Equipe Personare
Por Equipe PersonareLeia em 2 min.17/06/2015 Atualizado em 22/05/2018

7 momentos prazerosos para viver em família

Especialistas sugerem dicas que podem oferecer mais bem-estar

7 momentos prazerosos para viver em família

Você tem passado tempo suficiente com sua família? Se a resposta foi “não”, saiba que mesmo em meio à correria do dia a dia é possível reservar algum momento para realizar atividades com essas pessoas tão queridas. Brincadeiras divertidas e dicas simples de Feng Shui, aromas e cores podem ajudar a estreitar os laços com os familiares, encurtar distâncias e ainda oferecer mais bem-estar para sua vida.

Confira abaixo sugestões simples para reunir a família em atividades nas quais todos podem participar e, principalmente, se divertir. Não importa se você não tem filhos ou se eles já estão chegando à adolescência ou vida adulta. Quando toda a família está reunida é possível resgatar um pouco da infância de cada um e explorar de forma divertida e bem humorada os encontros familiares.

Feng Shui na decoração ajuda na integração familiar

Que tal encontrar uma pausa no dia a dia e reunir a família para ver algumas fotos e relembrar os bons momentos vividos na companhia destas pessoas tão importantes? A consultora de Feng Shui Cris Ventura sugere que algumas imagens sejam impressas e colocadas em um painel ou porta-retratos. O momento da escolha das fotos e da montagem desse painel é uma boa oportunidade de aproximar a famí­lia. Depois todos poderão se orgulhar das imagens expostas na casa, que transmitirão lembranças positivas e boas energias, ensina a especialista.

Melhor ainda se este encontro familiar acontecer na sua sala de estar. Nesse caso, Cris aconselha que a disposição dos móveis facilite o diálogo e a troca de olhares, com uma cadeira de frente para a outra ou poltronas em forma de ferradura, por exemplo. Além disso, almofadas, cortinas, tapete e plantas também ajudam a tornar o ambiente acolhedor. Para estimular a conversação vale incluir tons mais vibrantes na decoração, como amarelo ou laranja. E os objetos colocados neste ambiente devem expressar o estilo e a personalidade da família, reforça Cris.

Promova o dia do encontro marcado

Para criar ainda mais proximidade com a família, a astróloga Marcia Fervienza ressalta que é importante criar momentos de convívio em pelo menos um horário do dia. Neste momento todos devem estar disponí­veis física e mentalmente para o outro, sem que isso seja percebido como uma obrigação.

Que tal a hora do jantar? Sentar à  mesa para comer com a TV desligada e a atenção voltada somente para aquele momento pode operar milagres. Abrir espaço para que cada um fale do próprio dia diminui distâncias e aumenta o nosso envolvimento com a vida do outro. Nessa conversa diária, comece dando o exemplo: abra você a conversa, demonstre que também tem inseguranças pessoais, peça a opinião da família, mostre que aquilo que eles pensam é importante. Cuidado, porém, para não abordar problemas que podem afetar a tranquilidade ou a sensação de segurança familiar, como brigas conjugais ou dificuldades financeiras, esclarece Marcia.

Se não for possível se reunir com a famí­lia diariamente, estabeleça um dia do final de semana para estar com quem ama. Pode ser uma ou duas horas semanais, nas quais todos se reúnem para colocar os assuntos da semana em dia. ´Uma reunião semanal que ocorre regularmente é melhor do que reuniões esporádicas ou do que nenhum momento com a famí­lia. No iní­cio pode parecer complicado reservar esse tempo semanalmente, mas depois todos se acostumam e começam a esperar ansiosamente pelo encontro, garante.

Refeições com bom humor e imaginação

Que tal propor um programa diferente e soltar a imaginação? Um piquenique em família pode ser uma boa opção, é o que garante a master coach e especialista em desenvolvimento pessoal, Juliana Garcia. Segundo ela, não é preciso fazer nada complicado para curtir os melhores momentos em famí­lia. O momento das refeições pode ser transformado num tempo para estar junto, compartilhar ideias, novidades e dividir boas risadas, sugere.

E o médico e psicanalista Marcelo Guerra reforça o coro: quase toda cidade tem um parque ou uma área verde onde é possí­vel curtir um piquenique. Encontrar um local aberto e fora do ambiente habitual em que a famí­lia convive faz com que o encontro seja muito informal e relaxado. O importante é que todos estejam alegres e com disposição para curtir a companhia da famí­lia, dentro da própria cidade. Com certeza isso deixará todos com um espírito renovado, reforça Marcelo.

Use cores e aromas a seu favor nos encontros familiares

Para estreitar ainda mais as relações familiares, vale apostar nos benefícios da Aromaterapia. Convide a família para uma visita na sua casa e use o óleo essencial de Tangerina, que estimula a alegria e a comunicação. Se preferir, combine-o com o óleo essencial de Lavanda – que ajuda a clarear a mente e compreender melhor o outro – e com o óleo essencial de Vetiver, que oferece mais estrutura e segurança.

Segundo a terapeuta holística Solange Lima, também é possível usar o óleo essencial de Limão – que melhora a comunicação – e o de Patchouli, que trabalha a flexibilidade, quebrando padrões de comportamento e facilitando as relações afetivas.

A ideia é fazer um aromatizador de ambientes, usando algumas das combinações propostas. Abaixo, Solange Lima ensina como.

Misture em um recipiente 60 ml de álcool de cereais e adicione:

Sinergia 1 – 13 gotas do óleo essencial de Lavanda, 9 gotas do óleo essencial de Tangerina e 2 gotas do óleo essencial de Vetiver.

Sinergia 2 – 19 gotas de óleo essencial de Limão e 5 gotas de óleo essencial de Patchouli.

Depois, mexa bem e coloque em um spray com borrifador. A mistura pode ser aspergida nos ambientes da casa, de duas a três vezes ao dia.

Além disso, o poder terapêutico das cores também pode funcionar como um aliado para deixar as relações em família ainda melhores. O rosa trabalha afetividade, comunicação entre as pessoas e flexibilidade nos relacionamentos. Já o verde traz equilíbrio, calma e tranquilidade. A dica é colocar em casa um vaso de flores rosas ou escolher uma planta verde, como a palmeira areca, ensina Solange.

Cozinhar com carinho alimenta a alma da família

Depois de um dia de muito trabalho, correria e cansaço, todos merecem renovar as energias, descansar e aproveitar com a família. Que tal reunir as pessoas e preparar uma comida gostosa? De acordo com a nutricionista Tahiana Ferraço, uma comida preparada com carinho, amor e dedicação vem carregada de energia positiva e nutre a alma de quem a consome.

Primeiro nós comemos com o nariz, ao sentir o aroma do prato sendo preparado. Depois com os olhos, ao ver a comida pronta e, por último, com a boca, para sentir de fato o sabor daquela preparação. Esta ordem do sentir, ver e experimentar causa reações químicas em nosso organismo, que oferecem sensações de bem-estar, explica a nutricionista.

Pensando nisso, reúna a famí­lia na cozinha, coloque uma música animada e, enquanto prepara as receitas, converse, dá boas risadas e carregue o alimento com as boas vibrações daquele momento. A fisioterapeuta materno-infantil, Denise Gurgel, sugere que todos se envolvam na preparação do prato: pense numa receita bem gostosa e divida as tarefas com a famí­lia. Enquanto um separa os ingredientes, o outro mexe a comida na panela. Vocês se lembrarão para sempre desses momentos, que podem virar um hábito gostoso na rotina familiar´, indica Denise.

Abaixo, a nutricionista Tahiana Ferraço sugere uma receita para ser preparada em famí­lia:

Pão enrolado recheado

Massa:

  • 500g de farinha de trigo integral
  • 2 colheres de margarina
  • 2 ovos
  • 1 ½ copo de leite semidesnatado morno
  • 30g de fermento biológico
  • 1 pitada de sal
  • 1 gema para pincelar
  • queijo parmesão ralado para polvilhar

Recheio:

  • 2 latas de atum conservado em água e sal
  • 1 vidro pequeno de champignon
  • 50g de tomate seco
  • ½ maço de rúcula
  • fio de azeite
  • pitada de sal
  • orégano a gosto

Preparo da massa:

Primeiro aqueça o leite, dissolva a margarina e reserve. Em uma tigela, misture todos os outros ingredientes com a ajuda de uma espátula. Em seguida. acrescente o leite com a margarina e misture até formar uma massa homogênea. Deixe descansar por 30 minutos.

Após o descanso da massa, divida-a em duas partes, abrindo cada uma delas com um rolo e acrescente o recheio. Enrole a massa como um rocambole. Pincele a gema por cima e salpique com queijo parmesão ralado. Coloque os pães em uma assadeira untada com margarina e farinha de trigo e leve ao forno pré-aquecido em temperatura média por 20 minutos ou até que a massa esteja bem assada e dourada.

Preparo do recheio:

Primeiro lave muito bem as folhas de rúcula e deixe-as escorrer em um escorredor. Enquanto isso, em uma tigela misture o atum (já escorrido), o champignon e o tomate seco. Em seguida, pique em tiras as folhas de rúcula e acrescente-as aos outros ingredientes já misturados. Por último, tempere com o azeite, sal e orégano a gosto.

Mais do que proporcionar diversão, brincadeiras em família ajudam a se conhecer

Segundo a psicoterapeuta Celia Lima, quem tem filhos ou crianças na família pode apelar para a criatividade dentro de casa e, antes do lanche da tarde, brincar de quem sou eu?´. Na brincadeira, cada um deverá sair da sala e voltar interpretando algum membro da famí­lia. A regra é que cada um tente imitar a caracterí­stica mais marcante de determinada pessoa. Depois que a pessoa descobrir que estava sendo imitada, todos os outros têm o direito de imitá-la também, abordando outras caracterí­sticas.

Mais que uma brincadeira divertida, é uma excelente oportunidade para que cada um (especialmente os adultos) perceba como é visto por sua famí­lia. Claro que vale ser imitado pelas coisas chatas, pelas engraçadas e também pelos comportamentos doces. A brincadeira pode ser estendida à mesa do lanche, com troca de papéis: os netos serão os avós, a mulher será o marido, um irmão será o outro e a diversão estão garantida. Com harmonia, gargalhadas e bom humor. Uma boa receita para estreitar laços, orienta Celia.

Já experimentou dizer o que sente?

Para passar bons momentos em famí­lia é preciso manter a comunicação em dia. E a astróloga Marcia Fervienza dá a receita: estimule os familiares a dizer o que sentem e faça-os entender que tudo pode ser conversado, desde que com respeito. Ao criticar, fale sobre alguma situação ou atitude, não sobre a pessoa. E a mesma regra deve ser seguida pelos outros membros da famí­lia quando você expressar seus sentimentos. Estimule-os a falar da raiva que sentem, mesmo que seja de você. Sentimentos negativos reprimidos sempre têm escapes muito prejudiciais, que podem afetar o bom relacionamento. Mas quando as pessoas falam o que sentem permitem que você as ajude a superar e entender melhor determinada situação, finaliza Marcia.

Equipe Personare

Equipe Personare

Nós, da equipe Personare, também estamos em um processo constante de conhecimento sobre nós mesmos, sobre o mundo e sobre as relações humanas.