Carregando pagina

Saúde

Diminuir consumo de leite pode melhorar saúde

Descubra alimentos mais indicados para substituir laticínios

 

Não adianta chorar pelo leite derramado. Com o perdão do trocadilho, o fato é que cerca de 60% da população mundial tem algum tipo de sensibilidade aos laticínios, segundo matéria publicada no USA Today (e algumas estatísticas chegam até a 75%). Essas pessoas podem apresentar sintomas como alergias respiratórias, sinusite, nariz que escorre com frequência, muco persistente, inflamações e infecções de garganta e ouvidos, diarreia e dores de cabeça.

A questão é que a habilidade de digerir o açúcar (lactose) e as proteínas (caseína e whey) do leite não é uma doença, e sim um traço absolutamente normal nos humanos. A retenção da capacidade de digerir leite e seus derivados após a infância é uma mutação genética, mais comum na população europeia, principalmente nórdica.

De acordo com o naturopata americano Peter D"Adamo, criador da Dieta do Tipo Sanguíneo, a habilidade de digerir leite surgiu quando os humanos migraram para regiões mais próximas do pólo, onde os alimentos eram escassos pela impossibilidade de cultivo de plantas. Então as pessoas passaram a usar o leite dos animais como fonte de nutrição alternativa. Esta teoria diz que as pessoas descendentes desta população, com sangue tipo B, são as que possuem maior possibilidade de digerir laticínios sem problemas. Já asiáticos, africanos, índios e seus descendentes são os que mais apresentam sintomas de intolerância ao consumir leite, seus derivados e preparações, como queijo, iogurte e cremes.

Além disso, os processos de industrialização do leite e seus derivados também contribuem para aumentar as estatísticas de intolerância ao alimento. A pasteurização e a homogeneização causam transformações moleculares nos laticínios. Além disso, as vacas são alimentadas com milho e soja geneticamente modificada, e tratadas com hormônios e antibióticos. Tudo isso pode explicar um número cada vez maior de sintomas e doenças associadas ao consumo de leite e derivados.

Como substituir o leite?

Diversas pesquisas médicas vêm também desconstruindo o mito de que precisamos de leite diariamente na dieta para adquirir cálcio para os ossos, como os estudos do médico cientista de Harvard, Walter Willet. O especialista recomenda incluir no cardápio folhas verde-escuras, gergelim e tahine, algas marinhas como nori, além de sardinhas e outros peixes pequenos consumidos com ossos. Seus estudos inclusive apontam para uma incidência maior de fraturas e de câncer nos consumidores de laticínios.

Indo na direção contrária, nós brasileiros consumimos diariamente e em grandes quantidades leite, manteiga, queijo, iogurte, creme de leite, requeijão e alimentos industrializados - que mesmo sem lactose, contêm diversos derivados do leite, como a proteína whey.

Na minha prática como coach de Saúde da Mulher, eu recomendo eliminar ou diminuir consideravelmente o consumo do leite, particularmente para as mulheres que experimentam problemas menstruais e hormonais (TPM, ausência ou excesso de sangramento, ovário policístico, miomas, infertilidade) e sintomas como espinhas, enxaqueca, síndrome do intestino irritável, constipação e flatulência. Mesmo os orgânicos devem ser evitados, pois o leite possui naturalmente hormônios que interferem em nosso sensível sistema endócrino.

Como também não recomendo usar os substitutos feitos de soja, sugiro fazer seu próprio leite alternativo em casa, com amêndoas, castanhas e sementes. É muito fácil, prático, dura cerca de 4 a 5 dias na geladeira, tem um sabor delicioso e oferece sensação de saciedade, pois é mais rico em proteínas.

Leite de Amêndoas

Clique aqui para aprender essa receita simples, que estabiliza humor e ainda melhora pele e cabelos.

Chocolate quente

Ingredientes

  • 1 xícara de leite de amêndoas
  • 1 colher de sobremesa de cacau em pó
  • 1 colher de chá de canela
  • 1 colher de café de noz moscada ralada na hora
  • Mel a gosto para adoçar

Modo de preparo

Misture tudo em uma leiteira. Aqueça a mistura levemente e desligue antes de começar a ferver.

Para continuar refletindo sobre o tema

Saiba como fazer outros substitutos de laticínios em casa.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Melissa Setubal

Profissional pioneira em Saúde Integrativa no Brasil, criou sistemas que apoiam mulheres que sofrem com sintomas do ciclo menstrual e com sua imagem no espelho. Atua como coach de saúde, com atendimentos individuais e em grupo. Saiba mais »

contato: melissa@melissasetubal.com
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS