

No passado, nossas "obrigações" eram mais restritas. E nossas possibilidades também. Creio que, no balanço final, podemos sim ser mais felizes agora. Para isso, precisamos conhecer nossos limites, dizer "não, obrigado" quando necessário, delegar funções e, sem dúvida, dar praticidade à rotina. Seguem, então, algumas dicas, que, adaptadas à realidade de cada mulher, tendem a evitar o estresse e proporcionar mais tempo para as atividades que abraçamos.

  • Encontrar o que precisa no momento em que procura é, de cara, economia de tempo. Então, uma vez por ano, reavalie suas roupas. Doe ou venda as que não interessam mais, verifique as peças que precisam reformas (zíper, botão, etc). Providencie isso e organize tudo, abusando do número de cabides. Apenas uma peça em cada um para que todas fiquem visíveis. Cabides organizadores (aqueles com ganchinhos) são ótimos para cintos, gravatas, colares e pulseiras.
  • Mantenha roupas de uma mesma categoria próximas umas das outras: uma sequência de saias, depois só vestidos seguidos por calças, etc. A mesma sugestão vale para as roupas de gaveta: separadas por estilo, além de bem dobradas. E dentro de cada categoria, separe-as também por cores, das escuras para as claras.
  • Sapatos expostos facilitam a vida na hora de escolher o que calçar. As caixas, porém, permitem empilhamento - opção na falta de espaço horizontal. Nesse caso, prefira as transparentes ou cole, em cada uma, foto do sapato ou uma etiqueta com breve descrição (rasteirinha prata, por exemplo).
  • De roupas a utensílios domésticos, tudo o que é pouco utilizado deve ficar nos espaços superiores dos armários. Embaixo, deixe o que é usado com mais frequencia.
  • As bolsas facilitam o dia-a-dia quando bem organizadas. Tenha sempre um envelope para guardar itens como cartões de visitas, recibos e outros papéis que você possa receber na rua. Coisas que transportamos com frequência podem ser agrupadas em três nécessaires (um para maquiagem, outro para documentos, dinheiro e cartões e mais um para celular, canetas, chaves e agenda). Quando sair com crianças, leve também um kit entretenimento composto por desenhos para colorir, lápis de cor, quebra-cabeça e algo saudável para "distrair" o estômago. Ao trocar de bolsa, basta pegar os nécessaires. A dica também vale para quem usa bolsas sem divisórias.
  • Compre, de preferência, roupas que não amassam. Passá-las ou não será opcional.
  • Só abuse de plantas, tapetes e objetos decorativos se puder cuidar bem deles. Folhinhas secas e bibelôs empoeirados, ao invés de contribuírem com a decoração irão revelar (de forma injusta, é verdade) falta de zelo.
  • Lembre-se de que muitas receitas podem ser preparadas em quantidades maiores e congeladas. Nos dias seguintes, basta descongelar e aquecer os pratos.
  • Dê telefonemas importantes quando as crianças estiverem dormindo ou na escola, isso evitará interrupções e dificuldade para se concentrar. Aproveite esses momentos também para seus cuidados pessoais, consultas médicas, leitura e lazer.
  • Há restaurantes, shopping centers e supermercados que oferecem espaços seguros para crianças e contam com profissionais para entretê-los. Dê preferência a esses estabelecimentos quando sair com os filhos.
  • Tenha o hábito de fazer uma lista de atividades pendentes por ordem de prioridade. Na medida do possível, procure concluir uma tarefa antes de iniciar outra.
  • De acordo com a faixa etária dos filhos, vá delegando funções como comer sozinho, arrumar a cama, organizar brinquedos e material escolar. Afinal, ensinar autonomia é um ato de amor. Mas considere que eles não são assistentes da casa. Devem priorizar as atividades próprias para a idade e os estudos.
  • Finalmente, ao encerrar sua jornada, lembre-se de que o dia seguinte lhe presenteará com outras 24 horas para serem bem-vividas. Não lamente o que não foi concluído e encare com positividade o fato de ter dado o melhor de si em tudo o que fez.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR
Rosângela Gessoni Sapata Aguilar

Rosângela Gessoni Sapata Aguilar

Jornalista e autora do livro Mulher - Guia Prático de Sobrevivência (Editora Baraúna). Mantém o blog mulherevida.wordpress.com.

  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS