Depoimento: Alinhei meu trabalho ao meu propósito de vida

Alta executiva conta como mudou os seus conceitos de sucesso e realização

Depoimento: Alinhei meu trabalho ao meu propósito de vida

Você consegue imaginar alguém que estudou psicologia e educação infantil numa carreira executiva, falando sobre negócios com CEOs e diretores de grandes empresas? Essa sou eu. Tive o prazer de liderar equipes de alta performance, ganhar 23 prêmios de relevância nacional e recebi, pessoalmente, mais de 100 membros de comitivas brasileiras, americanas e europeias, para contar como conseguia gerenciar equipes em projetos de alta complexidade, mantendo um ambiente de confiança, num clima colaborativo, focado em qualidade e resultado.

Durante quase 7 anos, recebi aumentos e promoções semestralmente. Viajava o mundo representando o Brasil em eventos sobre educação e desenvolvimento profissional e, ao mesmo tempo, conseguia dar conta dos filhos, amigos e marido. No entanto,descobri o que eu queria fazer da minha vida: Disseminar e provocar a vivencia desses valores nas empresas!

descobri o que eu queria fazer da minha vida: Disseminar e provocar a vivencia desses valores nas empresas!

Como efeito dessa escolha, renovei os votos com a minha carreira e uma nova fase repleta de significado, abundância e prosperidade se iniciou. Ouvi um chamado interno para abrir uma frente, dentro do movimento Awaken Love, de atuação em projetos corporativos (meu ecossistema), onde o ambiente de trabalho geralmente está associado a muita infelicidade, doenças e desencontros. Para avançar, foi primordial dedicar tempo e energia em caminhos de aprimoramento pessoal e profissional. Fiz minha iniciação espiritual e participei de cursos, oficinas e vivências de autoconhecimento e espiritualidade. Comecei a meditar, fazer práticas de respiração e silêncio, e comecei a vivenciar o papel de observadora.

Minha conexão com o Movimento Awaken Love foi crescendo, fiz uma releitura dos valores e, sob a orientação do Prem Baba, comecei a conversar com as pessoas do mundo corporativo. Afinal, empresas são feitas de pessoas. São elas que dão vida ao sistema organizacional e são seus valores que as conectam com o propósito da empresa, criando condições para o sucesso.

Afinal, empresas são feitas de pessoas. São elas que dão vida ao sistema organizacional e são seus valores que as conectam com o propósito da empresa, criando condições para o sucesso.

A cada oportunidade que surgia no mundo empresarial, eu compartilhava os seis valores numa linguagem aderente ao mundo dos negócios. Ao falar de honestidade, trazia conceitos como autoconhecimento e coerência entre o que se fala e o que se faz; apresentava a autorresponsabilidade como sinônimo de protagonismo; mostrava que é preciso gentileza para o verdadeiro respeito à diversidade; aprimorava o conceito de dedicação, transformando-o em compromisso com planejamento e execução; esclarecia que a ideia de serviço está diretamente relacionada à reciprocidade e a colaboração; e explicava que beleza nada mais é do que o resultado das vivências de todos os valores, impactando no clima e na fluidez das relações.

A VIRADA

O impacto do amor

Em 2016, foram realizadas 45 oficinas e mais de 1.000 pessoas foram diretamente impactadas. Aproximadamente 80 empresas tiveram acesso aos Valores Awaken Love e mais de 800 de seus líderes e talentos refletiram sobre como a vivência desses valores impactam suas vidas, carreiras e ambientes de trabalho.

Em meados de 2016 fui chamada para participar de um evento anual que reúne líderes de RH das maiores empresas do Brasil. A pauta era “Histórias que Aprendi com os Líderes” e, dentre tantos autores, mestres e líderes com quem tive oportunidade de interagir e aprender em minha carreira, escolhi falar sobre Sri Prem Baba e a sua coragem em assumir a missão de aproximar o oriente do ocidente. Contei que com ele aprendi que é impossível querer a realização somente para si mesmo, assim como ser feliz sozinho. Há em todos nós o desejo de despertar e de que todos possam experimentar a alegria e a felicidade.

MINHA MELHOR VERSÃO

Eliminar o padrão do medo e disseminar que é possível uma vida de abundância e confiança, na criação de modelos de gestão de empresas e carreiras por valores, é a minha luta agora. Estou focada em projetos que impactem a cultura da escassez. Inclusive, essa é a temática do meu livro, que será lançado no final do ano. Para isso, conduzo oficinas abertas, palestras e processos de coaching individuais e em grupo para pessoas e empresas.

Sigo firme também na busca pelo autoconhecimento e por vivências dentro da espiritualidade. Divido meu tempo entre família, amigos, projetos remunerados e seva (trabalho desinteressado), e vivo entre reuniões, ações corporativas, congressos, retiros do silêncio, satsangs, aratis, kirtans. Ainda estou descobrindo quem sou eu, mas agora sem o peso do mundo nas costas, sem ter a obrigação de ser quase perfeita e sem temer descobrir minhas fraquezas, limites e valores pessoais.

Ainda estou descobrindo quem sou eu, mas agora sem o peso do mundo nas costas, sem ter a obrigação de ser quase perfeita e sem temer descobrir minhas fraquezas, limites e valores pessoais.

No Rio, faço minhas compras, cozinho com os filhos e cuido do lar. Há dois anos não troco presentes de natal, apenas cartões repletos de desejos sinceros. Trabalho muito em São Paulo (sem terninhos). Adoro andar por Rishikesh, Alto Paraíso e Nova York… na verdade, vou onde me chamam, busco estar presente, confiando, que estou no lugar certo, fazendo a coisa certa. Sem julgar, condenar ou querer impor minhas verdades aos meus clientes (pessoas físicas ou jurídicas). Hoje sou facilitadora, aplico as técnicas de coaching, action learning, comunicação não violenta, design thinking, mindfulness e neurociência em processos de mudança pessoal e organizacional.

Vivo finalmente a minha melhor versão. O que penso, falo, sinto e faço estão alinhados ao meu propósito de vida e mudo o mundo a partir da mudança do meu mundo interior. Apoio pessoas e organizações em processos de autodescobrimento e desenvolvimento contínuo e, por isso, acordo todos os dias com disposição, brilho nos olhos e a certeza de que a felicidade é um processo de escolha.

Todo processo tem suas particularidades e leva tempo. Você já começou o seu? Escolha ser feliz!

Adriana Schneider

Adriana Schneider

Co-fundadora da Cicclos - Uma rede, uma causa, um laboratório de inovação na modelagem de novas formas de desenvolver pessoas e organizações. Coach, Consultora e Facilitadora especializada em Gestão de Carreiras e Negócios por Valores.