Denise Gurgel
Por Denise GurgelLeia em 11 min.02/08/2010 

Amamentação em dose dupla

Veja como mães de gêmeos podem amamentar seus filhotes sem medo

Veja como mães de gêmeos podem amamentar seus filhotes sem medo

Amamentação em dose dupla

Que atire a primeira fralda a mulher que nunca pensou em ter gêmeos. Se já passou pela sua cabeça essa vontade, saiba que se amamentar apenas um filho é complicado, imagine dois! Mãe de gêmeos sempre escuta aquela frase: “dois filhos é ter felicidade em dose dupla”. E é mesmo. Para espantar de vez as dúvidas sobre essa prática, conversei com Priscilla Camilo, mãe de quatro filhos, sendo os caçulas gêmeos com 25 dias de nascimento.

Amamentar gêmeos é absolutamente possível e por isso é importante deixar claro para toda a família e equipe médica que não é necessário mamadeira ou fórmula de leite e água. É um ato de amor e carinho e se a natureza mandou dois bebês de uma única vez é perfeitamente possível amamentá-los. Quanto mais eles mamarem, mais leite será produzido. A questão é organizar as mamadas. A mamãe Priscilla sempre amamentou seus filhos em livre demanda (são amamentados todas as vezes que sentem fome) e agora com os gêmeos não está sendo muito diferente. Segundo ela, o Daniel depois que mata a fome, dorme. Já Eduardo é mais guloso e quer mamar o tempo todo.

Vale lembrar que o leite materno ainda é o alimento mais completo e equilibrado, um recurso natural que atende todas as necessidades nutricionais da criança nos primeiros seis meses de vida. Possui inúmeros benefícios como colaborar para a formação do sistema imunológico, provoca menos cólicas, previne anemia, alergias e obesidade. A sucção ajuda no desenvolvimento da arcada dentária e as substâncias presentes no leite, como a “leptina”, ajudam a combater o estresse. E o melhor de todos os benefícios: aumenta o vínculo entre mãe e filho, além de colaborar para o desenvolvimento psicológico dos pequenos.

A maioria das mães tem leite suficiente para amamentar dois bebês, inclusive ao mesmo tempo. Por isso, encontrar uma boa posição e amamentar os dois simultaneamente é uma saída que pode economizar tempo. Quando mamam juntos, a rotina dos dois bebês segue equilibrada e fica mais fácil para a mãe se organizar. De vez em quando também é bom quebrar essa rotina e amamentar um de cada vez e assim ter um tempinho específico com cada bebê.

Para ajudar na hora de amamentar em dose dupla há almofadas de amamentação próprias para gêmeos e cada um fica acomodado de um lado, com os corpos e pernas dos pequenos debaixo dos braços da mãe, na posição invertida. No entanto, Priscilla ainda não se acostumou com a alternativa. “Já tentei amamentar os dois juntos umas duas vezes, mas como eles ainda são muito molinhos é um pouco difícil”, explica a mãe.

Perguntada sobre a facilidade de amamentar os pequenos com mamadeira, Priscilla não tem dúvidas. “Acho muito mais fácil amamentar pelo peito, já que não preciso lavar mamadeira e o leite sempre está na temperatura certa. Pretendo amamentá-los o tempo máximo que eu conseguir, mas também acho que o limite seria dois anos. Espero conseguir chegar até lá”, diz Priscilla.

Vencer esse primeiro temor e derrubar os mitos que circulam nessa fase é importante para curtir a maternidade de forma plena. O importante é saber que você pode e deve sentir apoio das pessoas ao redor. Afinal, o que as mães mais desejam é verem seus filhos bem. Pricilla resumiu em uma única frase a importância de amamentar: “Me sinto muito feliz por poder produzir o alimento que supre todas as necessidades dos meus bebês, vê-los crescendo e se desenvolvendo. Aquele olhar quando eles estão mamando não se repete em nenhum outro momento”, comemora.

Para continuar refletindo sobre o tema

Blog Mamíferas: http://www.blogmamiferas.com.br

Rede Internacional em Defesa do Direito de Amamentar: http://www.ibfan.org.br

Denise Gurgel

Denise Gurgel

Fisioterapeuta materno infantil, especialista em Shantala, consultora do sono e de desenvolvimento motor dos pequenos. Atende em São Paulo e no Rio de Janeiro.